terça-feira, 29 de dezembro de 2009

UCRANIA REVELA SEGREDOS

dos arquivos da União Soviética

Por Pilar Bonet, “El Pais”

O serviço de segurança da Ucrânia (SSU) abriu os arquivos da época soviética para o público nacional e estrangeiro, pesquisadores ou simples curiosos, que podem frequentar sem problemas 26 centros de leitura eletrônica situados em outras tantas cidades do país.

"A Ucrânia está se transformando em uma meca para os especialistas em URSS, que vêm trabalhar aqui porque os arquivos da Rússia foram fechados ou são cada vez menos acessíveis", afirma Volodymir Viatrovych, diretor do arquivo estatal do SSU. Entre os historiadores também há russos com problemas de acesso a seus próprios arquivos, explica.

No centro de leitura eletrônica de Kiev, Viatrovych mostra na tela de um computador o índice de milhares de documentos escaneados. Eles vão de 1919 a 1991, e entre outros temas referem-se à consolidação do poder soviético, à grande fome (Holodomor, 1932-33), à Segunda Guerra Mundial e ao sistema repressivo, começando com a Cheka e acabando com a KGB. Também estão lá os documentos das organizações contra as quais lutavam esses órgãos, desde as nacionalistas até as democratizantes.

O centro de leitura de Kiev foi aberto no outono de 2008, mas seu trabalho foi sistematizado, segundo Viatrovych, depois do decreto do presidente Victor Yushenko em janeiro passado, para promover a reclassificação de documentos e dar prioridade a temas como "a repressão política, fome e movimento de libertação".

A reclassificação foi acelerada, na contramão da legislação vigente, "orientada para um trabalho mais lento". Por enquanto Viatrovych lida com dezenas de milhares de documentos, mas "temos 800 mil volumes que devem ser reclassificados e isso só do SSU. Além disso, há os do Ministério do Interior e os da espionagem".

O SSU criou um grupo de trabalho interno formado por especialistas desses serviços. Esse núcleo colabora com um "grupo de historiadores que define as diretrizes sobre os temas com especial importância social", indica; 90% dos documentos sobre o Holodomor já foram reclassificados, diz Viatrovych. "Pode ser que se encontrem mais nos arquivos das províncias, que são bastante caóticos, porque não foram criados para os pesquisadores mas para a perseguição e o extermínio dos adversários do regime", explica.

As "lacunas" existentes são maiores nos últimos anos da URSS, salienta, e explica que quando a KGB deu ordem para destruir documentos em 1990, os funcionários "começaram fazendo desaparecer o que afetava a eles e seus agentes".

O arquivo que Viatrovych dirige colabora com instituições semelhantes na Polônia, República Checa e Lituânia. Com os arquivos do Serviço Federal de Segurança (SFS) da Rússia, a cooperação é limitada. "Nesta primavera propusemos ao SFS um acordo de colaboração como o que temos com os poloneses ou os checos, para trocar experiência de desclassificação e cópias e também fazer publicações conjuntas. Nos responderam que consideram suficientes os acordos existentes entre os dois serviços de segurança", explica.

"Não impomos nenhuma interpretação da história", exclama, e qualifica de "quase cômica" a relação entre os arquivos ucranianos e russos. "Nós desclassificamos documentos sobre um ou outro tema, e imediatamente, como resposta, os russos reclassificam outros que indicam outra coisa."

Abordando sua matéria de uma perspectiva de "missão" nacional, Viatrovych diz ter encontrado "muitos documentos interessantes sobre as operações realizadas [pelos órgãos de segurança soviéticos] para comprometer ativistas do movimento nacional ucraniano e fazê-los parecer colaboracionistas com os nazistas, anti-semitas e heróis negativos".

"A Ucrânia continua o trabalho de desmascaramento do regime stalinista que ia em paralelo ao processo de democratização no final dos anos 1980 na URSS. Nos 90, a Rússia julgava o totalitarismo e estava na frente do processo de reclassificação e publicação de documentos, mas agora recuou enquanto a Ucrânia recebeu um novo impulso", opina. "Compartilho da opinião de que uma parte dos materiais foi tirada da Ucrânia em 1990 e 1991, e pode ser que esteja na Rússia. Uma prova indireta é que o último dirigente do KGB da Ucrânia, Nikolai Golushko, se transformou em chefe do SFS da Rússia."

Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves
Fonte: http://libesfera-libertatum.blogspot.com/

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

TERMÔMETRO OSCILANTE

Por Arlindo Montenegro

Acabo de receber um email de Christina Fontenelle, uma patriota destemida, que durante anos nos brindava em sua página “Imortais Guerreiros”, com documentos de conteúdo polêmico. Um conteúdo incômodo para os senhores no poder, principalmente nas páginas em defesa da Amazônia. Depois de “ser expulsa” da veneranda Escola Superior de Guerra, ela promete estar de volta, nos próximos dias. Seja bem vinda! Esta nação precisa de gente como você!

Durante sua ausência, muito aconteceu, algumas máscaras caíram, algumas ações foram ensaiadas e agora sabemos que o enfrentamento para conter as ameaças à liberdade e soberania, são forjados nos laboratórios da ONU, com a inspiração ideológica indubitável da comunista nova ordem mundial.

"Tudo o que precisamos é de uma grande crise, a crise certa e as nações aceitarão a Nova Ordem Mundial", disse David Rockefeller. Pois este senhor junto com seus pares da dinastia Rotschild e gente de sangue azul, os Bilderberger, que tratam a humanidade de modo perverso, podem hoje ser indicados sem sombra de dúvida, como os carrascos da liberdade e coveiros da soberania e independência das nações.

Recentemente tentaram impor mais um tratado, no modelo de centenas de outros “acordos globalitários” impostos pela revolucionária ONU, o mais desprezível antro de esotéricos, satanistas e comunistas que o planeta já conheceu. Todos a serviço da Nova Ordem Mundial, que com a mentira do aquecimento global revelou também como é duvidosa a natureza ética e intelectual de certos modernos “cientistas”, pagos para imitar Deus.

O modelo dos tratados internacionais explícitos, em linguagem sinuosa que parece carregar as melhores e mais santas intenções, têm sua versão secreta, somente para os assessores do “clube”. Para o vulgo, sobra uma verdadeira avalanche de propaganda enganosa para aterrorizar, distrair, desinformar a gente em cada recanto do planeta, seja na justificativa de campanhas guerreiras, defesa de “direitos humanos”, narcotráfico ou “democracia”. Na verdade, tudo cientificamente planejado, organizado e estrategicamente aplicado para ocultar a verdade.

Em toda parte os que ocupam cargos políticos, formadores de opinião, professores e religiosos, sindicalistas e empresários, trabalhadores e desempregados, gordos e famintos, estão contaminados. As promessas de figuras populistas, aparecem em forma e cores bonitas. Passa o tempo e os gestores “eleitos” ignoram as reivindicações dos cidadãos, protelam as decisões e promovem, isto sim, a criminalidade e a sujeira da corrupção institucional.

São as mini crises continuadas, reflexo das políticas globalitárias, que alimentam a credibilidade em engodos, como este do aquecimento da terra, que rendem votos para a continuidade. Vale tudo, mesmo a chantagem. A linguagem é sutil e disseminada por pesquisas de opinião, propaganda, palavras de ordem, tudo apoiado na imagem dos conflitos e da emoção, essenciais para o sucesso. Quanto mais crise, melhor para que o “líder”, aqui ou acolá, assuma mais poderes políticos, na contra mão da liberdade e do estado democrático de direito.

Muito bom para a ONU! Ótimo para os que controlam a ONU! Quanto mais crise e insegurança, mais espaço para o líder tomar de assalto mais rentáveis poderes políticos, na contra mão das liberdades individuais. Um Brasil independente destas políticas globalistas, com dirigentes voltados para a defesa, gente pensante e imune à corrupção, gente estimulando a educação, pesquisa, com forte redução da máquina de governo, é o que menos interessa à rapinagem dos terroristas verdes do aquecimento infernal.
Os documentos e tratados da ONU, com muita sutileza, têm ignorado a soberania dos países membros. Quando trata de Direitos Humanos (Art. 18 da declaração específica) defende o “direito à liberdade de pensamento consciência e de religião”... (art 19) “o direito à liberdade de opinião e de expressão...". Para concluir que, (art. 29): "Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, serem exercidos contrariamente aos objetivos e princípios das Nações Unidas."
Pois por aqui se copia o mesmo: em hipótese alguma as CPIs ou a mesma imprensa pode criticar o governo, suas políticas e falcatruas. Fiel ao globaritarismo, o governo dos socialistas tem poderes conferidos e controlados pelos banqueiros internacionais, que escolhem os chefes de equipe das províncias, encarregados de manter uma ilusão de democracia, sem cogitar na prestação de contas, valendo apenas um tapinha no ombro e o beijinho numa criança com foto sorridente.
Estamos sendo encaminhados para eleger (??) mais um dos que executarão as políticas do acordo capimunista: os comunistas adotaram e participam da economia de mercado. Em troca dirigem a propaganda e elaboram as estratégias da engenharia social que nos conduzirá aos braços da ONU: uma só religião, um só exército, um mundo sem fronteiras sob um governo ditatorial. Como já acontece com as mega empresas transnacionais, que controlam maioria destas outras, que apelidamos de empresas nacionais (Petrobrás, Vale...)
A crise que nos atinge é moral. A eliminação dos limites já vem sendo implantada com as lições de Antonio Gramsci, através dos milhares de fundações, ONGs e empresas que adotam os treinamentos Tavistock. A insegurança mundial exige controles sociais globalitários. A engenharia social utiliza o sexo sem limites, as drogas e os grandes shows que embalam o “Admirável mundo novo”. Como disse Huxley: “a liberdade para sonhar acordado sob a influência das drogas, dos filmes e do rádio, ajudará (o ditador) a reconciliar seus súditos à servidão."

sábado, 26 de dezembro de 2009

É DE LASCAR!

Por Arlindo Montenegro

Ler para compreender o que está nas entrelinhas desta novela do aquecimento global é um exercício fantástico. Traduzir certos discursos numa linguagem popular, é o jeito para transmitir o irritante, grotesco e risível. Para compreender a linguagem esotérica das mentes doentias regiamente pagas com recursos carreados pelos estados que compõem a ONU, hoje um verdadeiro laboratório de insanidades.

Os estados membros, contribuem com o fruto do trabalho de gente honesta, para que um grupo de apátridas, internacionalistas sedentos de poder, imponham regras universais. Estão trabalhando para a maior concentração de renda no planeta. Trabalhando para influenciar, seduzir, (comprar!) os governantes dos estados membros, na defesa do absurdo: “Eu mando, vocês obedecem... ou então vai se ferrar!”

Quem manda de fato são cerca de trezentas famílias, incluindo reis no trono, descendentes de casas reais espalhados pela Europa e EUA, banqueiros que nem os Rotschild, Rockfeller, Morgan e grupos fechados de investidores como os Carlyle. São os Bilderberger, proprietários e controladores de mais de 50% das grandes corporações espalhadas pelo mundo. Os tais que instalam a “crise”, financiam as guerras, vendem as armas e drogas e mantém o terrorismo.

A serviço desta gente, estão os “estudiosos” da ONU, gerando relatórios e diretrizes infames. Dizem por exemplo que o controle de natalidade na China é exemplar, porque economiza algumas toneladas de peidos que poderiam contribuir para o aquecimento da terra. O Brasil também deve reduzir seu rebanho bovino, caprino, porcino... tudo pela redução de peidos!

A população da China está ficando velha porque é costume privilegiar o nascimento de filhos varões. A prática do infanticídio de nascituros femininos ou deficientes físicos é “normal” por lá nas áreas rurais. Assim faltam mulheres para o casamento. É um grande e maravilhoso programa de controle de natalidade!

Exemplar! para os psicopatas da ONU. Assim querem justificar é um rigoroso controle de natalidade no mundo inteiro. Menos gente, menos peidos, menor aquecimento do planeta! Mobilizam recursos imensos para doutrinar, contaminar as mentes das novas gerações, principalmente nas áreas que rotulam como “países em desenvolvimento”, onde se deve preservar o verde em seu estado natural, reduzindo as possibilidades de vida e de trabalho produtivo.

Inúmeros documentos comprovam que os propósitos de Paz Universal objetivados pela Organização das Nações desUnidas, obedecem a uma agenda secreta, diferente da meritória e propalada ajuda mútua contra a pobreza, a fome, o analfabetismo e a guerra. E mais agora, com a direção de um comunista.

Um documento dos anos 60, gerado por cérebros contratados pelo Governo Kennedy e que parecia arquivado por seu conteúdo e conclusões, escandalosas para a época é o “Iron Mountain Report” transformado em livro pouco conhecido. O trabalho consumiu 3 anos, analisando as conseqüências políticas de um ambiente mundial pacificado. Pinçamos algumas conclusões daquela sigilosa investigação sócio-científica, econômica, militar, filosófica e os cambau, revelando que, tudo quanto tentam rotular como “teoria da conspiração” é uma prática real continuada, aterrorizante.

É o propósito de um grupo que pretende ser ditador dos destinos e pensamentos de cada pessoa, escravidão global controlada com sensores, câmeras, escutas eletrônicas, implantação de chips, rastreadores e práticas de vigilância “para a nossa segurança” em um mundo caótico e permanentemente aterrorizado por hordas armadas, contidas apenas pelo exército policial, das “Forças de Paz Mundial da ONU”, que o diga Orwell.

"A Paz Indesejável” está descrita no Iron Mountain Report, datado de 1969. A paz é dada como intangível e inútil, porque, segundo os tais estudiosos, a guerra é o principal estabilizador político das sociedades e necessária para manter o poder dos governantes por longos períodos. O estado de guerra, ou seja a instabilidade emocional de pessoas aterrorizadas, fundamenta as escolhas comportamentais, submete a sociedade, influi na escolha de valores para fazer frente aos inimigos diversos, com máscaras mutantes, variadas.

O relatório aconselha a identificação de “um risco de destruição pessoal real, numa escala compatível com a envergadura e a complexidade dos modernos sistemas sociais”, um risco real ou imaginário capaz de promover a coesão social planetária e aceitação de uma só autoridade política. Como a tentativa de coesão mundial social contra seres extra terrestres não funcionou, utilizaram intensa propaganda com um substitutivo: construíram a credibilidade sobre uma mentira “científica”.

"Um substitutivo político efetivo ... Pode ser, por exemplo, a brutal poluição do meio-ambiente, (...) como a principal ameaça aparente à sobrevivência das espécies (...) Um substitutivo de qualidade e magnitude críveis (...) deve ser encontrado (...) É mais provável, a nosso ver, que uma ameaça que tenha de ser inventada ao invés de ser criada a partir de condições desconhecidas".

As condições foram inventadas e Al Gore escalado como arauto do reino. Por trás da mensagem, a intenção deliberada inscrita naquele relatório: "É inteiramente possível que o desenvolvimento de uma forma sofisticada de escravidão possa ser um pré-requisito absoluto para o controle social, num mundo de paz". É este o rolo em que todos estamos metidos. O esquema gorou! Mas os poderosos vão continuar concentrando forças, poder. Deus que se cuide!

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

O CORREIO DO MENINO JESUS






O artigo está na Revista Catolicismo de Dezembro de 2007, assinado por Carlos Eduardo Schaffer, a quem peço desculpas por suprimir alguns detalhes, publicando de modo resumido a emoção desta festa, que vivi na infância em sua pureza, guardando seu significado mais profundo, hoje arrebatado por este velho barbudo, que em sua gênese histórica batia nas crianças desobedientes com uma vara de marmelo.

“A criança encantava-se com o presépio, com a árvore de Natal, com a "estrela de Belém", com os chumaços de algodão imitando neve, com as músicas natalinas - entre as quais destacava-se o "Noite Feliz", tradução brasileira da famosa "Stille Nacht, heilige Nacht". A Missa na paróquia, especialmente festiva e envolta num ar de júbilo sobrenatural, fazia evidentemente parte das comemorações e ficava profundamente gravada na memória. Em lugar não muito secundário, vinha também a expectativa da saborosa ceia de Natal...”

“Numa pequenina aldeia da província "Alta Áustria" (Ober Österreich), chamada Christkindldorf (Aldeia do Menino Jesus), foi criado um
posto de correio ao qual foi dado também o nome de Christkindl Postamt
(Agência de Correio do Menino Jesus). As crianças hoje podem escrever ao
Menino Jesus, endereçando a carta a este correio. E poderão receber
resposta...”

“Esta história começa no fim do século XVII. Ferdinand Sertl, então regente da bandinha dos bombeiros da cidade de Steyr, sofria de epilepsia. Católico de profunda fé e piedade, tinha confiança na oração e esperava ser curado.”

“Para poder rezar com mais recolhimento, por volta de 1695 comprou uma imagem do Menino Jesus, de cera. Foi ao bosque de Unterhimmel (Sob o Céu), a uma certa distância da cidade, cavou um pequeno oratório em uma grande árvore, e lá colocou a imagenzinha, diante da qual rezava com freqüência para pedir sua cura. Tendo efetivamente recebido a graça pedida, espalhou-se rapidamente a notícia, e logo começaram as peregrinações e novos milagres.”

“Em 1699 foi construída em torno daquela árvore uma capela de madeira. Em 1702, Dom Anselmo, prior da abadia beneditina de Garsten, situada nas proximidades, tendo em vista o sempre crescente número de peregrinos, deu inicio à construção da atual igreja, que foi consagrada em 1709 (2). No altar principal pode-se ver a imagenzinha original do Menino Jesus (1), incorporada de maneira muito artística à própria árvore onde Ferdinand Sertl havia origina originalmente colocado o Divino Infante.”

“No alto da porta principal, uma inscrição: NOLITE PECCARE IN PUERUM (3) - Gen. 42, 22 ("Não pequeis contra o Menino"), frase que, em nossos dias, pode ter um sentido muito mais grave do que na época em que foi gravada, pois no Menino Jesus estão especialmente representadas todas as crianças inocentes, especialmente as ameaçadas pelo aborto.”

“Em torno do santuário foi aparecendo um pequeno casario, chamando
Christkindldorf (Aldeia do Menininho Jesus). Em 1946, depois da II Guerra Mundial, quando a Áustria estava ocupada pelos exércitos aliados, um soldado americano sugeriu ao correio austríaco que utilizasse, para fins filatélicos, imagens da pitoresca aldeia e respectiva igreja como tema de selos natalinos. As cartas enviadas daquele local recebiam o carimbo da agência Unterhimmel então existente.

A iniciativa teve tanto sucesso que, em 1950, o correio criou uma agência
especial chamada Christkindl Postamt (4) (Agência de Correio do Menininho Jesus), que começou a funcionar nas dependências da casa paroquial, tendo já no primeiro ano atingido um volume de 42.000 cartas. O número de missivas, desde então, não pára de crescer. Em 2006 foram postadas cerca de dois milhões de cartas.

Essa agência de correio só funciona a partir do primeiro domingo do Advento até a festa dos Reis Magos, no dia 6 de janeiro. Ela praticamente não distribui correspondência, pois são muito poucos os moradores da região. Recebe cartas de crianças e responde àquelas que pedem resposta (5). Mas não são só as crianças que querem receber uma missiva vinda do "Correio do Menino Jesus"...

Entre os adultos isto é também muito apreciado. E por isso, durante o tempo em que este correio fica aberto, além dos ônibus de turistas, de peregrinos e dos próprios austríacos que lá vão para postar seus cartões de Natal, o correio recebe também, dos mais distantes lugares do mundo, volumes com cartas já endereçadas, e que devem ser seladas com selos relativos a Christkindl, carimbadas com um carimbo especial a cada ano, e assim expedidas.

Informações a respeito podem ser obtidas em inglês em
http://www.christkindl.at/

O artigo original pode ser encontrado no endereço:
http://www.catolicismo.com.br/materia/materia.cfm?IDmat=976F84BA-3048-313C-2ED8DA10ED4CCF15&mes=Dezembro2007

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

PARA VER, OUVIR, PENSAR, DIVULGAR

Por Arlindo Montenegro

Alex Jones, como Daniel Estulin, merecem ser vistos, lidos, ouvidos e divulgados por todos que prezam a liberdade como valor que conduz as pessoas ao amadurecimento, ao respeito humano e conquistas expoentes da civilização, como da produção material que facilita o bem estar das pessoas.

No video http://www.youtube.com/watch?v=ZM3LkCGUDxE, se pode conhecer o resumo de um minucioso trabalho de investigação que expõe os crimes e intenções dos que desejam implantar uma nova ordem mundial, eliminando as culturas e crenças nacionais, submetendo todos os povos a um so governo ditatorial mundial.

A Conferência sobre o Clima, com a falsificação de dados que nossa mídia continua veiculando como se fossem verdadeiros, seria de fato o encontro para a elaboração da primeira Lei de novo deste governo nefando, legitimando um grupo de banqueiros e famílias poderosas como ditadores, acima das Leis e Constituições locais.

Este é o vídeo que está disponível para a informação, para a discussão nas escolas e em clubes, condominios e sindicatos, igrejas e grupos de amigos.

Para ser amplamente divulgado: http://www.youtube.com/watch?v=ZM3LkCGUDxE

domingo, 20 de dezembro de 2009

MENSAGEM NATALINA



Este blog agradece a Deus, pedindo que esteja presente em cada dia da vida de todos, abençoando cada familia, para que as escolhas humanas superem os escolhos da vida.

(Imagem emprestada do blog Glória da Idade Média)

sábado, 19 de dezembro de 2009

CLIMA: A OFENSIVA NÃO VAI PARAR!

Do endereço "Verde, a nova cor do comunismo"




O Clima também quis fazer ouvir sua voz na Conferência universal para as
mudanças climáticas de Copenhague, COP-15. Afinal é dele que está se
falando.

E o fez do jeito dele: soberano, incoercível, incontrolável. Na
sexta-feira, dia de encerramento da COP-15 aguardava-se ?20ºC na Espanha,
na Rússia já tinha atingido ?25ºC.

Holanda, Bélgica, França estavam cobertas de neves extraordinárias para a
época.

O “general inverno” parece não ter se impressionado com a presença de
presidentes como Obama, Lula ou Sarkozy decididos a controlar as “mudanças
climáticas” e conter o “aquecimento global”.


Na foto, num canal de Groningen, Holanda, um marreco parece se perguntar
onde está o tal de “aquecimento global” que poderia lhe devolver a água
líquida, agora congelada embaixo de suas patas. Tal vez seja um bicho
“cético”. Um outro mais “realista” furou o gelo e bebe como pode pelo
buraquinho.

Acreditar no “aquecimento global” só mesmo dentro do Bella Center de
Copenhague.

Ali, além dos chefes de Estado de 192 nações, mais de 22.000 pessoas ?
membros de delegações oficiais, jornalistas, ativistas do ambientalismo,
comunistas e anarquistas ?, se apinham para conter o “aquecimento do
planeta” e combater as “mudanças climáticas”, num local com capacidade
máxima para 15.000 pessoas. Lá em verdade o aquecimento deve estar forte.

Parece cômico, e é melhor levá-lo com um sorriso. Mas, o ambiente é
catastrófico. Os responsáveis dinamarqueses pediram desculpas pela confusão.

Johann Hari, colunista do “Independent” de Londres, descreveu no artigo “O
surrealismo de Copenhague” para “O Globo”, o ambiente que lá se vive:

“À primeira vista, a conferência climática em Copenhague parece ter saído
de uma tela surrealista de Salvador Dalí. Vi o arcebispo Desmont Tutu ser
seguido por um enxame de estudantes japoneses vestidos de alienígenas e
carregando cartazes dizendo “Levem-me ao seu líder” e “Sua espécie está
louca?” Antes, passei por adolescentes revoltados, cobertos de preto e
desfiando estatísticas sobre a quantidade de dióxido de carbono que pode
ser absorvida. E assisti um casal vestido de vaca sendo atacado pela
polícia, que o acusava de atirar pedras com seus cascos.”

Na “Folha de S.Paulo” com a seriedade e competência proverbial, o Prof.
José Carlos de Almeida Azevedo, doutor pelo MIT e ex-reitor da UnB,
publicou o artigo “Fraude e falsidade”. Nele diz:

“O livro Betrayers of the Truth — Fraud and Deceit in the Halls of Science
(Traidores da Verdade — Fraude e Falsidade nos Umbrais da Ciência), de W.
Broad e N. Wade, analisa casos de fraude e falsidade na comunidade
científica e como elas permanecem não detectadas durante anos.

“Essas observações vêm a propósito da divulgação (climategate) pela
internet de 1.079 e-mails e 79 documentos dos computadores do Centro de
Pesquisas Climáticas da Universidade East Anglia (CRU, na sigla em inglês),
órgão de referência mundial sobre o clima. A leitura de vários e-mails
robustece a antiga suspeita de que há fraude na manipulação de dados do
CRU, que sempre se recusou a revelá-los, contrariando procedimento salutar
e usual da comunidade científica.

“Até agora, nada disso foi objeto de consideração na reunião em Copenhague,
que parece cuidar mais de pancadarias e passeatas, na melhor tradição da
juventude nazista, como lembrou o visconde Monckton.

“A maior ameaça à humanidade não é o aquecimento antropogênico. Afinal, a
Terra está esfriando e se aproxima de um novo período glacial — isso é
comprovado por vários fatores, incluindo a inexistência de manchas solares,
que desapareceram há quase um ano. O que a ameaça a humanidade é a
intromissão, na vida das pessoas e das nações, de órgãos sem mandato
eletivo e de grupos econômicos, além da ONU. Eles querem nos governar e
determinar às nações o que podem fazer, quanto podem crescer e consumir e
se podem ser livres e independentes.”

E aqui o Prof. pôs, mais uma vez, o dedo na chaga. O que está acontecendo
não é científico.

Antes bem é acintosamente anti-científico.

Estamos diante de um assalto ideológico ? de uma filosofia que parecia
perimida, mas que soube se reciclar ? e que visa impor uma formidável canga
na humanidade.

O que a URSS não conseguiu eles agora tentam com cores esverdeadas que,
aliás, desbotam logo que expostas à análises científicas. Aparece então o
velho vermelho tijolo ? sem a foice e o martelo aparentes ? para ditar “às
nações o que podem fazer, quanto podem crescer e consumir e se podem ser
livres e independentes”, como observou o Prof. Azevedo.

No fim desta sexta-feira, a mídia anuncia que teria saido um acordo de
compromisso. “Copenhague: um acordo parcial ‘significativo’ mas
‘insuficiente’” diz “Le Monde”. “Casa Branca anuncia ‘significativo’ acordo
sobre o clima”, diz “The New York Times” . A “Folha online” informa que o
verdadeiro acordo ficou para 2010.

Ainda não se conhecem os termos do compactuado. Provavelmente não vão
satisfazer nem a gregos nem a troianos.

Mas, a ofensiva “verde-vermelha”, ainda que amargurando uma frustração, não
vai parar.

Afinal, para eles é uma questão de ideologia totalitária e “religião”
libertária. Estranha combinação! Mas, já tentada em países como Cuba, com
Fidel e Frei Beto de mãos dadas.

E a agropecuária brasileira está, a primeira, na mira. Que o diga a recém
lançada Campanha da Fraternidade 2010!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

COM QUANTOS PAUS SE FAZ UMA CANOA

Por Arlindo Montenegro

Há séculos, hoje sabemos, grupos de mentes delirantes, sociopatas, reuniam-se em grupos fechados, secretos, com o objetivo de dominar, submeter todos os povos do mundo sob todo poderoso e controlador de uma única autoridade, um governo mundial. Para todos o trabalho, para os controladores todas as benesses gratificantes.

A bestialidade arrogante utilizou-se das crenças, do saber científico, das inovações tecnológicas, dos assassinos de aluguel especialmente treinados, dos venenos e das armas de guerra, tudo para eliminar, extinguir com a existência dos que defendiam sua liberdade, independência, costumes e culturas.

Em nenhum momento na história humana aqueles grupos secretos deixaram de agir, infiltrar-se em todas as formas de agrupamento humano. Em nenhum momento deixaram de aliar-se aos perversos e utilizar seus serviços pagando em ouro, prata, jóias que foram juntando em tesouros, botim de guerras, metais e pedrinhas brilhantes que adotaram, convencionaram utilizar como medida de valor.

O que eram materiais arrumados para o prazer estético, dureza, resistência, maleabilidade e utilizado como atrativo para decorar templos e objetos de culto, roupagens e a cabeça das mulheres foi sendo explorado e amealhado, escondido em cavernas e mais tarde em cofres fortes, até ser substituído pelas moedas, que os guardiões dos tesouros passaram a emitir.

Tinham então o poder de comprar consciências e armas para submeter os povos que viviam em estado natural espalhados nos confins do planeta ainda em locais ainda desconhecidos. Onde chegavam com suas armas e prepotência, introduziam seus costumes e obrigavam os nativos a buscar metais e pedras, enchiam seus navios e os transportavam para suas cavernas e cofres.

“Descobriram”, dominaram e escravizaram, transformaram em colônias os povos dos continentes que batizaram como Ásia, África e Américas. Os descendentes em linhagem direta daqueles ritualistas em clubes secretos, passaram a utilizar linguagem simbólica, financiaram pesquisas científicas, promoveram mais guerras, sofisticaram o sistema de dominação.

Pouco a pouco, eliminaram os lastros convencionais do valor da moeda e espalharam papel pintado pelo mundo, onde já dominam as grandes corporações e compram a consciência de governantes solertes. Recentemente, para aprimorar seus controles, sumiram com os recursos e largaram no ventilador a fala ameaçadora de um algorento, mentiroso e mistificador.

A terra vai esquentar! Os países vão sumir! Muita gente vai morrer! Aí a gente começou a pensar: ora! Quem manda mesmo é o Criador e não esses caras aí.
Como mentira tem perna curta, na reunião onde queriam vender bugalhos por alhos, o vermelho diabo pintado de verde, o clima esfriou. Nevou!

Mas os sujeitinhos persistem na mentira. Alguns se envergonham. Outros desistem ou dão o dito por não dito. De mesmo, caem as máscaras e são revelados os propósitos deste despautério internacional. Os abestalhados exércitos de melancias, falam contra o imperialismo capitalista e querem mesmo é o governo ditatorial mundial. Os abestalhados gritam, a serviço dos nobres herdeiros das seitas secretas manipuladoras das vontades ignorantes.

Estamos no limiar de grandes mudanças sim. Mudanças bem informadas e trânsito de credibilidade. Avaliação de atitudes. Decisões que vão importar para um novo ciclo de civilização. Só esperamos que a razão e a responsabilidade sobre a vida, que depende da evolução espiritual, que depende de escolhas e muita disciplina do ser consigo mesmo, possa guiar os passos humanos.

Sabemos quem são. Sabemos que ocupam os postos de poder. Sabemos que confiamos nos discursos mistificadores. Sabemos quais as ferramentas que utilizam para submeter os povos. Sabemos que o conformismo e o silêncio ampliam a força do terror.

Aos poucos a humanidade, principalmente os mais jovens, vão abrir mão da violência mortífera e da presunção do poder. Há um poder mais forte e uma vontade mais poderosa no comando do coração de cada um. A receita utilizada até agora resulta num bolo amargo. Vamos ver as mudanças comportamentais que nos conduzam à razão responsável. À paz, valorização da vida e do trabalho.

A mensagem é desafiadora: “Amai-vos uns aos outros!” É possível! Acredite!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

TODO SANTO DIA!

Por Arlindo Montenegro

Os brasileiros recebem na cara as porradas noticiosas sobre corrupção e impunidade. Os envolvidos são políticos e empresários. Através de jornais impressos, radio, televisão, blogs, chegam notícias do Brasil inteiro, situando o País entre os mais corruptos do planeta. Êpa! O País? É assim que todos os nacionais levamos a fama dos crimes continuados, de responsabilidade dos profissionais da política, dos poderosos do primeiro escalão e seus financiadores de campanhas: bancos, empreiteiras de obras e outros governantes estrangeiros tão ou mais corruptos e ditatoriais.

Esculhambada a cultura, a ética foi para o lixo, as instituições ficaram desacreditadas e a nação perdeu o rumo. Por insistência dos que ainda acreditam em princípios e valores éticos, espirituais, diferente dos que veneram o deus dinheiro sobre todas as coisas, ainda podemos exercitar um pouco de liberdade de opinião.

Em Brasília, centro do poder e da corrupção, realiza-se uma Conferência de Comunicação, onde os radicais da ideologia marxista, babando que nem cachorro louco, defendem teses fascistas de “controle social da mídia”. Querem fazer como em Cuba, como na Venezuela, como na Argentina, todos proibidos de criticar os governantes e seus asseclas que seguem as diretrizes do Foro de São Paulo.

Corruptos e corruptores competem com o crime organizado no país inteiro.Em decorrência da corrupção falta saneamento, falta merenda escolar, falta transporte digno, faltam estradas transitáveis, falta água, os apagões causam perdas, as enchentes levam dezenas de milhares ao desespero e desamparo, a miséria no norte e nordeste persiste à falta de investimentos, balas perdidas, acidentes de trânsito e homicídios enlutam famílias, as drogas engrossam fileiras de conformistas desmiolados e nos deparamos com notícias que citam:
“O Ministério Público de São Paulo pediu a condenação da ex-prefeita Marta Suplicy (PT) por improbidade administrativa (...) em obra orçada em R$ 34,9 milhões, superfaturada, (...) autorizou "pagamentos indevidos" à OAS...”
“...ação civil pública de improbidade administrativa contra cinco funcionários da Infraero... construtoras OAS, Camargo Corrêa e Galvão, e pela Planorcon... por sobre-preço e faturamento de 145 milhões de Reais...”
“...ação civil pública por improbidade administrativa contra a Fundação José Sarney...”
“Agência Nacional de Vigilância Sanitária demora, em média, dez meses para expedir uma licença... as empresas brasileiras ficm em situação desfavorável em relação aos concorrentes estrangeiros.”
“Omenir da Cruz Cortopassi morreu em 9 de abril de 2007. Mesmo assim, o petista morto votou 2 vezes na eleição do Diretório Estadual do Rio em 2009.”
“Deputado João Magalhães (PMDB-MG) apontado como o principal operador de um esquema fraudulento que desvio R$ 700 milhões de verbas do PAC... e tem que explicar para onde foi a verba (de 300 mil Reais) “destinada a eventos patrocinados nem sequer foram de fato realizados.”
“Brasil perdoa US$ 315 milhões da dívida de Moçambique.”
“Brasil perdoa US$ 83,1 milhões de dívida da Nigéria.”
“Brasil perdoa dívida de US$ 52 milhões da dívida da Bolívia.”
“Brasil perdoa US$ 141 milhões da dívida da Nicarágua.”
“Brasil perdoa 150 milhões de dólares da dívida de Cuba e Lula empresta 450 milhões de dólares para o ditador Fidel Castro construir obras portuárias, usina de álcool combustível e um hotel...”
“OAB critica perdão de Lula à dívida de US$ 36 milhões, do Gabão.”
“Lula libera milhões de dólares para a construção do metrô de Caracas, na Venezuela.”
“Através do BNDES, Lula emprestou milhões de dólares a BOLÍVIA para a construção de uma estrada.”
“O governo gasta, anualmente, mais de 10 milhões de reais com cartões de créditos corporativos distribuídos aos ministros”
“...acordos entre a construtora Camargo Corrêa e outras empresas para fraudar licitações e superfaturar contratos de 14 obras no país...na calha do rio Tietê, na Refinaria do Vale do Paraíba, na Unidade de Tratamento de Gás de Caraguatatuba e na Usina Termoelétrica da Petrobras, em Cubatão.
nos metrôs de Brasília, Rio, Salvador e Fortaleza; duas refinarias no Paraná e uma em Pernambuco; o aeroporto de Vitória, o atracadouro de Alcântara (MA) e a BR-101...”

Tudo isto aí acima é pago com o trabalho, com os impostos, com o sangue e suor dos brasileiros, atônitos diante de tanto cinismo e palavrão, tanta mentira e roubalheira. Uma vez confiamos. Agora sabemos que eles não merecem nosso respeito nem a nossa confiança.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

CAMPANHA DA FICHA LIMPA

O endereço é: http://caranovanocongresso.blogspot.com/ - responsável pela campanha da Ficha Limpa, que reuniu 1 milhão e meio de assinaturas para um projeto lei de iniciativa popular, que o Sr. Temer engavetou. Se fosse Lei ainda este ano, nas próximas eleições não haveria lugar para a candidatura dessa gente, que responde a processos por ladroagem e outras “espertezas”.

A lei atual, permite que os acusados por crimes diversos se elejam e reelejam, sem dificuldade. Entre os que estão no Congresso, contam-se sete mensaleiros, cinco sanguessugas e envolvidos em escândalos diversos, como o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, acusado de corrupção e de quebrar o sigilo bancário do caseiro que o denunciou e hoje amarga a corda rebentada no lado do fraco.

Eles voltam ao Congresso, porque a legislação que eles mesmos fizeram é indulgente e se protegem com imunidade, foro privilegiado e saídas jurídicas de interpretação das Leis para beneficiar privilegiados. Vale ainda o espírito corporativo que mobiliza os parlamentares. Na última legislatura, a Câmara absolveu onze deputados flagrados no mensalão.

Os analistas e juristas de renome, recomendam que se endureça a legislação eleitoral, para que os envolvidos em crimes sejam proibidos de se candidatar. Defendem ainda, a adoção do voto distrital, em que as listas de postulantes são circunscritas a pequenas regiões, o que diminui a chance de candidatura de figuras suspeitas e bizarras e estreita o vínculo do eleitor com o candidato.

É preciso encontrar alguma para impedir que estes senhores voltem ao Congresso. Ficha Limpa neles! Enquanto não temos a Lei, podemos fazê-la valer, divulgando à exaustão os nomes e “pecados” dos prováveis postulantes, dos que são indignos do voto cidadão. Podemos ainda levantar e divulgar os nomes de governadores, deputados estaduais, prefeitos e vereadores pendurados em processos judiciais. A lista básica, ponto de partida é:

JOSÉ GENOÍNO, Deputado (PT-SP). Acusações – Ser um dos chefes do mensalão e avalizar os empréstimos fajutos do lobista Marcos Valério para o PT.
VALDEMAR COSTA NETO, Deputado (PL-SP). Acusações – Chefiar o mensalão no PL, desviar dinheiro da prefeitura de Mogi das Cruzes e tentar comprar votos durante a última eleição.
JOÃO PAULO CUNHA, Deputado (PT-SP). Acusações – Integrar a quadrilha dos mensaleiros e receber 50 000 reais do valerioduto.
JOSÉ MENTOR, Deputado (PT-SP). Acusações – Participar do mensalão e receber 300 000 reais de um doleiro em 2004, em troca da exclusão do nome do meliante do relatório da CPI do Banestado.
ANTONIO PALOCCI, Deputado (PT-SP). Acusações – Desviar recursos públicos destinados à coleta de lixo de Ribeirão Preto no período em que foi prefeito. Ordenar a quebra ilegal do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa.
PAULO MALUF, Deputado (PP-SP). Acusações – Desviar recursos de obras públicas durante sua gestão como prefeito de São Paulo (1993-1996) e enviar ilegalmente o dinheiro roubado para contas no exterior.
JADER BARBALHO, Deputado (PMDB-PA). Acusações – Desviar dinheiro do Banco do Estado do Pará, da Sudam e da reforma agrária.
FERNANDO COLLOR, Senador (PRTB-AL). Foi o principal beneficiário do esquema de corrupção montado pelo empresário PC Farias, o que o levou a deixar a Presidência da República.
PEDRO HENRY, Deputado (PP-MT). Acusações – Receber e distribuir mensalão no PP e participar da máfia dos sanguessugas.

Vamos lembrar também outros, entre os que ficaram conhecidos como “os 40 os ladrões” de dinheiro público que estavam encastelados no governo do PT, integrando uma "sofisticada organização criminosa", que se especializou em "desviar dinheiro público e comprar apoio político", com o objetivo de "garantir a continuidade do projeto de poder" do PT e de socialismo do Foro de São Paulo.

José Dirceu – deputado cassado do PT e ex-ministro da Casa Civil. Formação de quadrilha, peculato e corrupção ativa
Delúbio Soares – ex-tesoureiro do PT. Formação de quadrilha, peculato e corrupção ativa.
Silvio Pereira – ex-secretário-geral do PT. Formação de quadrilha, peculato e corrupção ativa.
Luiz Gushiken - Ex-ministro da secretaria de Comunicação e Gestão Estratégica e quadro do PT. Peculato
Henrique Pizzolato – Ex-diretor do Banco do Brasil e membro do PT. Pecultado, corrupção passiva, lavagem de dinheiro.
Paulo Roberto Galvão da Rocha – Deputado federal (PT-PA)
Lavagem de dinheiro
Anita Leocádia Prestes – Ex-assessora de Paulo Rocha. Lavagem de dinheiro.
Professor Luizinho – Ex-deputado (PT-SP). Lavagem de dinheiro.
João Magno – Ex-deputado (PT-MG). Lavagem de dinheiro.
Pedro Corrêa – Deputado cassado (PP-PE)
Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro.
José Janene – Ex-deputado (PP-PR). Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro.
João Cláudio Genu – Ex-assessor do PP na Câmara. Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro.
Jacinto Lamas – Ex-tesoureiro do PL (hoje PR). Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro.
Antônio Lamas – Ex-assessor da liderança do PR. Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro.
Bispo Rodrigues – Ex-deputado do PR-RJ. Corrupção passiva, lavagem de dinheiro.
Roberto Jefferson – Deputado cassado do PTB-RJ. Corrupção passiva, lavagem de dinheiro.
Emerson Eloy Palmieri – Tesoureiro do PTB. Corrupção passiva, lavagem de dinheiro.
Romeu Queiroz – Ex-deputado (PTB-MG). Corrupção passiva, lavagem de dinheiro.
José Rodrigues Borba – Ex-deputado (PMDB-PR). Corrupção passiva, lavagem de dinheiro.
Anderson Adauto – Ex-ministro dos Transportes. Corrupção ativa, lavagem de dinheiro.
José Luiz Alvez – Ex-chefe de gabinete de Anderson Adauto. Lavagem de dinheiro.

Divulgue, multiplique, aja!

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

TAPANDO O SOL COM PENEIRA

Por Arlindo Montenegro

No que diz respeito aos interesses brasileiros, na Conferencia do Clima que se realiza em Copenhague, fica o convite para o debate promovido pela TV Bandeirantes no dominical Canal Livre. Apenas um comentário: um único dos convidados pretende tapar o sol com a peneira. Meia duzia refletem a realidade dos interesses globalitários de freiar o desenvolvimento dos não desenvolvidos.

A manipulação política, a mentira, os prejuízos para a credibilidade científica, ficam expostos, bem como a implicação para a economia Brasileira e de países como a India e a China.

Vejam pois o programa em 6 blocos: http://www.band.com.br/canallivre/videos.asp

Lá na fria Dinamarca, nada mudou: o relatório do IPCC é a palavra de ordem para nortear os destinos do uso de energia no planeta. E em Hollywood, os caras da academia ja falam em retirar a estatueta do Oscar concedido a Al Gore.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A AÇÃO DOS INCAPAZES

Por Arlindo Montgenegro

Alguns traços culturais são inequívocos no Brasil: a incapacidade dos representantes eclesiásticos para reforçar a fé catequética e manter o rebanho unido; a incapacidade acadêmica para manter a ética humanística; a incapacidade política para elaborar um código mínimo de princípios e valores objetivos domésticos; a incapacidade dos empresários para defender a livre iniciativa dos assaltos do estado, cada dia maior e mais controlador.

O santo dogma da redemocratização tem um sentido pernicioso, visto por poucos observadores como malabarismo semântico, implantado pelos defensores da Nova Ordem Mundial. O objetivo da redemocratização é político. O objetivo de construir uma democracia tem características culturais, filosóficas, morais, educacionais, apoiadas no desenvolvimento econômico independente, livre das peias do estado controlador.

A Europa acaba de sacramentar o tratado de Lisboa. Os 27 estados da União Européia, passam a ser províncias, que indicam um representante ao Parlamento Europeu, um representante não eleito, mas escolhido pelos políticos “provinciais” no turno do poder. O super estado tem um super primeiro ministro, indicado, não eleito. E uma super ministra de relações exteriores que cuida também das políticas de segurança. Zero democracia participativa. O povo que integra as nações não apita sobre seu destino. O modelo é ditatorial.

Macaqueando a revolução política e econômica da Nova Ordem Mundial, a debilitada mente revolucionária dos americanos latinos, onde as gentes são bombardeadas pela propaganda para acreditar em partidos e políticos personalistas, tem sido desfigurada culturalmente. Já conta com o seu Parlatino, embrião da futura super união totalitária continental.

Melando mais o ambiente, os governantes (ex guerrilheiros e sócios do Foro de São Paulo na quase totalidade) ainda enfrentam outra proposta transnacional, a Alba do guerreiro armamentista Chávez, cujos métodos truculentos e corruptos têm submetido países como o Equador, Nicarágua e Bolívia, insinuando-se agora para o Uruguai.

Para o futuro, entre os blocos de países continentais seguindo este modelo, - europeus, asiáticos, norte americanos, latino americanos, africanos – viveremos num mundo bem delimitado, cada país uma província produtiva a serviço de uma estrutura transnacional, esta sim, com o poder de negociar e unir-se na forma de um super governo mundial.

Sem escolha, sem saída, sem alternativas para os que se identificam com uma nação pátria. Perdida a pátria, perdida a história, perdida a cultural, perdida a religião ancestral. A nova identidade de portugueses, franceses, italianos, etc. hoje está no passaporte da União Européia, com o patronímico “europeu”.

A gente da nação Brasil, com um índice de desenvolvimento humano (IDH) situado em 75, iludida na crença de um país alimentado por mentiras, tem 75% da malha rodoviária em precárias condições. Os governantes abandonaram os projetos ferroviários e hidroviários em benefício do petróleo. Também ocupa o 75º. lugar entre os mais corruptos do planeta. E o índice de homicídios é de 26, por cada 100 mortes. Em contraposição no Chile, registra-se 1.9, na Argentina 5.2, nos cenários de guerra na Palestina 4.0.

Em cenários diferentes na Europa e na Ásia, a iniciativa privada livre, contando com investimentos em educação e utilizando amplamente a tecnologia resultante da pesquisa científica, alcançou melhores índices de produtividade o que garantiu menores custos e melhores condições de vida às populações envolvidas. Nosso benefício veio da necessidade de competir com aqueles mercados. E de investimentos externos para explorar o trabalho e as matérias primas com baixo custo.

Os governantes interferem e neste ano de 2009 estamos pagando UM TRILHÃO E 100 BILHÕES de impostos! Pagando ao estado que nos obriga a pagar pelos serviços de saúde, pela educação, pelos pedágios que mantêm algumas rodovias, pela segurança com grades, muros e vigilância eletrônica, pela manutenção das ruas, da iluminação pública, pela gasolina dos carros de polícia, pela segurança privada...

Tudo amputando os benefícios da economia gerada pela iniciativa privada, em benefício do estado corrupto e corruptor, que cobra valores por serviços que não presta aos pagantes. Os nacionais, são empurrados para os currais da Nova Ordem Mundial. E até o momento temos sido incapazes, tanto quando os partidos, igrejas, associações, políticos, acadêmicos... de gerar uma alternativa diferente das guerras e da escravidão.

Ref.: Midia sem Mascara e Boletim do Instituto Federalista

sábado, 12 de dezembro de 2009

GUERRA VERDE

Por Arlindo Montenegro

Os analistas de política e economia pelo mundo afora, estão voltados para o escandaloso e brutal propósito do maior e mais bem organizado grupo político-ideológico do planeta, os Bilderberger, que impuseram ao mundo a falseta do aquecimento global em virtude da emissão do gás carbônico derivada das ações humanas: fábricas, carros, queimadas.

A teoria do aquecimento global tem 113 anos apoiados em observações e documentação científica imunes à controvérsia. A partir de Londres e dos escritórios políticos da revolucionária ONU, um grupo de cientistas, inchado por analistas da mídia, todos pressionados e cativados (pagos) por ONGs e Fundações políticas, em alguns anos, conseguiram desconsiderar o trabalho secular, falsificar dados, modificar critérios de análise, tudo para criar a teoria terrorista do clima, amplamente difundida em todo o mundo.

O que essa gente que controla, domina as mentalidades de governantes, acadêmicos e mídia quer de fato, é provocar guerras e um genocídio rápido que reduza a população do planeta em 1/3 nos próximos quarenta anos. Querem sacramentar a estratégia política de um grupo que influi poderosamente sobre todos os eventos sociais, políticos e econômicos do planeta.

Querem impedir o desenvolvimento de países como o Brasil, preservando as riquezas biológicas e minerais intocadas, como reserva para a futura exploração dos “desenvolvidos”. A informação é de políticos, respeitáveis cientistas e estudiosos destas manobras, até há pouco tempo quase secretas e esotéricas.

Até gazes dos homens e dos bois foram citados como fatores do aquecimento global. O Brasil como exportador de carnes teria de estagnar ou reduzir seu rebanho. Nada de desmatamento. Nada de churrasco. E a turma que vive em lugares frios e acende fogões de lenha e lareiras que se cuide: será gravada com impostos impagáveis por determinação da autoridade internacional.

Melou! Mesmo assim desmascarados, os donos do mundo querem impor cotas de emissão de gás carbônico, o gás que garante a vida e alimenta a vegetação do planeta. A quase totalidade da produção de CO2 é natural, ligada ao aquecimento dos mares e a atividade do sol.

Mas quando eles pensam, quem provar o contrário é herege. Desmascarados, os revolucionários terroristas ambientais persistem no propósito de controlar as emissões de CO2 pelo homem, direcionando as atividades produtivas à estagnação ou regressão. Para o conseqüente desespero dos povos preparam a aplicação de sanções mortíferas, com interferência dos guerreiros “humanos” (guerra é paz, diz Obama) para controlar os famintos, exterminando-os!

O negócio político do momento, o CO2! Embora se comprove, que a minúscula quantidade produzida pela ação humana tem peso insignificante na massa natural desse gás, a mentira continua sendo repetida e repetida. As mudanças climáticos e catástrofes naturais caracterizam a vida na terra. Mas o dirigente das pesquisas do IPCC, Michael Mann, falseando dados, impôs a teoria do “taco de golfe”, providenciando com sua equipe, ONGs e analistas, que os cientistas contrários ficassem de bico calado, sem acesso às publicações especializadas ou à mídia.

Logo os governantes obedientes ao plano Bilderberber, multiplicaram astronomicamente as verbas destinadas aos estudos do clima, contemplando os projetos obedientes às diretivas do IPCC. Reforço para a mentira e para a propaganda terrorista.

A molecagem de Mann foi desmoralizada, a pressão política e midiática suportou e foi centralizada nos cientistas que se submetiam à chantagem dos controladores e provedores de recursos para as pesquisas. A política passou a dominar as conclusões “científicas”. E são essas conclusões falsas e manipuladas pelo IPCC da ONU, os documentos formais para as grandes decisões em curso na reunião de Copenhague.

Os princípios científicos foram desmoralizados com a injeção de bilhões de dólares dobrando a consciência dos que “buscam a verdade”. Uma “verdade” diferente da experiência histórica humana. Uma “verdade” alheia aos movimentos naturais. Uma inversão da verdade, que justifica a estréia dos mecanismos de controle da nova ordem mundial: reinvenção do carro de bois-nações, tocadas no ritmo e direção conveniente.

A velha vara de tocar gado foi substituída pelos olhos nos satélites e pelos saldos e créditos bancários. Como revela a equipe do “Verde, a nova cor do comunismo”, a conferência sobre o clima está dominada por “golpes de propaganda ideologia e ‘religião’... pode não chegar a nenhum resultado prático... uma declaração de princípios para paliar a falta de compromissos juridicamente vinculantes.”

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

COPENHAGUE : “FASCISMO CLIMÁTICO”



De: "Verde: a cor nova do comunismo"



Uma delegação de congressistas republicanos viajará a Copenhague, para
deixar bem claro às delegações presentes que seu grupo não avalizará
qualquer promessa do presidente Obama com relação ao controle de gases
estufa.

A notícia foi difundida pela Fox News e ecoada, entre outros pelo diário
espanhol “El Mundo”.

O porta-voz do grupo deputado James Sensenbrenner fez o anúncio em
Washington . Os republicanos estão em minoria no Congresso. Porém, a
vertiginosa perda de popularidade do presidente Obama deixou inseguros os
congressistas democratas. O resultado é que o presidente não pôde aprovar
as medidas demagógicas que imaginava ter prontas para a Cúpula de
Copenhague.

Nesse contexto de divisão entre democratas, os republicanos mostraram-se
hábeis em bloquear as promessas do presidente.

Além disso a opinião pública americana acredita cada vez menos no
“aquecimento global antropogênico”.

A empresa de sondagens Pew constatou em outubro que a percentagem de
americanos que acredita no aquecimento global caiu de 71% para 57% desde
abril de 2008. Mais importante ainda: só 36% acredita que esse aquecimento
se deva à atividade humana.

“Não há como negá-lo: estamos perdendo. A negação da mudança climática está
se espalhando como uma doença contagiosa”, comentou George Monbiot,
ambientalista e colunista do "The Guardian" de Londres, a respeito das
enquetes negativas para o alarmismo.

As reações do público dos EUA contra o alarmismo climático mostram-se muito
“quentes” e a resistência pode ser feroz.

Sensenbrenner vai para esclarecer aos líderes mundiais reunidos na capital
Dinamarquesa, que o Congresso americano não apoiará lei alguma pela redução
dos gases estufa enquanto não acabe o que ele qualificou de “fascismo
científico”.

O deputado escreveu ao presidente do Painel Intergovernamental sobre
Mudanças Climáticas (IPCC), Rajendra Pachauri, exigindo que a Conferência
evite utilizar trabalhos dos cientistas envolvidos no Climagate. Para
Sensenbrenner ficou claro que os dados científicos foram distorcidos.

Mas, para Rajendra Pachauri não há como atender o pedido republicano sem
esvaziar o conteúdo dos relatórios preparados para a Cúpula do clima.

Por sua vez, o parlamentar republicano Mike Pence, disse nesta terça-feira
que Obama deveria evitar as promessas em Copenhague. “Sr. Obama, não faça
em Copenhague promessas que nós não poderemos cumprir”, advertiu.

“Mas vale cair com Minas do que cair em Minas”... diz a velha sabedoria
mineira. Obama terá inteligência para perceber tudo o que isso significa?
Ou o fanatismo alarmista cegá-lo-á na hora decisiva de falar?

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

A CHANTAGEM SOBRE O CLIMA

Por Arlindo Montenegro

No endereço http://ecologia-clima-aquecimento.blogspot.com/ você pode seguir e entender tudo sobre blefes, mentiras, corrupção, em fim sobre a chantagem dos que desejam controlar o mundo. Abaixo estão algumas afirmações e interrogações essenciais da entrevista do Professor Luiz Carlos Molion, representa a América Latina na Organização Meteorológica Mundial reproduzida naquele blog:

“Desde 1999, o Oceano Pacífico esfria. Hoje, não só monitoramos os oceanos, mas existem mais de 3.200 boias à deriva e mergulhadoras. Elas mergulham até 2.000 metros de profundidade, se deslocam com a corrente marinha e nove dias depois elas sobem, e passam os dados para o satélite.”

“Esse sistema mostra que os oceanos, de maneira geral, estão esfriando nos últimos seis, sete anos. E, nos últimos 10 anos, a concentração de CO2 continua subindo.O clima hoje deixou de ser um problema científico, ele é um problema político-econômico.”

“Para os países subdesenvolvidos e emergentes, excetuando-se o Brasil, reduzir significa gerar menos energia elétrica. Em muitos países só tem carvão mineral e petróleo para gerar energia. Eu não quero dizer com isso, que nós devemos sair por aí depredando o meio ambiente, tem que haver mudanças de hábito de consumos, mas as emissões de carbono não são o caminho correto.”

“Não existem consensos na ciência, ciência não é política, é experimentação. Consensos são políticos, cientificamente eles não existem, cientificamente existem experimentações.”

“Existe uma trama por detrás disso tudo. Países como os do G7. Eles já não dispõem de recursos naturais, recursos energéticos. Por outro lado, eles não querem perder a hegemonia.”

“Quando você olha para os livros didáticos das crianças, diz lá que o homem está destruindo a camada de ozônio, que a Terra está se aquecendo, que o nível do mar vai subir... Isso está errado!”

“O que nós estamos fazendo? Educação ou lavagem cerebral? Na minha opinião, olhando todos os indicadores climáticos, nós vamos ter um resfriamento climático nos próximos vinte anos. O que vai acontecer com essa criançada quando eles perceberem que, ao invés de aquecer, está esfriando, e que esse esfriamento é muito pior para a humanidade?”

“Somos ainda muito dependentes dos combustíveis fósseis. Acho que vai ter muito discurso em Copenhague, vão fazer muitas promessas, mas são só demagógicas. Não tem como cumprir essas metas. Se você olhar o Protocolo de Kyoto, a Europa não reduziu absolutamente nada, ao contrário.”


“Conversa é conversa, na prática, não há como fazer isso. À medida em que a população aumenta, há a necessidade de mais energia elétrica, se a gente quiser incluir esse pessoal em uma sociedade que viva adequadamente.”

Na sequência a palavra dos que defendem o ecoterrorismo e a ditadura comunista globalitária na reunião de Copenhague, os mesmos que aprovam a eliminação, homicídio de 1/3 da população do planeta, um genocídio cirúrgico para satisfazer as ambições de poder satânico de uns poucos coroados, banqueiros e políticos”.

O presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, IPCC, Rajendra Pachauri, apareceu nas páginas do jornal londrino “The Observer” exigindo mudanças radicais no estilo de vida ocidental para “evitar um desastre global”, mudanças para um “regime de vida miserável para as populações, semelhante à miséria soviético-cubana, ou à miséria místico-religiosa dos faquires da Índia aplicada à nova religião ecoterrorista.

Pachauri, indica uma radical mudança de filosofia de vida. Um sistema de valores baseado no “consumo sustentável”, com a redução drástica de vôos utilização de automóveis, comer menos carne (adeus churrasco!), controlar o consumo de eletricidade até nos hotéis, reduzir o serviço de água gelada nos restaurantes... e na continuidade o critério será aplicado para “os locais públicos, de trabalho, e por fim, para a intimidade do lar. Sempre com pesados impostos e taxas!

“Acho que (...) os adultos foram corrompidos por causa dos caminhos que percorremos há anos.” Um argumento estranho ao mundo científico. Como diz a página de onde foi resumida esta informação,(endereço acima) “verde é a nova cor do comunismo”. Lá se encontram depoimentos que caracterizam as cores que identificam Bin Laden e outras figurinhas carimbadas, bem ao lado dos chanatagistas que nem Al Gore.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

LULA, FILHO ABESTADO DO BRASIL!!!...

Por Aileda de Mattos Oliveira
Prof.ª Dr.ª de Língua Portuguesa
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)


Chega-nos ao conhecimento mais uma demonstração de desequilíbrio psíquico do pífio representante da nação brasileira. A partir de sua ascensão, foram-se perdendo valores que cultivávamos como habituais normas de conduta. Essas mudanças são consequências das alterações semânticas, aceitas pelos órgãos jornalísticos, hoje, também, pouco afeitos à limpidez das ideias.

Tais alterações são produtos dos erros de raciocínio e da falta de intimidade vocabular, que a incontinência verbal do senhor feudal, pela repetição, torna-as vernaculares. Tudo isso, aliado à esperteza de um espírito pusilânime, tem o poder de corromper os alicerces de todos os poderes da República.

Se a mentira passa à verdade; se o corrupto contumaz deve ser respeitado por não ser um homem comum; se uma organização terrorista, que inferniza os trabalhadores rurais, torna-se uma instituição lutadora em defesa dos direitos dos sem-terra, é transformar os antônimos negativos em palavras representativas de uma nova ética em curso.

Para que se consuma o novo dicionário da sordidez política brasileira, necessário se torna conhecer, a fundo, em todas as dimensões, o seu autor, personagem central de sua própria propaganda político-eleitoreira. O autoendeusamento torna-o réu confesso do desequilíbrio de que acima nos referimos. Considerar-se a si próprio Filho do Brasil, é exigir a legítima paternidade, a um país que já sofreu todos os vexames do filho que não passa de um bastardo.

Como se não bastassem as ofensas de sua diplomacia, ofende-se mais ainda a nação, anunciando a sordidez de cobrar do país a herança que acredita ter direito e pretende obtê-la, através da delegação de poderes de seus iguais, nas urnas em 2010. É mais uma indenização cobrada ao país, considerado culpado pelo filho ilegítimo, pela tendência inata de sua família, de não ter vocação para o trabalho.
O filme que ilustra a vida do responsável pela obra de estropiamento da língua, "coincidentemente" será levado à exibição em 1º de janeiro de 2010.

Regredimos ao populismo desenfreado do brizolismo e percebemos, claramente, a existência de dois Brasis: o que trabalha e estuda para o desenvolvimento nacional e o que vive de estelionato político, sorvendo os impostos pagos pelo primeiro dos Brasis.

Em toda imoralidade, encontra-se a logomarca da Globo, que não pode perder dividendos, mesmo que seja patrocinando um retorno aos filmes da velha fase macunaímica da miséria colorida. Não há outro digno representante desse (para mim) repugnante personagem (Macunaíma) da baixa estima brasileira, criação de Mário de Andrade, que o etílico Lula.

Alguém da escória da personagem do filme em questão deve ter sido o idealizador do título e da narrativa.

O embriagado de álcool e de poder tomou posse do Brasil e está alijando, aos poucos, a parte consciente da sociedade, mas ainda sonolenta, para os esconsos vãos que se tornarão guetos dentro em pouco, se não tomarmos uma veemente atitude.
Já imagino esse filmeco sendo veiculado no agreste, nos sertões, arrebanhando os ingênuos e estimulando-os ao analfabetismo, à bebida e à rebelião. A pressão para um conflito entre brasileiros está se fazendo prenunciar no horizonte.

Esta indecência de filme, se consentirmos, se não reagirmos, se não clamarmos contra a mídia que lhe dará vida,poderá servir de estopim para tomadas de posição sérias que não vão deixar de fora a guarda particular do ébrio presidente: o MST.

Como dizem os traficantes do Rio, "está tudo dominado". Eles sabem o que dizem, infelizmente. Tudo está dominado, porque está corrompido pelo dinheiro fácil em troca da traição e da sabotagem.

Apenas por patriotismo, sem levarmos nenhuma vantagem, porque pertencemos a outro grupamento ético, que não leu o glossário lulista, sabotemos o filmeco do "palhaço de Garanhuns", desde já, para que, no ato da divulgação, caia no ridículo o Filho bastardo do Brasil, que bem poderia ser o Filho de outra coisa que já sabemos o que é.
Embora não pareça, o caldeirão da divisão de classes já começou a esquentar. Como não tem a coragem de seu comparsa Chávez e é um poltrão como o Zelaya, usa desses artifícios ultrapassados, mas que caem como uma luva sobre a multidão de ignorantes do interior do país.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

FAXINA! CAMPANHA DA FICHA LIMPA

Precisamos gente do bem que nos represente de fato no Congresso Nacional?

Precisamos mandar prá cadeia quem nos rouba e ri na nossa cara?

Precisamos uma Justiça ágil em defesa dos deveres e direitos de todos?

Preferimos ter deputados e senadores capazes e honestos, incorruptíveis? Precisamos de “cara limpa com ficha limpa” no Governo, no Congresso, nas Assembléias, nas Prefeituras?

Se você respondeu sim às perguntas acima, chegou a hora de ajudar na faxina.

Cartas, email, divulgação, banner, panfletos,boca a boca, bilhetinho no quadro de avisos... vale tudo para forçar os congressistas a votar o PROJETO DE LEI – PL 518/09
É um projeto de INICITIVA POPULAR que já conseguiu UM MILHÃO E TREZENTAS MIL ASSINATURAS de brasileiros como você, que têm vergonha das instituições políticas sempre nas mãos das mesmas figurinhas carimbadas.

Sabe? Aqueles velhos colecionadoras de processos judiciais que nunca andam e eles voltam a eleger-se, comprando votos com muito dinheiro roubado das empresas e dos impostos pagos por todos os cidadãos? FAXINA! CARA LIMPA, FICHA LIMPA! Vamos entupir os computadores e as caixas de correio exigindo que votem e aprovem o PL 518/09 que o Presidente da Câmara, Michel Temer, do PMDB engavetou.

O cidadão de bem tem uma saída! Exigir que mudem a lei para poder limpar a política. O projeto de iniciativa popular já está no Congresso, com 1,3 milhões de assinaturas, coletadas pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) com o objetivo de barrar a permanência ou entrada na política dos chamados “Fichas Sujas”.

Para enviar mensagens de apoio ao Projeto de Lei a TODOS os parlamentares e continuar acompanhando as notícias o endereço eletrônico é:
http://www2.camara.gov.br/canalinteracao/faledeputado

SUGESTÃO DE MENSAGEM:
Exmo. Sr(a) ... “Prezado Parlamentar:
Como cidadão e participante ativo da vida política de nosso País e integro-me ao clamor dos 1.300.000 cidadãos que assinaram e apoiam o Projeto de Lei de Iniciativa Popular sobre a Vida Pregressa dos Candidatos, projeto este que vai tramitar sob o nº. 518/09 na Câmara Federal.
Solicito a V. Exa., na qualidade de meu representante, que busque a célere tramitação e a devida aprovação deste Projeto, que estabelece objetivamente critérios de inelegibilidade, com o intuito de moralizar o processo eleitoral e restabelecer a importância e seriedade das instituições políticas de nosso País. Este Projeto, fruto da mobilização popular, espelha, como já dissemos, o clamor e o anseio do povo brasileiro, do qual V. Exa. é representante.
Certo de poder contar com sua nobre representação - assim cumprindo a missão para a qual V. Exa. foi eleito(a).
Atenciosamente, ...

Pronto, assim você já contribuiu para a aprovação do Projeto! O PL 518/09 precisa ser aprovado até junho de 2010 e pode informar-se mais visitando o link abaixo: http://www.mcce.org.br/ (VEja no site o vídeo da campanha, baixe e divulgue)

domingo, 6 de dezembro de 2009

TRINTA ANOS DE LULA: OS HOMENS ADMIRÁVEIS

Por Reinaldo Azevedo, quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Os trechos que vocês lerão em vermelho (sublinhados neste post) são fortes, sim. Não fosse o Brasil, hoje, amigo de todas as ditaduras que há no planeta; não tivesse o governo Lula estendido o tapete vermelho para o um delinqüente como Mahamoud Ahmadinejad, censurado na ONU uma semana depois, com os votos de Rússia e China, mas sem o voto do Brasil; não tivesse flertado o Itaramaty, por vias oblíquas, até com o terrorismo das Farc, e a fala de Lula de 30 anos atrás não teria relevância. Mas, infelizmente, tem. Vamos lá.
(…)
Playboy – Há alguma figura de renome que tenha inspirado você? Alguém de agora ou do passado?
Lula [pensa um pouco]- Há algumas figuras que eu admiro muito, sem contar o nosso Tiradentes e outros que fizeram muito pela independência do Brasil (…). Um cara que me emociona muito é o Gandhi (…). Outro que eu admiro muito é o Che Guevara, que se dedicou inteiramente à sua causa. Essa dedicação é que me faz admirar um homem.
Playboy – A ação e a ideologia?
Lula – Não está em jogo a ideologia, o que ele pensava, mas a atitude, a dedicação. Se todo mundo desse um pouco de si como eles, as coisas não andariam como andam no mundo. (…)
Playboy – Alguém mais que você admira?
Lula [pausa, olhando as paredes] - O Mao Tse-Tung também lutou por aquilo que achava certo, lutou para transformar alguma coisa.
Playboy – Diga mais…
Lula – Por exemplo… O Hitler, mesmo errado, tinha aquilo que eu admiro num homem, o fogo de se propor a fazer alguma coisa e tentar fazer.
Playboy – Quer dizer que você admira o Adolfo?
Lula – [enfático] Não, não. O que eu admiro é a disposição, a força, a dedicação. É diferente de admirar as idéias dele, a ideologia dele.
Playboy – E entre os vivos?
Lula [pensando] – O Fidel Castro, que também se dedicou a uma causa e lutou contra tudo.
Playboy – Mais.
Lula – Khomeini. Eu não conheço muito a coisa sobre o Irã, mas a força que o Khomeini mostrou, a determinação de acabar com aquele regime do Xá foi um negócio sério.
Playboy – As pessoas que você disse que admira derrubaram ou ajudaram a derrubar governos. Mera coincidência?
Lula [rápido] – Não, não é mera coincidência, não. É que todos eles estavam ao lado dos menos favorecidos.(…)
Playboy – No novo Irã, já foram mortas centenas de pessoas. Isso não abala a sua admiração pelo Khomeini?
Lula – É um grande erro… (…) Ninguém pode ter a pretensão de governar sem oposição. E ninguém tem o direito de matar ninguém. Nós precisamos aprender a conviver com quem é contra a gene, com quem quer derrubar a gente. (…) É preciso fazer alguma coisa para ganhar mais adeptos, não se preocupar com a minoria descontente, mas se importar com a maioria dos contentes.
Voltei
Que coisa, não? O único do grupo que não é um facínora, um assassino contumaz, um homicida frio, é Gandhi. Mas Gandhi, convenham, é a Portuguesa de Desportos das figuras ilustres da humanidade. Se a Portuguesa está em campo, e o adversário não é o nosso time, a gente torce pra quem?
Os outros… A referência a Hitler se presta a uma ironia sinistra: “O Hitler, mesmo errado, tinha aquilo que eu admiro num homem, o fogo de se propor a fazer alguma coisa e tentar fazer”. Sem dúvida, o homem era o senhor do fogo…
Lula mudou? Digamos que alguns facínoras foram acrescentados à sua galeria: Ahmadinejad, Khadafi, Omar Hassan Ahmad al-Bashir (o genocida do Sudão)… Fidel, bem…, a múmia, rejeitada até pelo diabo, continua objeto de culto…
De todas as admirações, esta que diz pouco se importar com ideologia é, sem dúvida, a mais perigosa. Afinal, 30 anos depois daquela entrevista, indagado se não se incomodava em receber Ahmadinejad, que nega o holocausto dos judeus, promovido por Hitler – aquele que “tinha o fogo de se propor a fazer alguma coisa”, Lula respondeu:
“Muito pelo contrário. Não estou preocupado com judeus nem com árabes. Estou preocupado com a relação do estado brasileiro com o estado iraniano. Temos uma relação comercial, queremos ter uma relação política”.
O sindicalista, como se vê, era mesmo o pai do presidente.

LULA, O SEXO, OS ANIMAIS E AS VIÚVAS quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Vocês sabem: fim de ano é hora de jogar fora papel velho, livros de auto-ajuda que lhe mandam na suposição de que você precise deles, jornais e revistas que vão ficando pelo caminho. E eis que me deparo com algo tornado também histórico: a entrevista de Lula à revista Playboy em 1979. TRINTA ANOS ESTA TARDE!
Pena não ser possível digitar tudo. Sabem aquela máxima de Wordsworth que vivo citando aqui, “o menino é o pai do homem” (depois “popularizada” por Machado de Assis)? Pois é… O sindicalista era o pai do presidente. Vou brindá-los com alguns trechos que revelam o, digamos, espírito do homem por dentro daquela figura pública mítica que começava a se plasmar ali.
Lula tinha, então, 34 anos e era visto por parte da esquerda como a grande novidade da política — uma liderança genuinamente operária. Outra parte torcia o nariz e rejeitava o que lhe parecia individualismo excessivo, falta de “consciência de classe” (risos), despolitização, flerte com o populismo etc. Eu tinha 18 anos à época, militava numa organização trotskista e o considerava um verdadeiro violador dos princípios da classe operária… Bem, já contei para vocês como eu e o mito Lula nunca nos demos: antes, eu era esquerdista demais para suportá-lo; depois, acho que virei democrata demais…
Na entrevista, como não poderia deixar de ser, Lula fala sobre sexo também. Destaco um trecho:
Playboy - Com que idade você teve sua primeira experiência sexual?
Lula - Com 16 anos.
Playboy - Foi com mulher ou com homem?
Lula (surpreso) - Com mulher, claro! Mas, naquele tempo, a sacanagem era muito maior do que hoje. Um moleque, naquele tempo, com 10, 12 anos, já tinha experiência sexual com animais… A gente fazia muito mais sacanagem do que a molecada faz hoje. O mundo era mais livre…
Comento
Evito comentar. Não considero o trecho propriamente político. Apenas relevo que, dada a pergunta, a resposta-síntese é esta: “Nem com mulher nem com homem”. Vamos a outro trecho. Este, com efeito, apela a algumas instâncias um tanto mais graves da vida pública.
Referindo-se a seu passado, Lula conta que já era viúvo e costumava sair da casa de uma namorada no começo da madrugada. Andava de táxi (!!!). Sempre o mesmo. O motorista lhe contara que o filho fora assassinado ainda muito jovem e que sua nora prometera jamais se casar. Pressuroso e solidário, Lula pensava — segundo ele próprio confessa: “Qualquer dia eu vou papar a nora desse velho…”. Agora sigo com Lula, entre aspas:
“Nessa época, a Mariza apareceu no sindicato. Ela foi procurar um atestado de dependência econômica para internar o irmão. Eu tinha dito ao Luisinho, que trabalhava comigo no sindicato, que me avisasse sempre que aparecesse uma viúva bonitinha. Quando a Marisa apareceu, ele foi me chamar”.
Comento
Entendeu, leitor amigo? Era morrer um representante da “craçe trabaiadora”, Lula estava ali, preparado, para “papar” a carente mulher do defunto. Se eu fosse esquerdista, construiria aqui um raciocínio demonstrando que Lula cresceu sobre os cadáveres da classe operária. Mas eu não sou. A abordagem que me interessa é a do caráter dos indivíduos. Então afirmo que Lula abusava de sua posição institucional, política, para obter uma vantagem que era, convenham, absolutamente individual. E isso expõe a diferença entre individualismo e oportunismo.
Que outro brasileiro teria sobrevivido politicamente à confissão de que usava o sindicato para “papar” a mulher de companheiros mortos? Lula sobreviveu. E se tornou um mito. Não sei se o filme mostra todo o seu empenho em conquistar as viúvas. A turma da hagiografia vai dizer que ele fizera aquele pedido porque estava em busca de uma “esposa”. O seu pensamento enquanto o taxista contava as suas agruras diz tudo: “Qualquer dia eu vou papar a nora desse velho…”
Na vida de Lula, tudo termina em filme. A “nora do velho” que ele prometera “papar” era, o que ele só soube depois, justamente… Marisa! Não é demais? Sua antevisão se consumou. Só que, consta, ele casou primeiro e “papou” depois. Mirian Cordeiro, tornada a bruxa nacional pelos adoradores de Lula, é desse período. Ele próprio já confessou que a abandonou grávida. Papou e largou. Nem todas as filhas e mulheres da classe operária que cruzaram com Lula tiveram a mesma sorte…
Ainda comentarei por estes dias outros aspectos da entrevista. Uma coisa é certa: o mito estava em construção — e a excelente entrevista feita pela Playboy — 13 páginas — não deixa de ser parte dessa construção. Mas que se releve: embora seja simpática a Lula e o trate sempre com admiração (e alguma benevolência), revela de modo indubitável que o sindicalista era o pai do presidente. Tudo estava devidamente anunciado ali.

Lula e as mulheres quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Os petralhas estão injuriados com a transcrição de trechos da entrevista que Lula concedeu em 1979 à Playboy. Dizem que isso é “golpe baixo”. Desde quando usar as palavras do líder supremo deles, do aiatolula, é “golpe baixo”?
Nem transcrevi ainda tudo o que há lá de interessante. Lula expressou, por exemplo, um juízo sobre as mulheres e sua, como direi?, resistência. Marisa está contando que estava entre dois pretendentes - um deles era Lula:
MARISA - Um tinha boa intenção, outro, intenção ruim. E acabei conquistada pelo que tinha intenção ruim. Mas ele era gamado, viu? Vivia dependurado no telefone [gargalhada de Lula]. Eu só fugia, dizia que estava ocupada, que tinha de trabalhar, mas, no fim, acabava atendendo.
LULA - Charminho dela… O problema de mulher é você conseguir pegar na mão. Pegou na mão…
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/trinta-anos-de-lula-os-homens-admiraveis/
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/lula-o-sexo-os-animais-e-as-viuvas/
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/lula-e-as-mulheres-o-problema-de-mulher-e-voces-conseguir-pegar-na-mao-pegou-na-mao%e2%80%9d/

sábado, 5 de dezembro de 2009

PROCURA-SE UM CANDIDATO

Por Arlindo Montenegro

Pré requisitos: sem partido, que nenhum partido merece a confiança dos brasileiros; com um compromisso consistente e convincente com o Brasil inteiro o que é diferente de partido; com um ministério mínimo pré anunciado; nenhum membro da equipe pode ter telhado de vidro, senão os petistas vão corromper, filmar, gravar e jogar no ventilador para reforçar a imagem de são lula, que desejam como ditador perpétuo.

Que tenha compromisso com um programa mínimo, acentuando as metas de educação e comprometimento com o estado mínimo, federativo e em harmonia as práticas democráticas de direito e liberdades fundamentais. Um candidato e ministros que trabalhem em equipe e em harmonia. Que discutam cada passo importante com o congresso, que Roma não se fez num dia, nem por decreto.

Procura-se um candidato sem rabo preso e que se comprometa em restaurar a dignidade das Forças Armadas, objetivando seu compromisso com a soberania nacional, porque estamos fartos de fechar a porta depois de roubados sem ter quem nos defenda. Precisamos lembrar do velho ditado: “quem muito se abaixa, o rabo aparece”.

Procura-se um candidato com experiência administrativa e saber filosófico, com autoridade suficiente, bem educado, bem humorado e centrado na família e tradições culturais, tão desprezadas na atualidade anárquica do globalitarismo.

Procura-se um candidato que saiba ouvir pitacos de brasileiros para o bem do Brasil e capaz de mobilizar a nação para a responsabilidade pátria, administrando para facilitar a plena liberdade de cada um, para construir as próprias vidas dentro dos parâmetros objetivos do Brasil, rumo à independência e convivência pacífica. Rumo à dignidade e riqueza como direito de todos e cada um que cumpra com os deveres antes de reivindicar direitos.

Queremos um Presidente que seja estadista, o que é diferente de ser Mané gostoso da Nova Ordem Mundial. Queremos um Ministro da Economia que saiba fazer as contas e negociar abertamente. Queremos um Itamarati que cumpra os tratados internacionais sem deixar-se guiar pelo Foro de São Paulo ou pelo Chávez, ou pelo Obama, ou pelo Ahmadinejad, ou pelo Putin, ou pelos Castro... (lista longa!), tudo farinha do mesmo saco.

Procura-se um homem ou mulher digna, como os que integram famílias de brasileiros que plantam e colhem os alimentos que enchem nossa barriga, como os que têm fé no Brasil e levantam na madrugada para encher ônibus, trens que trafegam lotados como carretas que transportam bois ou galinhas. Homens dignos que enfrentam congestionamentos quilométricos para chegar ao escritório, à fábrica, à escola, no trânsito inseguro das metrópoles, dia a dia, ano a ano, hora a hora no cumprimento de tarefas profissionais.

Queremos uma administração pública translúcida que prometa e execute com a ajuda de todos, para que tenhamos serviços de saúde sem filas onde velhos e crianças, são tratados como estatística. Queremos segurança, sentar na calçada, conhecer e falar com o vizinho, dormir com a janela aberta, criança brincando na pracinha.

Precisamos de governantes que respeitem gente como gente, diferente da atualidade que desvaloriza o homem como se fosse apenas bicho humanos ou eleitor mané com QI infantil, enganável com uma balinha de açúcar ou com a ameaça de uma balinha de 45, 765, 22 ou sei lá que calibre.

Precisamos de quem nos conduza para restaurar o orgulho, valorizando todo o trabalho honesto dos que sustentam os alicerces desta nação. De preferência que seja abstêmio, coma feijão com arroz e prefira os sucos de fruta aos vinhos importados ou cachaça de cabeça, daquela que matou o guarda numa noite fria.

Que seja nascido no norte ou no sul, no leste, no oeste ou no planalto central, o essencial é que seja Brasileiro, com bê maiúsculo honesto, destemido, sincero e que saiba trabalhar em equipe, para afastar os personalismos, tentativas de reeleição e o vírus do poder ditatorial.

Relendo a listinha de pré requisitos mínimos, parece que se procura uma agulha no palheiro! Mas imagino que ainda existam muitos escondidos por aí. Desses que as estruturas partidárias viciadas como clubinhos exclusivistas ignoram. Esquecem. Ou desconfiam. Ou descartam com a certeza de que homens livres são impermeáveis ao controle e prezam o saber, sem espaço para desculpas esfarrapadas.

Em suma, procura-se um homem livre, um brasileiro livre e independente! Será um avis rara! Será mais uma utopia?

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

ACREDITAR EM QUEM?

Por Arlindo Montenegro

As pessoas que ocupam o topo da pirâmide política, aquelas que mandam e desmandam, fazem e desfazem, prometem e esquecem, interferem abusivamente na vida das empresas e dos indivíduos. Aparecem bem arrumadinhas e maquiadas nos programas de TV, roubando as horas de descanso e convívio familiar aos que ficam hipnotizados, diante da “maquininha de fazer doido”, ouvindo mentiras repetitivas associadas a sons, cores e movimentos carregados de mensagens subliminares.

Os olhos e ouvidos conscientes parecem ver e ouvir uma coisa séria, uma mentira importante. Mas o inconsciente, que rege as decisões de cada dia, grava a mensagem das cores, gestos, símbolos que aparecem como relâmpago, em segundo plano. Mensagens que induzem comportamento e opiniões a gente não sabe de onde tirou. Mensagens repetidas e repetidas, até que a mente fique atrofiada, incapaz de censura, escravizada e sem capacidade de iniciativa para libertar-se.

Assim é formada a opinião pública dos carneiros conformistas. Dos que acreditam em mais em nada, em mais ninguém, nem em si mesmos. Os mentirosos maquiados arrumadinhos bloqueiam toda a possibilidade de pensar livremente. Os hipnotizados ficam prontos para divertir-se, viver a vida à espera do próximo espetáculo catártico de “rock”, “heavy” ou futebol, “show que distrbui pequenas fortunas”, espetáculos das casas vigiadas, novelas.

As pessoas educadas na ausência de um objetivo de vida moral, são induzidas a substituir valores espirituais por comportamentos bizarros. São induzidas a espelhar, macaquear “ídolos”, ou pensar que os regimes políticos vão resolver tudo. Prá que esquentar a cabeça? Assim, muitos vão pelo caminho da rotina burocrática, que garante uns trocados para alimentar os baratos alucinógenos, as “viagens” que levam ao banditismo e à morte prematura.

As instituições políticas estão desmoralizadas e conduzidas por psicopatas. A família, a religião, o clube social, a empresa atuando num mercado obediente ao direito, foram durante certo tempo, barreiras opostas aos estados gigantes e totalitários e concorreram para a queda de ditadores e governantes que excederam seus limites e responsabilidades.

Mudaram as regras da revolução gestada há mais de um século. Completa-se a destruição ética e moral, instala-se o vazio mental e espiritual. O ânimo social com a vontade esgotada, sente o cerco e o caminho aberto para a implantação do estado global. A carga de informação é tanta, que se dificulta a compreensão e resolução do quebra cabeças das imagens utópicas, vendidas em embalagens coloridas e emocionantes.

Há muito, muito tempo mesmo, no topo da pirâmide social, reis e famílias tradicionais compravam os “mágicos”, que nem na lenda de Merlim, monopolizavam o conhecimento. Até hoje o conhecimento científico e as altas tecnologias são monopolizadas por uns poucos que decidem o que fazer com a vida de cada grupo social. Monopolizam a educação, a comunicação e até a distribuição dos remédios e alimentos, a informação e o lazer padronizado.

Os controladores das mega empresas são todos descendentes de reis, famílias tradicionais e banqueiros. Os mega empreendimentos transnacionais com suas marcas milionárias concentram a iniciativa privada, monopolizam a riqueza das nações e controlam as mentes com a tempestade de informação, ração diária em doses que atingem toda a população global.

Na base da pirâmide, suportando o peso das camadas superiores, estamos nós, que os deuses residentes no topo da pirâmide chamam de “comuns”, “povo”, “massa”, “gentinha” utilizada como bucha de canhão para a guerra e para o consumo de produtos supérfluos, consumo de ideologias, utopias, drogas e pornografias. Agora querem fazer o funeral coletivo das poucas liberdades que por instantes as nações conquistaram.

Só nos resta protestar, gritar, assumir a defesa da vida para sobreviver. Denunciar a submissão dos Lulas, Chávez e todos estes simuladores, aos propósitos mais escabrosos dos regentes sem face, que nos conduzem a passos largos para o ambiente orwelliano da nova ordem mundial. Onguistas, ambientalistas fascinados por Al Gore, políticos, padres e pastores teólogos da libertação, todos estes exércitos midiáticos pagos pelos que estão no topo da pirâmide do poder. Calar diante disto é morrer.

A minoria empenhada em minar os obstáculos à vida e liberdade, vão estar sempre presentes, persistentes na busca do caminho que nos livre da tragédia imposta pela Nova Ordem Mundial. É uma condição de vida: protestar em defesa da liberdade em todas as esferas de atividade, seja educacional, religiosa, associativa, empresarial. Pensar livremente e aprender a descartar o que nos mandam pensar, dizer, fazer através das novelas, músicas, espetáculos, noticiários e outros meios de deformação comportamental.

Acreditar no milagre da vida e na força infinita que rege a vida. Restaurar os valores tradicionais e eleger uma missão: sair de m... em que nos meteram, com fé em Deus e cabeça erguida.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

O ESTRANHO CASO DO DR. LULA E MR. CHÁVEZ

Por Carlos Alberto Montaner

Paira uma desconfiança crescente sobre as verdadeiras intenções políticas de Lula da Silva, dentro e fora do Brasil. A recente visita de Mahmud Ahmadinejad ao país é um péssimo sintoma. O ministro de defesa iraniano, Ahmad Vahidi, tem antecedentes criminais na Argentina, onde organizou o atentado terrorista contra a sede de uma Associação de Judeus (AMIA), em que morreram 85 pessoas e 300 ficaram feridas. Além disso, Ahmadinejad nunca retirou sua ameaça de apagar Israel do mapa.

Por que esse esforço brasileiro em aproximar-se dos iranianos que junto à Venezuela se empenha em coordenar uma estratégia diplomática hostil ao ocidente e construir armas atômicas?

Um diplomata venezuelano que não quer ser identificado, me disse que “Esta é outra prova da duplicidade moral de Lula”. E fez uma observação irrefutável: “Em 1990, Lula e Castro criaram o Foro de São Paulo, para revitalizar o comunismo desmoralizado com a queda do muro de Berlim. Esta família política abriga os narco-terroristas das FARC, o ELN e até o Movimento V República de Hugo Chávez. Reagruparam-se para continuar o combate. A única constante ideológica de Lula é sua rejeição ao Ocidente.”

Contudo, Lula tem muita popularidade no Brasil porque não se afastou da prudente linha econômica traçada por Fernando Henrique Cardoso. O Brasil atua como uma democracia, empenhada em impulsionar um modelo de desenvolvimento baseado no mercado e na propriedade privada dos meios de produção, enquanto adota a inserção aos mecanismos internacionais do capitalismo global.

Quem é Lula de verdade? O revolucionário do terceiro mundo, empenhado em destruir o primeiro mundo, substituindo por um planeta socialista, tocado por caudilhos truculentos e coletivistas, como sonha Hugo Chávez e outros profetas do caos? Ou é um social democrata moderado, dedicado ao desenvolvimento de uma economia de mercado, semelhante à que impera nas 30 nações mais ricas e felizes da Terra?

Temo que Lula encarna as duas coisas, simultâneamente, como sonho (sonhou, literalmente) Robert Louis Stevenson em l886, quando escreveu “O médico e o monstro”, para explicar a dualidade moral de um cientista bondoso, que se transformava em ser agressivo e detestável depois de tomar uma bebida (poção). A novela de Stevenson é uma metáfora que revela a luta entre o bem e o mal que existe na natureza de todos os seres humanos.

Estamos diante do Dr. Lula (o médico) e Mr. Chávez (o monstro). Quando o presidente brasileiro raciocina com a cabeça é o Dr. Lula, um homem afável, com senso comum, que conhece seus limites e os limites do país, comporta-se com respeito à Lei e respeita as liberdades individuais.

Quando manda o coração, órgão que está do lado esquerdo (como costuma dizer Marco Aurélio Garcia, principal assessor comunista de Lula, revela-se Mr. Chávez, o “companheiro revolucionário”, um sujeito convencido de que a pobreza do terceiro mundo é devida à roubalheira dos EUA e países imperialistas, à cobiça dos capitalistas nacionais estrangeiros, aos injustos termos de intercambio e o resto dos diagnósticos vitimistas desta carpideira seita ideológica.

Quando Lula manda com o coração e se transforma em Mr. Chávez (o monstro), instiga o Partido dos Trabalhadores, casualmente influenciado pelo conselheiro M.A. Garcia e José Dirceu – ex guerrilheiro treinado em Cuba e ex membro dos serviços secretos cubanos – para colaborar com as narco-guerrilhas colombianas, como revelaram os computadores de Raul Reyes, o comandante das Farc morto em 2008 pelo exército colombiano. Quando é Mr. Chávez (o monstro), entrega os três boxeadores que haviam pedido asilo no Brasil ao seu amigo Fidel Castro ou se alia irresponsavelmente com Mel Zelaya para abrigá-lo no espaço diplomático brasileiro em Tegucigalpa, negando (infantilmente) ter dado autorização.

Na novela de Stevenson, o Dr. Jekill comete o suicídio, incapaz de sofrer a dor de ser também Mr. Hyde. Qual será o fim de Lula? Suponho que como um respeitável estadista, ainda que secretamente golpeado pela angústia de não saber qual dos dois personagens é realmente.

Fonte: “El Diário Exterior”, edição de 3 de Dezembro 2009-12-03
Tradução livre, Arlindo Montenegro.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

PRÁ VER, REVER E COMPARTIR

Concordem ou não, o video anexo é uma excelente exposição sobre a nova ordem mundial.

http://www.youtube.com/watch?v=dOUXRyS_W7A

PAPAGAIOS DE PIRATA

Por Arlindo Montenegro

Quando dois humanos se juntam, um deles lidera e toma as decisões.
Quando um líder tem fé no transcendental, decide com a autoridade moral, privilegiando a liberdade de cada um que seja ou não fiel a sua mesma crença. Existe no líder a certeza de que o transcendente é único.

Mas quando dois homens se juntam e nenhum deles acredita no transcendental, a razão deixa de imperar e as decisões acabam no pugilato, que leva à guerra e à desgraça das nações. É o que se pode observar da ação dos papagaios de pirata treinados para repetir as palavras de ordem das ideologias totalitárias.

Todos e cada um destes líderes, sejam ignorantes populistas, acadêmicos ou de formação militar, aparecem felizes e risonhas sempre que estão dizendo aos outros o que é melhor pensar, dizer, fazer para mudar o mundo e o clima. Como se o sol, as chuvas, os vulcões, as catástrofes naturais, o planeta, o universo mesmo fossem passíveis de correção. É muita pretensão!

Querem dizer o que devemos comer para envenenar-nos e reduzir as “bocas excedentes”. Querem controlar as funções reprodutoras! E escolhem privilegiar os estados totalitários, uma “nova ordem mundial”, estabelecendo currais e rações, ameaçando a liberdade de todos os seres vivos: homens, animais, rios e florestas devem curvar-se à vontade desses “líderes”, assaltantes da razão.

Para alcançar seus objetivos utilizam todos os meios disponibilizados pelas mais avançadas tecnologias e conhecimentos científicos, incluindo a “engenharia social” e a propaganda subliminar através da televisão, repetindo mentiras com cara angelical e gestos mágicos.

O mais assustador é como utilizam toda forma de violência: drogas, homicídios, exploração sexual, roubo e furto continuado, escândalos com exposição da privacidade, escutas telefônicas, tudo quanto possa servir ao controle e intimidação, bem como a corrupção em todos os níveis.

Manoel Molares do Val, em sua coluna no jornal “El Tiempo”, datada de 2 de Dezembro 2009, discorre como o “líder” Evo Morales está copiando o “líder“ Fidel Castro “utilizando métodos propagandísticos mais sutís que os desse touro frenético, que é Hugo Chávez”. A tradução livre está entre aspas.

Morales revela a ferramenta, que convence tantos intelectuais que visitam Cuba e agora visitam a Bolívia, a sair defendendo com unhas e dentes os “lideres” e suas ditaduras cruéis: a satisfação de “pequenos vícios”. E todos sabem que essas “aventuras” em Cuba são todas gravadas. Evo deve estar fazendo o mesmo.

Que aventuras? “Sabem muito bem os intelectuais, jornalistas e artistas dos favores gratuitos, disfarçados de amor, que recebem em Cuba. Aqueles favores que os dom Juan e as vampiresas, não se atrevem a comentar com seus companheiros de ofício intelectual, artístico ou da imprensa: ‘brincar’ com exemplares hétero ou homossexuais, muitas vezes crianças.”

“Prestem bem atenção aos que louvam o castrismo e alardeiam as excelências do sistema educacional e da saúde. Ocultam a realidade, enquanto prolongam até o ultimo milésimo de segundo, a vida desse regime que lhes proporciona prazeres continuados, a sensação de poder sobre outros seres, grandeza.”

“Para garantir que não é necessário publicar o material gravado com as cenas de conquistas sexuais tão miseráveis, antecipam-se à chantagem, cantando as maravilhas do castro comunismo. O bom exemplo cubano, serve para os alcalóides. Oh! Queridos cocaleiros, a folha e o pó deveriam circular livremente! Esta sim que é uma reivindicação revolucionária!”

“Companheiro, me dá o manifesto de apoio a Evo Morales. Vou assinar e depois vou cheirar umas tirinhas bem cheiradas. Não existe solidariedade maior no mundo, isso já estas sabendo”.

E dá prá acreditar que a metodologia da chantagem não existem entre nós? A diferença – por enquanto – é que gravam na hora de receber propinas. Gravam conversas telefônicas, gravam a corrupção e jogam no ventilador quando é conveniente. Os pecados do rei, não existem. São ignorados, minimizados e arquivados. É o que estão fazendo os papagaios de pirata treinados para repetir as palavras de ordem das ideologias totalitárias em direção à nova ordem mundial.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

APOLOGIA AO COMUNISMO É CRIME

Por Francesco Tortora (Corriere della sera, Nov/27/2009)

MILÃO - Vinte anos após a queda do Muro de Berlim, decidiram derrubar as estátuas de Lênin e Marx e seguir as democracias ocidentais. Recentemente, os políticos poloneses apresentaram uma emenda de alteração da Lei ordinária, proibindo quaisquer símbolos dos países comunistas do Leste Europeu.

O Senado aprovou uma alteração ao artigo 256 do Código Penal, que considera ilegais todos os símbolos comumistas. Qualquer pessoa que os use ou tenha a posse pode pegar até dois anos de prisão por ter cometido o crime de "apologia do comunismo".

Na próxima segunda feira(30/11/09) o Presidente da República Leck Kaczynski sancionará a Lei, que provavelmente entrará em vigor a partir do próximo ano. Neste ponto, até mesmo usar camiseta com a imagem de Che Guevara, ou simplesmente cantar a Internacional nas ruas de Varsóvia será considerado um crime na Polônia.

ALTERAÇÃO - A nova lei proíbe expressamente todas as imagens que exaltem qualaquer sistema antidemocrático: proibe "a fabricação, distribuição, venda ou posse dos objetos que lembrem os símbolos do fascismo, do comunismo e outros totalitarismos.
Um dos principais promotores da Lei é Jaroslaw Kaczynski, irmão gêmeo do Presidente da República e líder do partido de oposição, “Lei e Justiça ". Segundo Kaczynski, esta lei é sagrada, porque o comunismo é um símbolo negativo dos anos '900, 'Nenhuma imagem do comunismo tem o direito de existir na Polônia - disse à mídia local, o líder da oposição - A comunismo e seu sistema de genocídio deve ser comparado com o nazismo. "

Muitos historiadores poloneses compartilham a tese de Kaczynski: “O comunismo era um sistema terrível e assassino, causador da morte de milhões de pessoas”, disse o historiador Wojciech Roszkowski. "Não é errado comparar com o nazismo - enfatiza o estudioso polonês - e por isso os dois sistemas e os seus símbolos devem ser tratados da mesma maneira."
PASSADO QUE ESTÁ PRESENTE - Embora os comunistas não tenham qualquer influência política na Polônia, parece que o passado ainda está no presente. Nas últimas semanas, a Polónia foi, o país que mais lutou contra a candidatura de Massimo D'Alema, para Ministro Chanceler da União Européia.

Tombinsky, Embaixador da Polónia na UE, definiu D'Alema, como "um problema", devido a seu passado comunista e afirmou que, era mais adequado para ocupar a posição "uma pessoa cuja autoridade não pudesse ser contestada por causa da afiliação política no passado".

Recentemente, o lançamento do filme do diretor Andrzej Wajda, que conta a história do massacre de Katyn, durante a Segunda Guerra Mundial (os soviéticos assassinaram mais de 20.000 soldados poloneses e civis) suscitou uma onda de ódio renovado contra os opressores russos.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO - Conforme salientou o Times de Londres, o objetivo dos políticos poloneses é claro: "tornar invisível o comunismo." O Ministro de Relações Exteriores, Radoslaw Sikorski, ressaltou que o Palácio da Cultura e da Ciência, o mais alto arranha-céus da Polónia, deve ser demolido, porque foi um presente de Stalin para os cidadãos de Varsóvia.

Não importa que, ao longo dos anos, se tenha tornado um dos símbolos da cidade: "Se demolido, a Polónia, também teria a imagem dos restos do comunismo, como a Alemanha tem os restos do Muro de Berlim. Até mesmo em termos ecológicos é uma construção muito poluente. "

A batalha contra o comunismo tem o apoio do público e da imprensa: "O ponto central é demonstrar que não há nada de romântico ou engraçado no comunismo", disse um repórter polonês ao “The Times”. "O comunismo - continua o jornalista - não era um jogo. Nem a ideologia que aquecia o coração. O comunismo, deixava o coração doente, murcho e frio.”
http://www.corriere.it/esteri/09_novembre_27/polonia-simboli-comunisti-francesco-tortora_391878b8-db58-11de-abc5-00144f02aabc.shtml