sábado, 31 de julho de 2010

EXEMPLO COMOVENTE

Por Arlindo Montenegro

Um grupo de adolescentes e jovens, desfralda estandartes numa praça pública, em frente à Igreja Matriz de uma cidade. Rezam a Ave Maria a plenos pulmões e começam a abordar os curiosos diante daquela inusual, esquecida, (para os comunistas, insólita) manifestação cristã. Os meninos e moços estão identificados por uma organização:  Instituto Plinio Correia de Oliveira.

O brasileiro Plínio Correia de Oliveira, foi o fundador de uma outra organização que se identificava como TFP – Tradição, Família e Propriedade, em oposição ao comunismo, que pouca gente percebia, mas que ocupava todas as instituições educacionais do Brasil. Os comunistas de todos os matizes postados nos veículos de "persuasão" da opinião pública, viam na TFP a organização contrária ao ateismo. Os moços da TFP proclamavam pacifica e publicamente a veneração a Deus e N.S. de Aparecida, padroeira do Brasil.

"O ópio do povo" tinha que ser combatido. Assim foi feito, com a campanha cheia de insultos contra a TFP, agressão aos moços e milhares de páginas contra os livros do líder Plinio Correia, que já denunciava, há mais de vinte anos, a interiorização e a violência queos comunistas levavam ao setor agrário. A mesma TFP era a inimiga que esteve presente nas mobilizações anteriores à tomada do poder pelos militares, na organização das Marchas da Família com Deus Pela Liberdade.

A força da fé, o respeito incondicional aos princípios e valores do cristianismo, continuam presente e se manifestam agora com os meninos e adolescentes do IPCO dando o exemplo às famílias brasileiras. Estão nas praças colhendo assinaturas contra o nefando PNDH-3, que promete acabar com a propriedade privada, acabar com a organização das empresas rurais, privilegiar minorias homossesxuais, quilombolas, legalizar o aborto e censurar fortemente a imprensa.

Todas as velhíssimas propostas dos marxistas. E a única organização que está lutando abertamente contra o que o Foro de São Paulo propõe, substituir o governo pelo poder socialista de um só partido no Brasil é o Instituto Plinio Correia de Oliveira. Sabe-se que pequenos grupos ainda dispersos, algumas personalidades isoladas, Juristas, maçons, militares, empresários (uns poucos), professores, religiosos, blogueiros, tentam organizar-se e esclarecer a população votante sobre o atoladeiro em que estamos metidos. Sobre as mentiras persuasivas que contaminam a mente dos brasileiros.

As estratégias do Foro de São Paulo, cria da parelha Lula e Fidel Castro, têm surtido efeito entre nós. Nos últimos 20 anos, toda a educação básica, média e superior está contaminada pela ideologia marxista. Um professor que vive o drama, explicita como isto acontece e quais as consequencias.



Diante das insanidades dos governantes e da crise mundial, os comunistas falam de "paz, liberdade e democracia", enquanto instruem seus militantes a lutar contra o capitalismo que deve, segundo eles dizem, ser eliminado de "morte matada". Estamos entre a cruz e o horror das guerras que infernizam a humanidade. A escolha está entre praticar os valores humanos herdados do cristianismo, - praticar de fato! - ou abraçar o canto hipnótico das sereias que acreditam no materialismo e desprezam o espírito.



SOCIALISMO DO SÉCULO XXI

Por Arlindo Montenegro

Citando diplomaticamente as recomendações da OEA socialista, que protege Zelaya, contra o legítimo e legalmente eleito Porfirio Lobo, finalmente o Chile, tomou a iniciativa de enviar seu embaixador de volta a Tegucigalpa, reconhecendo o racional, o lógico: a vontade do povo hondurenho, respeitando sua Constituição e repudiando o socialismo bolivariano.

O Brasil de Lula, continua teimoso em obediência ao Foro de São Paulo, defende Zelaya e ofende a Colômbia, chamando de "bate boca" a ameaça de Chávez, que deslocou tropas para a fronteira colombiana, simulando que as provas documentadas de suas ligações com as Farc não passam de  ameaça do governo colombiano contra os venezuelanos.

Uribe lamentou a declaração infeliz de Lula, que agora está querendo botar panos quentes e esperando um convite para o jantar de despedida, que o governante colombiano oferece a seu sucessor, Juan Manuel Santos. Este sim sabe que a balança brasileira tende para o lado contrário, tende para o lado do socialismo bolivariano das farc, que continua matando colombianos.

É bastante ler o rascunho da próxima reunião do Foro de São Paulo em Buenos Aires, marcada para Agosto, onde se afirma o papel deste bando, criado por Lula e Fidel Castro, reafirmando sua posição internacionalista, socialista, contrária à propriedade privada, contrária ao capitalismo e responsável pela eleição de comunistas em toda a América Latina.

No documento, o bando do Foro de São Paulo lamenta que não tenha havido outra revolução sangrenta como a cubana nos últimos vinte anos! Nas entrelinhas promete trabalhar para que isto aconteça, afirmando com todas as letras: "O capitalismo só vai desaparecer de "morte matada" e não de "morte morrida".

A morte matada do capitalismo foi o que a extinta URSS perseguiu durante setenta anos e o que perseguiram as revoluções marxistas sangrentas e genocidas que – embora os meios de comunicação escondam até hoje – esmagaram centenas de milhões de pessoas, número que continua crescendo, bem alí, na vizinha Colombia, cujas Farc narcotraficantes, Lula e seus seguidores do Foro de São Paulo defendem como bons moços.

O governo do Brasil se recusa até hoje, contra a posição dos EUA e da Europa, a reconhecer aquele bando de assassinos do povo colombiano, como terroristas que são. O governo do Brasil defende a "morte matada" dos capitalistas, defende a guerra revolucionária sangrenta para a tomada do poder. O governo do Brasil está abraçando os piores ditadores e virando as costas para os que ainda tendem para a construção democrática de direito.

O Governo do Brasil, em obediência ao Foro de São Paulo, quer "democracia" exclusivamente para o partido único no poder. Pratica uma política externa de apoio ao socialismo do século XXI, quando teria toda a vantagem buscando o caminho do equilíbrio, do respeito, da razão e em defesa da civilização e dos valores do cristianismo, berço da nossa cultura.

O Foro de São Paulo reconhece isto, expressando que o sinal mais importante da iniciativa das forças de esquerda (que esmagaram a direita sem deixar qualquer espaço para a manifestação contrária ao socialismo) é: "a dianteira eleitoral nas pesquisas e o esperado triunfo da companheira Dilma..."

Toda esta supremacia da insensatez agressiva do Foro de São Paulo, tem resultados notáveis na Venezuela onde campeia a fome, a violência extrema, a perseguição e prisão de opositores políticos, estatização de propriedade privadas, proibição da imprensa livre,   refúgio para guerrilheiros narcotraficantes das farc e ameaças guerreiras à vizinha Colômbia.

Igualmente em Cuba, onde a revolução dos Castro e Guevara, que se declarava cristã e democrática nos primeiros dias, arrasou com a economia nos últimos 50 anos. Por pressão interna das "damas de branco" e internacional, com ajuda da Igreja, é obrigada a liberar alguns presos políticos. E basta olhar para a figura de Ariel Ziegler, que era um atleta saudável,  saindo da prisão em cadeira de rodas, paraplégico, para imaginar as torturas e horror das prisões cubanas.

É este o caminho que o Foro de São Paulo, Lula e sua candidata, assinalam para os brasileiros: a guerra revolucionária para a "morte matada" das ideias democráticas e do capitalismo. Restabelecer o comunismo ou o socialismo do século XXI, tanto faz como estes psicopatas o denominem.

Buscam a hegemonia mundial, declaram que a tarefa é “construir uma nova ordem... dentro de cada país...entre diferentes estados e blocos regionais” e finalmente uma nova ordem mundial. Para isto contam com o trabalho da “rede de escolas, Fundações e Centros de Estudos do Foro de São Paulo”.

Este documento que continuaremos traduzindo e analisando é tabu para a imprensa. A referência de um candidato ao Foro de São Paulo, deixou  o presidente fulo da vida, querendo tapar o sol com a peneira. É o pai negando a existência do cruel filho gerado em intercurso amoroso com Fidel Castro. É o pai negando as trocas amigáveis do filho com os narcotraficantes da mafia das Farc e os bolivarianos chavistas. 


Isto é o Foro - revolucionário internacionalista - de São Paulo: o socialismo do século XXI.


sexta-feira, 30 de julho de 2010

DESTE MATO NÃO SAI COELHO

Por Arlindo Montenegro

Andrés Oppenheimer, falando das eleições na Venezuela, considera que nas leis eleitorais do candidato a ditador, privilegiam o partido bolivariano, mesmo que a oposição tenha mais votos. As leis dizem que mesmo que a oposição tenha 55% dos votos, isto é maioria, fica somente com a metade, 50%.

Enquanto a data das eleições não chega, o candidato a ditador nacionaliza empresas, prende opositores, aterroriza a população, deixa a bandidagem e suas milícias, treinadas por cubanos, agindo sem respeito às leis, agride a Colômbia, agride a Igreja Católica, promove políticas inflacionárias, carência de bens e alimentos...tudo quanto sufoca e polariza os venezuelanos.

Com cinismo e brutalidade, culpa os empresários, culpa o império norte americano, culpa a Colômbia pela existência de acampamentos das farc em território venezuelano e, para arrematar, manda o exército guarnecer a fronteira contra uma invasão colombiana, finge ser o agredido! O mundo aprecia a “autodeterminação” socializante. Mas se for autodeterminação democratizante é golpe. Não pode!

Na nossa política interna também vemos movimentos idênticos quanto se expõe a atuação mafiosa do Foro de São Paulo. O fato é que do modo como na Venezuela o rádio, televisão e jornais, contrários às políticas globalistas totalitárias são reprimidas, fechadas e os donos vão para a cadeia ou fogem, no Brasil temos um acordo para fingir que a opinião é livre. O que vai de encontro às sandices governamentais é distorcido, mentido e precedido da palavra mágica: "suposto"!

Suposto mandante do crime, suposto invasor, suposta terrorista, suposto culpado, suposto responsável pelo mensalão, suposto fazedor de dossiê, suposto desvio de verbas, suposto “não sabia”, suposto foro de são Paulo, suposto comunista, suposto pedófilo, suposto matador de aluguel... e vai por aí! Supõe-se tudo e nada se conclui. Imunidade do poder!

Desde antes de antigamente, os grandes guerreiros anexavam territórios. É só ver o infeliz Alexandre, o Grande. Passou a vida toda em guerras e morreu na flor da idade sem deixar herdeiros. Quando conquistou a Pérsia, tratou o rei Dario e sua corte com deferência e ganhou de presente um menino bonito e bem treinado, escravo para todos os serviços. A Roma Imperial foi mais longe.

Agora, a usura, violência, prepotência, ganância entre os reis modernos mudou de figura, além de meninos, meninas, cocaína, computadores, joias, os banquetes que reúnem cúpulas governamentais em encontros hierárquicos compartimentados dividem a própria terra e presenteiam as mesmas populações para servir como mão de obra escrava, no mesmo velho projeto do governo mundial.

E as reuniões de potentados são diárias. As diversas organizações que dizem trabalhar pela "pacificação e divisão do poder " se multiplicam. As armas utilizadas são mais sofisticadas: ameaças, imposição econômica, engenharia social, invasão de ongs, provocações bélicas, terror continuado sobre os que trabalham e tentam sobreviver em qualquer retalho da terra.

Estas organizações reúnem gente diariamente em “resorts” fechados, hotéis luxuosos ou centros de convenções, para decidir a nível planetário sobre tudo e mais alguma coisa. Umas se contrapõem às outras quando ninguém quer resolver nada. Se a Colômbia vai à OEA, as outras resolvem decidir no foro (de são Paulo) da UNASUL.

Em todo caso e em qualquer caso, existem tantas instâncias! A poderosa e dispendiosa ONU, a corte internacional de crimes de guerra, outra corte de direitos humanos, dos bichos...É gente reunida para tratar de grana (FMI, BIRD,BID...), para tratar de comércio, tratar de madeiras tropicais, anistia, controle de plantas e animais nocivos (sem incluir os mais nocivos animais governantes!)

Musicalmente, artisticamente no cinema e no teatro, na televisão, na literatura, nos deparamos com a linguagem que Edward Barnays, o Instituto Tavistock e outros disseminaram: a propaganda do poder político e econômico da aristocracia mundial, “esforço consistente e persistente para criar ou moldar acontecimentos” e enganar o público, mantido na ignorância da realidade, tangido como boiada para o matadouro.

É o mesmo Barnays quem constata: “nossas mentes são moldadas, nossos gostos formados, nossas ideias sugeridas, por homens dos quais nunca ouvimos falar... Os que manipulam este oculto mecanismo da sociedade, constituem um governo invisível...” o verdadeiro poder deste império transnacional.

Para superar esta agonia seria necessário um Salomão, ou um ringue de boxe onde os potentados decidissem o campeonato do poder, ou consultas localizadas ao espelho da branca de neve, ao oraculo de Delfos. Seria necessário inventar uma ilha com muitas feiticeiras que nem Circe, uma ilha punitiva onde os castigados fossem transformados em ratos, porcos, cobras, minhocas, bichos de pé. Sem pedir a interferência de Deus, que Jesus já deu a receita, mas a nova ordem a detrata.

É só lembrar que John Lennon, hipnotizou meio mundo, pregando: “Imagine there's no heaven... no hell below us. Above us only sky. Imagine all the people living for today”. É isto aí! “Junte-se a nós”. Nada de responsabilidade ou compromisso. E o mesmo “ídolo” completou sua obra, escrevendo “Um espanhol no trabalho”, em que refere Jesus como “um covarde, bastardo, comedor de alho”.

É assim que cada governante considera cada um dos eleitores. Ainda tem dúvidas?!!!






quinta-feira, 29 de julho de 2010

CONHEÇA O BRASIL!

Por Arlindo Montenegro

Acabo de receber uma mensagem com um monte de endereços de gente importante. Já apaguei tudo, antes de repassar. Recomendo que façam isto sempre pra evitar sacanagem e pirataria com os outros. A mensagem dizia de outro monte de atos governamentais, expondo a trabalheira dos representantes que elegemos (in)voluntariamente, para decidir o que fazer com os impostos que pagamos, isto é para gerenciar as melhorias do espaço Brasil.

Primeiro fiquei pensando quando custa uma lei, destas que brotam da mente torpe de um representante e vai para o sistema, anda por comissões diversas, até chegar às mãos do maioral que chancela e sacramenta. Quanto   soma em Reais, ou Dólares, a energia dispendida, comunicações, almoços, jantares, serviços, gráfica, carimbos, tinta, até que uma lei ordinária passe da "ideotice" à vigência desconhecida?

Hoje soube que temos leis instituindo algumas curiosas "efemérides nacionais". Efeméride significa a comemoração de um acontecimento "legal", auspicioso, de bom augúrio – não confundir com agouro. Mas vamos abrir os olhos, porque desconfio que estão "efemeridando" com gastos públicos, sancionando leis que obrigam a nação a "efemeridar" dias, que cada grupo já comemora a seu gosto particular.

Os queridos representantes estão gastando tempo e recursos para legislar sobre o "dia da baiana do acarajé", "dia do DeMolay", "dia nacional da câmara junior", "dia da capital simbólica do Brasil" (esta Lei é para Olinda, Pernambuco, um dia por ano e outro dia a cada 50 anos). Também temos a lei que consagra Apucarana no Paraná, como "a capital nacional do boné".

Agora, "Dia Nacional do Combate e Prevenção ao Escalpelamento"??? Deve ser coisa proposta por alguma ong sioux! Só pode! Sei que alguns aborígenes brasileiros cometem infanticídio... mas escalpelamento? Bom, estas Leis correspondem a gastos menores dos impostos que pagamos para que o estado funcione prazeirosamente.

Os gastos mais salgados, devidamente legalizados por nossos representantes, convictos do bom governo socialista estão na caridade internacional, no perdão de dívidas, nas doações voluntárias, sendo a mais recente para um grupo terrorista que quer eliminar Israel do mapa. O texto do decreto informa:

"Lei Nº 12.292, DE 20 DE JULHO DE 2010. O Presidente da República. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1o Fica o Poder Executivo autorizado a doar recursos à Autoridade Nacional Palestina, em apoio à economia palestina para a reconstrução de Gaza, no valor de até R$ 25.000.000,00 (vinte e cinco milhões de reais). \ Parágrafo único. A doação será efetivada mediante termo firmado pelo Poder Executivo, por intermédio do Ministério das Relações Exteriores, e correrá à conta de dotações orçamentárias daquela Pasta. \ Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. \ Brasília, 20 de julho de 2010; 189o da Independência e 122o da República. Luiz Inácio Lula da Silva."
Há um outro, dentre os pouco conhecidos, alguns secretos, que cria a Embaixada Brasileira em Tuvalu. É datado de 2 de Junho de 2010 e leva o número 7.197. Os dissidentes deste governo socialista, metendo o bedelho onde não lhes compete, foram ver onde fica o Tuvalu, prá saber se era mesmo importante gastar o dinheiro dos impostos que impõem aos brasileiros para manter a tripa forra, viver a vida sem respeitar ninguém, ser insolente e ficar por isto mesmo.
O Tuvalu é um minúsculo arquipélago de corais no Pacífico. Quem manda lá é a rainha da Inglaterra, que nomeia um Governador Geral. O governo é monárquico, com um Primeiro Ministro que manda politicamente, gerencia a economia e controla a miserável população de 12 mil e poucos habitantes.
Qual o interesse do Brasil no Tuvalu? Lá não existe televisão prá vender novelas. Mas o país tem direito de domínio na internet e vendeu para uma empresa multinacional, dobrando com isto o Produto Interno Bruto, que nem assim chega a 15 milhões de dólares anuais. A população se ocupa na produção de copra, noz de coco desidratada e fibras de pândano, vegetação abundante. São os dois produtos de exportação.
Sem dúvida, para cumprir acordos com a rainha da Inglaterra, é importante para o Brasil importar o coco desidratado e as fibras prá fazer artesanato: chapéus, esteirinhas, estofados, sei lá! Importante também é saber que em Funafuti, capital do Tuvalu, estão os escritórios de um paraíso fiscal, que esconde grana de muita gente chique. Estes ingleses!
O Brasil já marca presença no Tuvalú. Não sei se a Onu já chegou por lá. Abaixo a imagem da capital, Funafuti, vendo-se a pista do único aeroporto.


terça-feira, 27 de julho de 2010

A OEA CONTRA A COLÔMBIA

Graça Salgueiro comenta o domínio que o Foro de São Paulo exerce sobre a OEA e apresenta mais uma prova da aliança do PT com as Farc no Foro de São Paulo: uma declaração do Partido Comunista da Catalunha.


No último dia 22 a Assembléia Permanente da OEA reuniu-se extraordinariamente, a pedido da Colômbia, para denunciar a Venezuela de abrigar em seu território 1.500 terroristas das FARC e ELN, além de mais de 80 acampamentos fixos. O embaixador colombiano ante a OEA, Luis Alfonso Hoyos, apresentou provas em fotos, vídeos, mapas, depoimentos de desmobilizados, além de correspondências comprometedoras encontradas em computadores de guerrilheiros abatidos (vejam mais detalhes aqui). Ao finalizar sua exposição, Hoyos disse que não se tratava de uma "guerra política" mas que seu país apenas desejava a cooperação da Venezuela no combate ao narco-terrorismo, sugerindo que se criasse uma comissão internacional para visitar os locais assinalados e averiguar se procediam as acusações.
As provas são insofismáveis e fartas, entretanto, o embaixador venezuelano ante esse organismo, Roy Chaderton, não tendo como contra-argumentar limitou-se ao deboche, ao escárnio, afirmando que nada daquele material constitua-se de provas e que foram "montagens" feitas pelos militares colombianos. Ato contínuo, Chávez oficializou o rompimento de relações diplomáticas com a Colômbia, o que, a meu juízo e de todos os analistas sérios, ele apenas confirmou o que se denunciava sobre ele. Se de fato as denúncias eram improcedentes, qualquer pessoa naquela situação mais que depressa ofereceria o local à visitação a fim de se livrar da acusação.
Durante a sessão, como era de se esperar, os países membros da ALBA defenderam a Venezuela, o Brasil não se manifestou publicamente mas apóia Chávez, e os países de quem se esperava um apoio mais efetivo por partilharem da mesma política (Peru, México, Estados Unidos, Costa Rica, Panamá, Chile, El Salvador e Canadá), limitaram-se a repetir que "só com o diálogo" se poderia resolver essa questão tão delicada. Ora, se até os países aliados caíram nesse conto idiota do "diálogo" em vez de uma ação afetiva e uma rigorosa sanção contra a Venezuela, não vejo muita esperança de que a proposta da Colômbia obtenha grandes resultados.
O porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos, J. P. Crowley, afirmou hoje (24.07) que seu país apóia a criação de uma comissão de investigação, acrescentando:
"Cremos que a Venezuela tem a responsabilidade de responder com celeridade à importante informação apresentada ontem pela Colômbia. Acreditamos que seria útil a participação internacional nessa investigação que pode ser feita por várias vias". E concluiu enfático: "Esperamos uma resposta mais construtiva da Venezuela a esta reunião de ontem, porém, se a Venezuela não coopera, os Estados Unidos e outros países tomarão nota disto".
Caracas, por sua vez, rechaça as acusações e a possibilidade dessa comissão internacional visitar seu território com essa finalidade. O que piora as coisas é que, segundo as normas da OEA, só se pode enviar uma comissão desta natureza se o país a ser visitado concordar.
Todos lamentaram o rompimento das relações diplomáticas anunciada por Chávez mas não houve um só país a cobrar de Chávez o rompimento com os bandos narco-terroristas, pois este foi o objetivo precípuo da solicitação colombiana. Faltou contundência e coragem de todos os países para enfrentar Chávez de cabeça erguida. É como se todos temessem os arroubos despóticos deste ditador golpista e ficassem colocando panos mornos.
Ao mesmo tempo, no Brasil, o candidato a vice-presidente de José Serra, Índio da Costa, resolveu jogar no ventilador as ligações arqui-conhecidas do PT com as FARC, sendo em seguida endossado pelo próprio Serra. Como em 2002, quando ameaçou Boris Casoy, Lula voltou a engrossar a voz afirmando que "nem mesmo Serra acredita nessas tolices".
Entretanto, em matéria publicada hoje pelo jornal ABC da Espanha, Lula disse o seguinte:
"As pessoas podem não gostar do PT, podem ter divergências com o PT, porém acreditar que o PT tem nexos com as FARC é não conhecer a história do Foro de São Paulo, que coordenamos por mais de dez anos e no qual as FARC nunca tiveram participação".
Lula sempre negou a existência do Foro de São Paulo mas agora ele já existe e foi presidido pelo PT. Entretanto, a farsa de que as FARC nunca foram parte desta organização criminosa persiste. Será mesmo? Então leiam o que disse sobre o Encontro de 2008, que ocorreu em Montevidéu, o site do Partido Comunista Catalão, referindo-se aos participantes mais antigos e fundadores"A Frente Ampla, anfitriã deste evento, é fundadora do Foro de São Paulo junto com o Partido dos Trabalhadores do Brasil (seu promotor), a Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN), a Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FFFMLN), as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC),... e outras organizações de esquerda latino-americanas".
O Secretário-Geral da OEA, José Miguel Insulza, pertence ao Partido Comunista chileno, que é membro do Foro de São Paulo, assim como o PT de Lula e o PSUV de Chávez. Por isso a OEA não fará nada contra seus aliados e em favor da Colômbia.

O PERVERSO NOVO CONFLITO MUNDIAL

Por George Chaya
A terceira e grande guerra mundial começou faz tempo. Está entre nós, mas poucos a percebem, porque incorpora novas formas de ação às guerras tradicionais.
Esta é uma guerra diferente onde, em alguns momentos, desaparecem os mísseis e a artilharia. O campo de batalha não é o clássico e uma das características desta guerra é que não apresenta as imagens exteriores. As batalhas se desenvolvem "dentro da cabeça" da "opinião pública", mesmo que seja de modo inconsciente.
As manobras não se originam de estratégias militares para controlar um território e sim do planejamento de ações para o controle mental das sociedades ocidentais. Os soldados não são militares, são peritos em comunicação e campanhas de propaganda, que substituem as tradicionais ações psicológicas da propaganada militar.
Os projéteis foram substituídos por "slogans" e palavras de ordem que não ferem o corpo das pessoas, mas anulam a capacidade de decidir por si mesmas. O bombardeio desta comunicação destroi o pensamento reflexivo com uma saraivada de imagens sem resolução de tempo e espaço. O barulho ensurdecedor da mídia opera sobre a inteligência racional das pessoas atingindo o emocional e manipulando a consciência, os desejos e os temores.
O exército invisivel aponta permanentemente na cabeça dos leitores. Sem carros de combate, sem aviões tripulados, sem foguetes. Serve-se de informação manipulada e direcionada por meio de imagens e mensagens estudadas para atingir incautos ou sobre pessoas que eventualmente querem informação sobre um fato ou um cenário de conflito.
Os guerreiros midiático-psicológicos não querem que você "pense a informação" e sim que você "consuma" os sons, imagens e mensagens que exitem os sentidos e a curiosidade de modo desconexo. Assim o cérebro é submetico à lógica maquiavélica do "dividir para governar".
Quando a mente se fragmenta com a informação desconexada, deixa de analisar o relevante. Este é o elemento que configura a comunicação atual e o fundamento de sua existência. Isto significa: o "que, por que, para que" de cada informação é transformado em ordem de consumo psicológico da coisa tal como está.
Sons, titulares e imagens formam o complexo de armas e bombas de última geração, que a mídia demolidora dispara com precisão contra a mente da opinião pública, convertida em teatro de operações desta guerra moderna.
Um exemplo acabado e perfeito deste cenário, foi o incidente da flotilha encabeçada pelo navio turco interceptado em águas sob a jurisdição de Israel. Até hoje repetem que eram águas internacionais e da brutalidade do exército israelense.
Outro exemplo é a descarada operação montada pelo Serviço Bolivariano de Informações, para efetuar a prisão de Alejandro Peña Esclusa, opositor político de Chávez. A cobertura de agências e veículos de mídia, foi encabeçada pelo ministério do interior venezuelano, sob a responsabilidade de um dos principais defensores do acesso do terrorismo islâmico na América Latina, o Sr. Tarek Al Aissami.
As declarações da esposa de Alejandro Peña Esclusa, tiveram pouco destaque em poucos veículos da mídia, para denunciar que os mesmos agentes do chavismo plantaram explosivos em sua casa. Há um sem fim de situações similares de manipulação da imprensa em função de interesses econômicos e ideológicos, entre outros.
Quando a gente consome a notícia manipulada pelos que se dizem democratas, populares, latino americanistas, anti imperialistas, anti sionistas, está consumindo os rançosos interesses do fascismo anti semita, anti democrático e anti cristão, que se move por trás das pautas que só são possíveis em ambiente democrático. Um jornalismo responsável, verdadeiro, sério, jamais poderia expressar-se em Havana, Damasco, Teerã, Islamabad, etc., onde os inimigos jurados das democracias e das liberdades, governam com punho de ferro.
Mesmo assim, estas ditaduras odiosas, dispõem de um ambiente propício, gerado pelas proprias democracia que insultam e pretendem destruir. Esta é a guerra de terceira geração, que o Ocidente dicidiu não lutar e que aprofundará a decadência ao ponto de arriscar a existência das instituições democráticas, que caracterizou e fortaleceu iluminismo contra a barbárie.
Fonte: El Diário Exterior
Tradução: A. Montenegro.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

26 DE JULHO, CUBA


Por Arlindo Montenegro



Hoje, Raul Castro vai fazer o discurso comemorativo da data nacional dos revolucionários, em Santa Clara. Antes era o irmão mais velho, o coma'andante Fidel quem falava e falava durante 4, 5, 6 horas, diante de 500 mil trabalhadores e estudantes arrumados na Praça da Revolução, em Havana, tendo ao lado, na tribuna de honra os "convidados estrangeiros".

Hoje, há quem espere que o velho coma'andante apareça na festa. E o discurso oficial vai ser vibrante e promitente, a mesma lenga lenga que os cubanos ouvem há 52 anos, enquanto a vida se afunda, a fome aumenta, os protestos ganham corpo e a repressão aplica o terrorismo de estado cientificamente.

Alem das dificuldades de sobreviver, é proibido pensar e mais ainda manifestar o descontentamento. Por exemplo, o terrorismo de baixa intensidade é tão presente que acorrenta as mentes. Na ilha poucos, pouquíssimos sabem o que ocorre, como se vive politicamente no mundo exterior.

Um jornalista, com 54 anos de idade, estudou na Universidade de Havana, onde o currículo incluia a leitura obrigatória da obra marxista. Por ser de família cristã, conservou um pé atrás. Mas envolvido pelo ambiente, trabalhou na única agência governamental de notícias. Um dia publicou um artigo em que manifestava a propria opinião crítica num jornal europeu.

Pois foi julgado como "espião", "traidor" e condenado a 20 anos. Estava em cana há mais de sete anos. Foi desterrado para a Epanha, com toda a família e nos passaportes fornecidos consta: "saída definitiva!" Pelas leis dos revolucionários não pode mais voltar a sua Patria.

É isto que o governo socialista espanhol chama de "mudanças democratizantes" e hoje mesmo defende esta posição no parlamento da União Européia, tentando mudar a posição dos governantes sobre o governo dos irmãos Castro. Hoje, 26 de Julho, os revolucionários mentem em Cuba eos socialistas mentem na Europa e pelo mundo afora.

Em diversas ocasiões a Igreja e alguns governantes, mesmo os EUA, negociaram com os irmãos chantagistas, que, - para aliviar as pressões internacionais contra a violência interna, tráfico de drogas e armas, agressões a outras nacões promovendo e financiando guerrilhas – concordaram em expatriar dissidentes que somados chegam a centenas de milhares.

Deixaram sair em verdadeiro êxodo cubanos insatisfeitos e prisioneiros comuns, que então somados aos que abandonaram a ilha quando os revolucionários chegaram ao poder, contam milhões de cubanos, impedidos de voltar à Patria. Outras centenas de opositores continuam na prisões. Outras de centenas continuam nas ruas. A verdadeira face dos bandidos castro começa a aparecer para o mundo.

Uma história de Cuba, pouco conhecida começa a ser revelada.Pablo Pacheco Ávila, um dos jornalistas desterrados, revelou o que sentia num debate público, mostrando como funciona o choque, a percepção exata da diferença entre viver num estado comunista ou viver num estado democrático: Chegando à Espanha, "...percebemos que liberdade é mais que uma palavra, um significado; é o sentido prático e necessário à nossa condição de humanos.

"Ver pela televisão o debate entre o Chefe do governo (Zapatero) e o líder da oposição (Mariano Rajoy) sobre o Estado da Nação, me impressionou. Os cubanos da minha geração fomos saturados de mensagens diabólicas contra o capitalismo selvagem de ultramar; nos enganavam e nos faziam pensar que vivíamos no paraiso terrestre."

Outras mentiras de Fidel Castro começam a ser reveladas:


Fonte: página da blogueira Zoé Valdez.

domingo, 25 de julho de 2010

sábado, 24 de julho de 2010

FESTANÇA E PERVERSÃO MENTAL

Por Arlindo Montenegro

Os cofres do planalto central já estão abertos para financiar uma semana de turismo no México, para um grupo de jovens militantes comunistas escolhidos a dedo. Moços e mocinhas do PT, PcdoB, PV, PSOL, mst, vão aparecer como "legítimos" representantes da vontade do "povo brasileiro", na Conferência Mundial da Juventude.

De 23 a 27 de Agosto, atendendo a convocação da ONU, a moçada vai reencontrar a galera já conhecida de outros encontros turísticos preparatórios em Moscou, Nigéria, San Salvador, Zimbawe e claro, na Bahia! O documento final, já elaborado para a aclamação contempla a linha de ação para a militância.

Que forma de governo defender, que tipo de legislação perseguir e como "ONGorganizar-se". Tudo sob o rótulo de Metas e Objetivos do Milênio para o desenvolvimento. A declaração final, preparada por peritos conhecedores de programação neurolingúistica, esta datada de 17 de Junho, simulando um consenso amplo e conhecido por todas as criaturas viventes.

O "Comitê" (palavrinha do agrado de comunistas) Organizador é integrado por "delegados" de 18 países e um monte de ONGs, além das agências da ONU "mais comprometidas com a reengenharia contrária ao cristianismo" e promotoras da religião de Gaia, no Programa para a Juventude da ONU.

Podem crer amizades! A linguagem é sedutora: muito moralismo político, que nem a ética do PT, muita generalização – palavras e conceitos grandiloquentes que se encaixam em qualquer interpretação. Muita "convivência pacífica", muita "liberdade", muita "tolerância", como direito da juventude com direito a todos os direitos! Sem contrapartida.

O estado aparece como o "grande educador" da juventude e formulador das políticas públicas. Os deveres e direitos dos pais nem ao menos são lembrados. Sumiram do mapa! A família sumiu do mapa! Assim, os pais, professores e policiais que se preparem para lidar com esta juventude com todos os direitos e nenhum dever, a não ser o de militantes a serviço das políticas do estado.

Foram organizados para pensar assim com os "komsomols", a juventude comunista dos soviéticos, foi assim com a juventude hitlerista, é assim com os "pioneiros" e a juventude comunista de Cuba. As palavras de ordem do estado e do partido conduzem os militantes. Os jovens acreditando ser o próprio estado.

Todas estas ideias "progressistas" estão presentes nas novelas e nas artes e nas cartilhas escolares distribuídas pelo Ministério da Cultura. A fonte, os laboratórios onde são engrendradas é a mesma UNICEF, aquela agência admirável que a Rede Globo promove com a campanha "Criança, esperança". É só ter coragem e ler as "Diretrizes Internacionais para a Educação Sexual".

Apenas para exemplificar, no dia 27 de Agosto, a ONU lançou o "Guia de Educação Sexual para o Poder dos Jovens", elaborado com assessoria da UNICEF, Organização Mundial da Saúde e como não poderia deixar de ser o "Fundo para a População das Nações Unidas" que mais acertadamente deveria ser conhecido como fundo para a redução da população.

O caderno Guia de Educação Sexual tem 98 páginas e orienta o trabalho educativo em quatro grupos, com conteúdos específicos, todos contra a ordem natural. A perversidade e a perversão estão presentes nos quatro blocos que fazem parte dos mesmos Objetivos do Milenio para o Desenvolvimento, cuja data limite foi o ano 2.000, com a justificativa de acabar com a pandemia de aids.

Entre os 5 e 8 anos, as escolas deverão iniciar as crianças na masturbação e mentalização sobre "os papéis do gênero e suas variações" em outras palavras, homossexualismo. Sir Bertrand Russel já aconselhava isto e mais, para as escolas públicas inglesas, na década de 1950: aulas práticas de sexo infantil até o inicio da puberdade.

Voltemos à ONU/UNICEF: doutouradas em masturbação, as crianças a partir dos 9 anos vão receber aulas sobre os "efeitos positivos e negativos dos afrodisíacos" (drogas também???) e deverão aprender a lutar contra a "homofobia, transformismo e violências" contra os gêneros e variações. Continuamos com a exaltação da homossexualidade que não multiplica a espécie.
A partir dos 12 anos, os jovens "sociólogos" do sexo, vão ser instruídos sobre as "profundas razões para abortar"! A partir dos 15 anos ganharão o diploma de doutores em violência sexual e promotores do "direito ao aborto e direito de acesso ao aborto seguro". Tudo com as bençãos dos padres da teologia da libertação. Logo, logo a pedofilia será consagrada como prática sadia!

Estas políticas são aprovadas e executadas pelo Ministério da Educação, com pleno conhecimento das autoridades do governo socialista do Brasil. O resultado está nos jornais. Mas o PT, o presidente e a candidata “não sabem”.
(Ref. Juan C. Sanahuja, em: http://www.noticiasglobales.org)