sábado, 27 de fevereiro de 2010

COMO ENLOUQUECER UM OPERADOR DE TELEMARKETING

Transcrito de www.parafernaliaartesanal.blogspot.com

Você tem recebido com freqüência ligações de operadoras de Telemarketing para tentar vender assinaturas de jornais, planos de saúde, cartões de crédito, abertura de conta em banco, livros, etc..? Você já está cansado dessas ligações? Seus problemas acabaram! Eis aqui a cartilha: 'Atormentator the Operator of Telemarketing' com 10 maneiras de de atormentar quem está do outro lado da linha.

1) Quando a pessoa lhe perguntar "como vai?" responda:
- "Estou tão feliz que você esteja me perguntando isso! Hoje em dia ninguém mais se preocupa comigo e preciso tanto conversar com alguém... Minha artrite está me matando e meu cachorro acaba de morrer. O pior, é o meu médico que me disse..."

2) Peça um tempo, dizendo que vai pegar uma caneta e um bloco de papel e fale à pessoa para falar MUITO devagar porque você estará escrevendo tudo o que ela disser.

3) Quando a pessoa disser: "Bom dia, meu nome é Francisco da empresa X", peça-lhe para soletrar o nome e sobrenome, e o nome da empresa. Faça-o repetir. Pergunte o endereço, faça soletrar o nome da rua, o CEP. E faça repetir novamente. Peça-lhe o nome do chefe dele, o número do CGC, etc... Faça pausas longas como se você estivesse escrevendo tudo num papel. Continue a fazer perguntas pelo tempo que for necessário.

4) Quando a pessoa se apresentar (ex: "eu sou Júlia"), dê um grito:
"- Júlia? Oi. Querida! É você mesma? Faz tanto tempo que não tenho notícias suas! Como é que você foi na faculdade? Você não lembra mais de mim?"

5) Se uma empresa de telefonia ligar para lhe oferecer descontos nos interurbanos, responda com voz sinistra:
- "Não tenho amigos. Ninguém quer ser meu amigo. Ninguém quer falar comigo. Você quer ser meu amigo? Eu poderia ligar para você... Qual é teu número?"

6) Se uma administradora de cartão de crédito ligar para lhe oferecer um cartão, responda que esta oferta caiu do céu, você acabou de ficar desempregado e está com um monte de dívidas, seu cheque especial foi cortado e que finalmente você vai poder fazer as compras de supermercado.

7) Ou então diga que você está em liberdade condicional, num programa de reabilitação social para detentos e que você precisa pedir à assistente social a autorização dela.

8) Depois de ter ouvido tudo o que a pessoa tem a dizer, peça-a em casamento, porque você só dá seu número de cartão de crédito à sua esposa.

9) Assim que a pessoa falar o nome dela, você já começa:
"-Não adianta, fulano(a), eu já reconheci sua voz! Essa brincadeira é boa, mas agora não tem mais graça. E como vai a tia Palmira?" Não importa o que a pessoa lhe disser, repita:
"-Pára com isso, Fulano, você não percebeu que eu já te reconheci?"

Se nenhuma das técnicas anteriores adianta, apele:

10) Diga à pessoa que você está muito ocupado no momento, mas que lhe dê seu número particular que você irá ligar mais tarde. A pessoa evidentemente não vai querer lhe dar o número residencial. Responda então:
"- Eu imagino que você não quer ser importunado na sua casa... Eu também não!"

Se essas não funcionarem, experimente essas outras....

Depois de estudar atentamente os manuais de telemarketing (é sério), bolamos estratégias infalíveis (e cruéis) para você se livrar. Experimente!

por Bruno Torturra Nogueira


1. Imite alguém famoso

Uma das primeiras perguntas dos serviços de telemarketing é: “Com quem estou falando?”. Responda na hora: “Silvio Santos, rarái!”. Ou imite alguém famoso de sua preferência e tente levar a conversa normalmente. Ele vai ficar confuso e desligar. Funciona sempre.

2. Finja-se de gago

Se um atendente perde muito tempo com um cliente, é tido como improdutivo e corre o risco de perder o emprego. Use isso a seu favor. Logo na primeira resposta, dê início a uma gagueira insuportável, daquelas em que se leva mais de um minuto para terminar um simples “obrigado”. Em dois tempos o atendente desliga.

3. Jogue com as armas dele/dela

Assim que o operador se apresentar, emende: “Desculpe interrompê-lo, mas não posso falar agora. Por que você não me deixa o telefone da sua casa que eu ligo mais tarde, depois das dez da noite?”. O telemarketeiro fatalmente dirá que não pode fazer isso e nessa hora você inicia um discurso sobre as inconveniências de ser importunado no sossego do lar. Tenha certeza de que ele/ela desligará antes de você.

4. Chá de cadeira

Diga na primeira oportunidade: “Espere um minutinho, sim?”. Deixe o telefone de lado e aproveite para fazer um chá, lavar louça. De minuto em minuto, convém voltar ao gancho e dizer: “Só mais um minutinho, tá oquêi?”.

5. Finja-se de surdo

Qualquer coisa que lhe for dita ao telefone responda com um sonoro: “O quê?!”, ou “Como?!”, ou “Não escutei...”. Nunca responda outra coisa. Um dos mais eficazes métodos.

6. Responder tudo na língua do pê

Nenhum manual de telemarketing diz o que fazer quando o cliente só se comunica na língua do pê. Nossos interlocutores desistem já na segunda frase do diálogo.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

O FUTURO QUE NOS PROMETEM

Por Arlindo Montenegro

Ontem, 5ta. Feira, 25 de Fevereiro, enquanto o ex metalúrgico e ainda Presidente do Brasil, abraçava carinhosamente os irmãos Castro, na fortaleza em que vive o mais velho, personalista e sanguináio ditador sobre a face da terra, realizava-se o funeral de Orlando Zapata Tamayo, que fazia greve de fome há 85 dias.

Orlando estava preso desde 2003 e como outros, condenado por reunir 10 mil assinaturas, na forma da Constituição Cubana, para encaminhar um pedido de mudanças legislativas, em nome do Grupo Varela, também integrado por jovens do Movimento Cristão pela Liberdade. A lei mudou. Sumiu o dispositivo que permitia aquela iniciativa popular.

Orlando foi reconhecido "Preso de consciência" pela Anistia Internacional, no episódio que ficou conhecido como Primavera Negra. Um dos dirigentes de grupos dissidentes que pediu uma audiência com o visitante do Brasil, declarou que depois da visita aos Castro, "Lula deveria visitar os metalúrgicos dissidentes, presos e condenados a 20, 30 ou mais anos de reclusão".

O articulista do "El Diario Exterior", Manoel Morales do Val, lembra que Orlando era um "trabalhador manual, negro e pobre" (indicando o racismo dos irmãos ditadores) "na prisão sofreu inumeráveis sevícias incluindo surra de pauladas por ser negro". E finaliza: "Fulgêncio Batista, filho de independistas cubanos, nunca matou tantos dissidentes como os Castro" ao contrário, anistiou os irmãos depois do assalto ao Quartel Moncada.

A pequena cidade de Banes, foi cercada pelas Forças de Segurança do Estado, que identificavam todos os que acorriam ao enterro de Orlando. Munidos de uma lista identificavam outros dissidentes. Contaram-se no mínimo 30 prisões no ato. Nada disso interessa ao visitante. Da última vez que degustou o rum e os puros cubanos, ele inaugurou as obras do porto de Mariel, um grande investimento brasileiro na ilha.

Alí foram gastos 450 milhões de dólares, na modernização do porto com um terminal de container's, rodovia e vias de acesso. As exportações para a ilha, 330 milhões de dólares em 2009 e mais o inicio dos trabalhos da Petrobrás em prospecção nas águas cubanas do Golfo do México é de grande ajuda. Os cubanos auxiliam a acabar com o analfabetismo dos pescadores brasileiros, com um programa audiovisual e assessores especializados.

Uma ilha com 10 milhões de habitantes, com um exército de 500 mil homens, espalhou o terrorismo guerrilheiro na Africa e nas Américas. Um ditador prepotente, aristocrático e personalista, domina e ruduz os nacionais à pobreza, formando uma fortuna particular com o tráfico de drogas, exploração de mina de diamantes na Africa, dois bancos na Inglaterra e mais de 200 empresas espalhada pelo mundo, enquanto o povo cubano passa fome e é privado das liberdades fundamentais.

Tudo isto está narrado em fitas de vídeo, livros como aquele do comunista francês René Dumont (Cuba, est'il socialiste?) que depois de trabalhar como consultor pecuário convidado na ilha por dois anos, desistiu e declarou em seu livro que "Cuba era um grande latifundio gerenciado por um só feitor, Fidel Castro".

Agora, com um lapso de 5 anos, nos chega a notícia do livro de um cubano, sobrinho de Osvaldo Dorticós Torrado, que desempenhou o pífio papel de Presidente de Cuba entre 1959 e 1973. Afastado da vida política por Fidel Castro, Dorticós suicidou-se em Junho de 1983. Juan Vivés, (*) sobrinho de Dorticós, exilado na França, lançou em 2005 suas memórias pessoais na condição de ex agente dos serviços secretos cubanos. O livro secunda e acrescenta a outros depoimentos de pessoas que se afastaram do círculo íntimo dos Castro: um ex guarda pessoal, um "laranja" que cuidava da rede internacional de empresas, ex comandantes, e a propria irmã dos Castro, Juanita.

Ernesto Neto, brindou os leitores do grupo "cafehistória", com um resumo do livro "El Magnifico:20 Ans au Service Secret de Castro". Juan Vivés, conta que atuou no serviço secreto de Cuba até 1979, quando exilou-se na França. Descreve a difícil convivência com Guevara e o prazer sádico que o "herói" tinha por fuzilamentos e assassinatos: "só na Fortaleza La Cabaña ele comandou mais de 600 sessões."

Passa pela invasão da Bahia dos Porcos, assassinato de Camilo Cienfuegos, assassinato de Salvador Allende a mando de Fidel Castro, guerrilhas na Africa, operação no Saara Espanhol, tudo emoldurado pelos "casos que denotam o aspecto mau caráter de Fidel - colérico e com suas alegorias fantasiosas e megalomaníacas (...) todos que ameaçaram seu prestígio como Líder Máximo da Revolução, foram misteriosamente "silenciados", sejam por inexplicáveis acidentes como o de Camilo Cienfuegos, sejam por falsas promessas de ajuda como o próprio Che, quando se encontrava na Bolívia".

Uma novidade é que em Cuba foram interrogados soldados americanos presos no Vietnã. Juan Vivés recebeu dois textos em inglês, para tradução, duvidando da alegada falta de capacidade dos vietnamitas e "posteriormente o seu próprio tio (o Presidente) lhe teria dito que havia prisioneiros americanos em território cubano. O que ele nunca soube foi o que fizeram com estes infelizes soldados. Provavelmente foram mortos".

"O ex-espião ainda conta como a mídia internacional, artistas e escritores do mundo inteiro apoiaram (e apóiam!!) o cruel regime castrista, disseminando mentiras a respeito do país e da revolução". O envolvimento de Castro financiado a Frente Polisário no Saara Espanhol, bem como a criação e financiamento do ETA Espanhol, a partir da Venezuela.
Durante a operação militar em Angola, foram envolvidos 300 mil jovens cubanos durante 15 anos. Então "as tropas cubanas trocavam diamante e marfim, pela heroína por intermédio da máfia de Hong Kong. Daí a droga era enviada a Havana em transportes militares cubanos e posteriormente era transportada para o Panamá, onde agentes cubanos da DGI negociavam com traficantes internacionais."

Quando a operação foi denunciada pelos Serviços Secretos americanos, o responsável, General Arnaldo Ochoa e outros a serviço de Castro, foram fuzilados. O comércio continuou sob a direção de Raul Castro em relação com Daniel Ortega, atual presidente da Nicarágua e Pablo Escobar.

É este o amigo do presidente Lula. É este o modelo de "democracia" que querem impor ao Brasil. Vamos deixar?

Referências:El Diario Exterior, Madri, 24 de Janeiro 2009; (*)Ernesto Neto, no www.cavaleirodotemplo.blogspot.com, texto reproduzido do http://cafehistoria.ning.com/group/serviosecretocubano?xg_source=activity
http://www.elveraz.com/TVradio2.htm, documentários sobre Cuba, ver aba "política", entrevista com Manuel de Beunza e a sequência "El Escolta".

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

REALIDADE E IMAGINAÇÃO

Por Arlindo Monenegro

Há uma diferença abissal entre imaginar uma sociedade e conviver, participar de uma sociedade. Há uma diferença abissal entre ideologia e utopia. Entendo que os ideólogos do coletivismo trabalham por destruir, desprezar todo um aprendizado cultural. Enquanto os que seguem utopias entendem que são inatingíveis em sua totalidade, que se renovam naturalmente em novos objetivos, que são trabalhadas de meta em meta.

Mesmo os cientistas, que brincam de Deus, sabem que a utopia conduz à prática de questões e investigação, para compreender a intimidade da matéria ad infinitum. Trabalham para superar as dificuldades da vida, com objetivos diversos nos vários campos do conhecimento, compreendem que passam o bastão de geração em geração e que a utopia está na visão e domínio da totalidade.

E como os campos do conhecimento se tocam e se complementam em ciencias exatas e humanas, eles observam os parâmetros da lei e sabem que lhes está vedado, por exemplo, matar. Sabem que na pesquisa e no laboratório, são livres, sem limites. Mas no convívio e nas relações com a sociedade, os limites existem. Alguns traduzem a totalidade transcende os sentidos, mas tem íntima relação com os mistérios da eternidade. Aqui percebem a presença de Deus, que muitos querem ver para crer, como São Tomé e na dúvida, calam.

Outros apenas foram educados como incréus e se tornam militantes materialistas, alinhados com os poderosos que se sentem superiores como deuses. Assim trabalham para controlar, destruir e submeter todos os povos. Totalitários coletivistas contra democratas que respeitam e percebem na força individual, o sopro de Deus, cuja veneração pressupõe o respeito aos outros, um respeito que limita positivamente. Um respeito que comemora a vida e impede o desprezo às outras criaturas.

Existem leis escritas, contratos de diversa natureza entre integrantes de um mesmo grupo que limitam excessos prejudiciais garantindo a ordem pública, circunscrevendo as expectativas individuais, disciplinando os movimentos e propiciando os debates, polêmicas, arbritados por juízes. Na família os pais e mães são juizes dos filhos, uma investidura natural. Mas as leis não escritas estão presentes em toda a história do homem na terra. São leis naturais, inscritas como alicerce de todos os tratados de sociedades democráticas.

Uma das principais é o princípio de igualdade da todos diante da Lei. Do mesmo modo como todos se reconhecem iguais perante as Leis Divinas, as Leis Naturais. No Brasil vivemos um desmonte das leis naturais e da estrutura jurídica, que em nossa cultura, apontava para a construção de um estado democrático de direito.

O grupo no poder chegou dizendo mais ou menos assim: "ta tudo errado, tem que ser do nosso jeito". Um jeito descartado por dezenas de nações, que sofreram com a supressão da liberdade individual, que sofreram com a imposição totalitária de governantes marxistas. Um jeito fortemente implantado nas mentes, por estruturas elaboradas por incréus e satanistas, todos coletivistas.

O que conduz ao estado democrático de direito é a educação, desde o berço. É a estrutura familiar presente e a consciência de uma missão de vida. Se ligada à fé no transcendente, tanto melhor. Até agnósticos e inocentes úteis da guerra marxista, imaginam e têm presente, que o bem comum se pode realizar apenas nos marcos de um estado democrático de direito.

Mas todos sentem que há um abismo, uma direrença imensa entre falar sobre o estado democrático de direito e praticar de verdade, fazer alguma coisa para torná-lo efetivo, regra pétrea para as relações confiáveis entre os membros de uma nação. Mais ainda, quaando temos toda a sociedade confusa, a educação desmantelada, as instituições anarquizadas e uma máquina de propaganda que se apossou de cada instituição, nega e distorce a informação e domina a mídia, salvo raríssimas exceções.

PEDIDO DE DESCULPA

Na Sexta-Feira, 19 de Fevereiro, fechei o comentário nesta página, anunciando a realização do Fórum Democracia e Liberdade de Expressão em São Paulo. O respeito pelo Instituto Milenium, pela UnoAmérica e a participação de Reinaldo Azevedo, me fecharam os olhos para os demais participantes. Na temática havia um ítem que parecia destinado a situar a ditadura venezuelana, que vem perseguindo, matando e prendendo opositores.

Primeiro recebí um email perguntando se eu havia bebido todas as garrafas da coleção de pinga de um amigo. O mesmo email identificava os responsáveis pelo evento. Logo abrí o site Notalatina e deparei com a nota de Graça Salgueiro. Foi uma porrada na moleira! Não sabia onde meter a cabeça. Pisei na bola! Errei e peço desculpas aos que acompanham este blog. O evento é mais uma operação midiática, com máscaras liberais para prestigiar a marcha dos comunistas.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

ATEÍSMO, RELIGIÃO DA ONU

Por Arlindo Montenegro

Sem dúvida, o avanço das tropas comunistas da teologia da libertação entre os cristãos, afastou muita gente da frequência aos templos, possibilitou mesmo um avanço do agnosticismo. A estratégia tem dado bons frutos, mas no mundo inteiro já se percebe que se levanta uma onda de consciência contra os efeitos políticos e sociais deste vírus.

Apenas um dos tantos vírus espalhados pelo planeta - enfermidades criadas em laboratório, pulverizações químicas usando até aviões comerciais pelo planeta afora, com o objetivo de matar lentamente, farsas como a do aquecimento do clima e derretimento de geleiras, corrupção, fraudes eleitorais - contribuindo para o medo e confusão cultural.

Assim como a imprensa cala na análise e denuncia da matriz ideológica que define as ações deste governo - o Foro de São Paulo - também cala que em alguns recantos significativos, levantam-se vozes que insistem em abrir os olhos da população. Ontem falamos de blogueiros. Hoje convidamos para que ouçam um Padre, Professor de Teologia e Reitor de um Seminário, lá no interior do Brasil.

O Padre Ricardo é cristão e brasileiro. Ouçam parte de uma homilia no primeiro vídeo e no segundo vídeo o começo de uma entrevista em programa da Rede Vida.
http://www.youtube.com/watch?v=hA6h1dFgbc8
http://www.youtube.com/watch?v=lpjYttjds6g

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

BUSCANDO ENTENDER O CAOS

Por Arlindo Montenegro

Um dia lá no passado, percebí que os adultos questionavam, para determinar a vocação dos adolescentes. Vocação era a inclinação natural que as crianças revelavam, as melhores aptidões para uma ou outra atividade, que poderia vir a ser profissão exercida com prazer. Muitas famílias ditavam a profissão. Os filhos obedeciam. Conhecí um que ordenou-se sacerdote por imposição familiar e depois tornou-se engenheiro bem sucedido. Nunca atuou no ministério da igreja.

A vocação pavimentava o aperfeiçoamento ético e moral. Se não vocacionados, os mais competentes e disciplinados se destacavam nos grupos de trabalho, encontrando novas maneiras de cumprir as tarefas com menor desgaste físico ou emocional. No mundo capitalista, as escolhas sempre foram livres. No mundo comunista, o estado inaugurou a seleção das pessoas, determinando o conhecimento específico para grupos específicos na hierarquia imposta à sociedade.

Agora o estado cada vez maior, domina a educação e orienta os grupos, ficando com as maiores vantagens os bem nascidos. A vocação movia para o estudo e desenvolvimento prazeroso. Nesta nova ordem, cada um busca o progresso na área que pague melhor pelas habilidades e conhecimentos individuais e capacidade de adaptação à ética empresarial, para garantir a competitividade e produtividade.

O discurso do estado, amplia as diferenças sociais e reduz a emoção espiritual às rações de jogos passageiros. Circo permanente. Pouco se discutem as razões profundas, o sentido da vida, os caminhos para reduzir as diferenças extremas entre a pobreza e a riqueza material e espiritual. Já não se discutem os caminhos para que as pessoas saibam como valorizar seu trabalho, sua contribuição para o bem estar da sociedade.

O estado dita as regras, distribui esmolas e trata de concentrar a riqueza com voracidade cada vez maior. Promete um futuro que todos começamos a entender como propaganda vazia, conversa prá boi dormir. Estamos vivendo no ambiente do deus Estado, senhor da religião sociedade de consumo. A individualidade é o crime. A virtude está no hedonismo e na capacidade de obter créditos para o consumo, o ópio do povo amedrontado diante do futuro duvidoso.

Vivemos um engodo de democracia sem conhecer as liberdades e a responsabilidade individual, a consciência cívica presente nos ambientes democraticamente mais avançados. A mídia propaga que o fato de participar de eleições define o estado democrático. Grande mentira. Os cidadãos são induzidos a acreditar que "escolhem" seu destino político. Pura ilusão! O estado coletivista propaga esta ilusão para impedir que os eleitores sejam livres para interferir nas questões que os poderosos consideram importantes... para manter-se no poder.

Partidos coletivistas (socializantes, comunistas) e os que se dizem democratas, divulgam seus programas que parecem diferentes no período eleitoral. Envolvem religiosos, escolas, empreiteiras, bancos, indústrias, artistas, clubes e a mídia os secunda, mantendo a ilusão de que os problemas vão ser resolvidos, que o novo governante vai criar empregos... Nenhum governante cria empregos, nenhum estado é uma empresa. Nenhum governante é um empresário. Nenhum funcionário burocrata do estado produz algum bem.

Num texto publicado pelo Recanto das Letras, em 13/02/1010, descreve-se a entrevista de Gustav Gilbert, um oficial da inteligência americana fluente em alemão, quando Goering prisioneiro descreveu como pensa o estado coletivista:

..."eu disse que, não achava que o povo comum estivesse muito agradecido aos líderes que trazem guerra e destruição."

"— É claro que o povo não quer a guerra.", Goering resmungou. "— Por que iria algum pobre rapaz que vive em uma fazenda querer arriscar sua vida em uma guerra quando o melhor que pode conseguir é voltar inteiro para sua casa? (...) Mas, afinal, são os líderes do país que determinam a política, e é sempre uma simples questão de arrastar o povo, seja em uma democracia, em uma ditadura fascista, em um sistema parlamentarista, ou em uma ditadura comunista."
"— Em uma democracia o povo tem alguma voz na questão por meio dos representantes eleitos, e nos Estados Unidos, somente o Congresso pode declarar a guerra."
"— Ah, isto é bom, mas tendo voz ou não, o povo sempre pode ser levado a fazer a vontade dos líderes. É muito fácil. Tudo o que você tem a fazer é dizer que o país está sendo atacado e denunciar os pacifistas por falta de patriotismo e por exporem o país ao perigo. Funciona da mesma forma em qualquer país."

Entre nós, a guerra é uma variação daquela tradicional.. Armam-se os bandidos. Desarmam-se os cidadãos. Estende-se o medo à guerrilha dos traficantes e outros marginais. Assim, os coletivistas do governo provocam a população, prometem soluções e a nulam a oposição. Tudo quanto significava um estado democrático de direito, foi virado em direito do estado, em consonância com a ideologia internacionalista dos governantes, em contraposição à cultura histórica.

Nos últimos oito anos, o estado de portaria em portaria, dobrou o número de servidores burocráticos. E diversas portarias violam os princípios da Constituição, como dos "direitos humanos" ou aquela outra do meio ambiente que inclui as Centrais Sindicais no processo administrativo de concessão de licenças ambientais, regra que exigiria uma lei federal. É esta gente que quer um estado cada vez maior, com militantes ativistas mais presentes, mais poderosos, mais burocráticos, criando dificuldades à livre empresa.

Vocações, profissões, mentalidades, tudo tocado pela vontade super poderosa do estado. A iniciativa e as escolhas individuais reduzidas a zero. Sociedade como religião. Estado como igreja. Governantes como pastores ou lobos travestidos de pacíficas ovelhas, disputando os nacos mais suculentos da atividade produtiva dos outros.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

INDIOS OU BRASILEIROS?

Por Arlindo Montenegro

Naquela ilha, moleque, pés descalços correndo para o mar, na areia branca, quente e fofa, levava um tosco tridente feito de arames e uma mochila de algodão. O sol apenas começava a iluminar bem ali onde as ondas recuavam e a gente podia vê-los correndo na areia molhada. Era só prender com o tridente, pegar pelo casco, livrando-se das garras branco azuladas e ir juntando os siris no mochila. Uns dez ou doze dos grandes eram suficientes. Cumprida a tarefa, puxava o cordão que impedia a fuga dos bichinhos e deixava ali na areia enquanto mergulhava nas nas águas mornas.

Chegando à casa, pedia a benção a minha mãe, que já tinha preparado um café forte e cheiroso, o cuscus de milho e os ovos estrelados com a gema mole. Ela me abençoava fazendo uma carícia nos cabelos revoltos, “Deus lhe dê saúde, sorte e felicidade”, recebia a mochila sentindo o peso e comentando: “hoje você pegou dos grandes!” Papai chegava assoviando seu dó-ré-mi-fá-fá-fá, dó-ré-dó-ré-ré-ré, trazendo o leite. Também me abençoava e mandava pegar o caderno de anotação da contagem dos cocos descascados.

Os índios que habitavam casas de sapé na ilhota vizinha, ajudavam a recolher e descascar os cocos. Eram todos cristãos e alguns dos moços estudavam ou trabalhavam na cidade. Gente que falava como a gente, sorria como a gente, comia o que a gente comia. Foram necessários 60 anos de vida para saber que agora “fabricam índios” no Brasil. Há anos que a Funai diz que tal terra pertence a uma etnia, mas como não pode provar, logo diz que é de outra.

Foi quando entraram as Ongs do estrangeiro, Greenpeace, CIMI e com ajuda da Funai, isto é dos representantes do governo, que a “fábrica de índios” ganhou corpo. Tudo isso é um avanço em direitos humanos no entender do Presidente e seu estado maior de comunistas – Dilma, Tasso, Vanuchi, MAG, o outro do meio ambiente... e são cínicos!

Em Ilhéus o Governador petista da Bahia, participava de um evento reunindo índios fabricados, quilombolas, sem-terra e homossexuais. Daí vai, falou que não ia permitir o desrespeito à Lei que os “bandidos de Babau” praticavam. Teve de sair pela porta dos fundos e até hoje não fez nenhuma reintegração de posse das dezenas de propriedades invadidas por Babau. Os produtores rurais continuam prejudicados.

No estado do Amazonas, os nativos sabem que a Funai paga para que os pais registrem recém nascidos como índios. No Pará a coisa e mais violenta, sob a direção da Sra. Carepa do PT, governante que ignora até as liminares da Justiça para a reintegração de posse de áreas invadidas por “indios e sem terra”. Mais de 1 milhão de hectares de terras paraenses que formam a maior área de florestas considerada “sem dono”, estão em litígio.

Alí, apareceu um “índio fabricado”. Aspas para o jornal “O Liberal”, entrevistando Inácio Regis, um pesquisador ambiental: “O Pará é detentor de uma população indígena falsa, estimada em mil pessoas, que vive no alto rio Arapiuns, em Santarém, mais precisamente Gleba Nova Olinda, hoje conhecida área de conflito agrário”.

Odair José Souza, ganhou identidade da etnia Borari, “depois que antropólogos da FUNAI, Frei Florêncio Vaz, Sindicato dos trabalhadores rurais de Santarém e integrantes do Green Peace apareceram na região.” Agora ele é o “Cacique Odair Borari”. Mas para Basílio Matos dos Santos, não passa de um farsante. Eis o que ele diz: 'Sou tio do Odair, ajudei a criar esse menino desde que o pai dele morreu. O bisavô dele era rio-grandense, meu pai, avô de Odair, morava em Belém, nunca tivemos índio na família. Aqui no Maró, a gente se conhece, nunca teve índio, como concordar com uma mentira dessas?”

E continua dizendo que estes “indios” estão impedindo que o desenvolvimento chegue ao Maró. 'Por onde vamos tirar nossa produção se no verão tem uma cachoeira que não passa barco? Por onde vai chegar a energia Luz Para Todos? Pelo ar? O Odair esse moleque que ajudei a criar, vem dizer que é cacique de índios. As ONGs é que ensinaram eles sobre cultura indígena. 'Eles só se vestem e se pintam como índio quando vão falar com pessoas do governo, pra poder enganar'.

Para o coordenador regional da Funai “ esses povos são 'constantemente ameaçados'. Uma das ameaças é o Greenpeace que trabalha para cercar a área que circunda a BR-163, por onde escoaria a produção, por onde chegaria a luz que seu Basilio espera. A região é rica em minérios e logo alí perto a Vale e empresas multinacionais exploram a Bauxita que sai da Mineração Rio do Norte para a Inglaterra, EUA, Canadá...

Do Pará voltamos à Bahia onde Rosivaldo Ferreira da Silva, um “afro descendente”, saiu da roça onde plantava mandioca e foi ser garçom e estudar na cidade. Em contato com a molecada ongueira e grupos de “sem terra”, foi transformado no “Cacique Babau”, usando cocar com penas de pavão e outros bichos. Já tem uns dez inquéritos, por sequestro, furto, invasão de propriedade privada, incêndio criminoso, porte ilegal de armas, ameaça e formação de quadrilha.

A Funai, atribui a Babau e seu grupo uma área de quase 50 mil hectares, que inclui centenas de pequenas propriedades, hotéis, cemitério e quase a metade de uma das primeiras vilas fundadas na região, Vila Olivença. Serão expulsos pequenos produtores, pescadores, comerciantes e caiçaras. Esta é a Lei dos direitos humanos. O líder máximo já tinha reconhecido e prometido ao Cacique Raoni em 2007: “Tudo que não acorreu de 2003 a 2006 a gente fará acontecer em 2010”.

O Estadão noticiou em 29 de Dezembro passado que já foi assinado o decreto, mais que dobrando o quadro de funcionários da FUNAI. Babau e Odair Borari agradecem. A Greenpeace , o CIMI e a rainha da Inglaterra, também. Agora temos “indios”, “quilombolas” e “sem terra” todos contra os brasileiros. Todos abençoados pelos socialistas do governo, pelas Ongs e pela ONU. Em tempo, o Cacique Odair Borari recebeu o prêmio José Carlos Castro de Direitos Humanos, oferecido pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Pará e Pastoral da Terra.
Ref.: O Liberal”, Belém do Pará 16/11/09; 10/01/10; Revista Época - 22 de novembro de 2009.

BRINCANDO COM O BRASIL

Por Arlindo Montenegro

Os diversos clubes de coletivistas, racistas e “idiotas úteis” que integram o Partido dos Trabalhadores, estão reunidos para sacramentar o programa de governo da candidata do coração à Presidência da República. Cada líder mais personalista que o outro, vai externar sua fé no socialismo, melhor dizendo no estadototalitário coletivista, com maior ardor. Cada um sonhando compor o governo revolucionário mais radical.

Vamos contribuir compulsoriamente para trocar de estilo no exercício do poder socializante a serviço da nova ordem mundial. As ordens vêm de fora, como os financiamentos, como as leis da ONU que impõem como substitutivas da Constituição, que eles ajudaram a fazer, mas que agora não passa de um trambolho que deve querem banir.

Na ordem do dia estão: o PAC, a Copa de futebol e o tão querido Decreto dos Direitos Humanos para consolidar e engrossar as fileiras de militantes do PT no poder. Para consolidar a imposição da ideologia coletivista nas escolas, na igrejas da teologia da libertação, nos sindicatos. Para estreitar os laços com os ditadores mais infames, que mantêm seus nacionais na pobreza e na ignorância.

Dados de pobreza e ignorância, tem de ser omitidos nesta reunião de psicopatas e na mídia oficial. Por exemplo: os dados do Index Mundi, atualizados até 2009 que mostram o aumento de nacionais brasileiros abaixo do nível de pobreza – em 2002 eram 22 milhões e em 2009 somam 31 milhões, não obstante o bolsa familia.

Nem se vai falar que o relatório anual da Brand Finance, uma consultoria que avalia as marcas mundiais, listou 8 empresas brasileiras entre as 500 marcas mais valiosas: o Banco do Brasil, o Itaú, o Bradesco e a Petrobrás, Vale do Rio Doce, Oi, Vivo e Gerdau. Isto significa um recado: apliquem nestas empresas (semi) brasileiras que o lucro é certo.
Observe-se: são 3 bancos e duas de telefonia. A Petrobrás e a Vale, são multinacionais!

Nem se vai falar de reforma tributária, reforma política pra barrar os “ficha suja”, nem reforma trabalhista (tá tão bão prôs sindicato!), nem reforma previdenciária (os véio que se ferre!) e os partidos políticos, vão bem, obrigado pelos mensalões. Ah! O mensalão federal não vai ser citado. Prá não atrapalhar a propaganda de campanha. Nem vão falar da “herança maldita” que lhes propiciou o conluio com empresários de diversos setores.

Nem vão lembrar que no dia 11 de Novembro de 2009, os Procuradores da República, João Alfredo Paula e Silva e Raquel Branquinho Nascimento, enviaram ao Palácio do Planalto 33 perguntas ao Presidente da República, com prazo até o dia 30 de Novembro do mesmo ano para resposta.

O tema é conflitivo: esclarecer o envolvimento da excelência maior, com o “mensalão federal”, que fez um estrago parcial na imagem impoluta do Governo e seu partido. Sem pronunciamento conclusivo da Justiça, claro. Mostrando o desprezo para com os demais poderes (todos devidamente dominados), o Executivo não deu resposta ao Judiciário, até hoje.

Alguns movimentos externos assinalam “um passo atrás” na agressividade da nova ordem mundial. Internamente também temos alguns frágeis sinais: os blogueiros buscando interatividade entre si e seus leitores e um evento significativo, marcado para o dia 1 de Março: o 1º Fórum Democracia e Liberdade de Expressão em São Paulo, no Hotel Golden Tulip Paulista Plaza.

As inscrições para o evento podem ser feitas no site www.imil.org.br. Vale desembolsar, quem puder, 500 ou 250 Reais para um evento desta categoria, no momento em que vivemos. Reinaldo Azevedo e Arnaldo Jabor estão entre os palestrantes.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

ESTAMOS JUNTOS COM O BLOG COTURNO NOTURNO! E QUE OUTRAS INICIATIVAS SE SOMEM PARA USAR A FORÇA DA INTERNET EM DEFESA DO BRASIL BRASILEIRO, DIFERENTE DO BRASIL INTERNACIONALISTA QUE NOS QUEREM IMPOR.



O endereço do Coturno é: http://coturnonoturno.blogspot.com/

Outro movimento de blogueiros no mesmo sentido é: www.verdadeeliberdadeonline.blogspot.com

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

CONVICÇÕES E DÚVIDAS

Por Arlindo Montenegro

Um dia me dizem do aquecimento global e o MEC, com assessoria da Greenpeace, começa a utilizar os professores e alunos do ensino médio, para dizer que mais de 40 milhões de brasileiros correm perigo, porque as marés vão subir, o mar vai avançar sobre cidades... Logo descubro que tudo é mentira internacional e logo sei sei que Londres distribuiu uma grana pesada entre os estudiosos do clima, brasileiros inclusive, para reforçar a farsa do IPCC. Os jovens e professores nas escolas continuam divulgando a mentira.

São tantas as evidências da rendição dos governantes locais ao comunismo que a nova ordem mundial implanta, que nem é preciso mais ler as “teorias da conspiração”. É bastante rever o discurso documentado de um mesmo político, em suas versões antagônicas de ontem, ante-ontem e hoje, atestando a podridão moral, tão natural entre as “excelências”.

Os que hoje defendem o coletivismo marxista e os que integram partidos de “direita”, se confundem e se misturam. Para organizar os arquivos mentais e identificar quem é quem, melhor apreciá-los sob a classificação de Edward Griffin – coletivistas de um lado e individualistas do outro.

Já é passado o tempo em que se podia transitar entre posições mais ou menos definidas à “direita” ou “esquerda”, tendo de permeio o “centro” à direita, ou “centro” à esquerda onde se situavam os socialistas, os fabianos – aqueles intelectuais de bem com Deus e defensores do diabo, laureados em demagogia, manipuladores da informação.

No dizer de um blogueiro amigo, temos uma “imprensa que trabalhou no longo prazo, formando as bases, subvertendo a cultura popular e incitando sistematicamente a violência e a degradação da sociedade”. E esta imprensa, livre para os textos de louvação aos coletivistas, há dezenas de anos repete que “ser de direita”, “conservador” é o mesmo que identificar-se com “ditadores militares e torturadores”. É complicado lidar com os mecanismos estruturais da construção comunista associada à ONU. Lidar com estelionatários e mentirosos tão poderosos.

Tornou-se espinhoso defender posições éticas e uma fé política, quando há tanto tempo nos emprenham pelos ouvidos, repetindo que os individualistas, contrários ao coletivismo comunista, são todos defensores dos ricos e contra os pobres. Classes sociais marxistas? Só pedindo ajuda ao teólogo batista norte americano Adrian Rogers, um conservador (individualista, portanto):

"É impossível levar o pobre à prosperidade através de leis que punem os ricos. Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber.(...) O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro. (…) Se metade da população entende que não precisa trabalhar porque a outra metade vai sustentá-la...” E ainda temos de pagar despesas com cartões corporativos e uma inchada tropa de empregados do estado improdutivo, incompetente e burocrático.

Os blogueiros, responsáveis pela informação mais objetiva e menos viciada, aportam para os leitores a indicação de livros e trabalhos mais elaborados, fontes e autores que a mídia digestiva despreza. Estamos vivendo um momento moral em que importa a educação da juventude e reeducação de adultos. Precisamos criar depressa um canal de diálogo entre blogueiros e leitores.

Precisamos encontrar o caminho para superar as limitações que o estado gigantesco impõe, confundindo a democracia com o direito de minorias militantes coletivistas (marxistas), que impõem um decreto de “direitos humanos”, que ignoram a Constituição, única ferramenta institucional suficiente para limitar os 3 poderes políticos, desde que os direitos ali inscritos sejam respeitados, invioláveis e exigíveis igualmente de todos os cidadãos, sem exceção.

O contrário é calar-se e engrossar as fileiras de uma nação de escravos infantilizados e imbecilizados, obrigados a negociar valores que dizem respeito à vida, à família, à propriedade, à religião. Negociar valores, abrir mão de direitos que são naturais. Somente os estados comunistas suprimem os direitos individuais, negando a informação e educando cada pessoa a pensar e agir a serviço do estado.

É perceptível como estão tentando institucionalizar o coletivismo: a pessoa, o indivíduo, o zé mané, vendendo seus direitos naturais de liberdade a troco de uma garrafa de cachaça. E quem sabe, esperando poder comprar aqueles eletrônicos fabricados pelos chineses com marcas internacionais famosas, em unidades prisionais industriais do estado chinês.

O mesmo estado chinês, que junto com a Rússia, Inglaterra, EUA e os banqueiros financiadores, decide a agenda para implantação do comunismo curto e grosso em alguns pontos do mapa ou do delicado socialismo da escola fabiana, comunismo igualmente, destilado para o planeta como ideologia subliminar e religião verde da ONU.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

UM TRILHÃO E 500 BILHÕES...

É A DÍVIDA INTERNA BRASILEIRA.

Por Hélio Fernandes - Tribuna da Imprensa.

Oficialmente o governo confirmou: o total da chamada dívida interna que não
existia até 1994, é esse que está no título. A juros de 8,75% (por enquanto)
será preciso “economizar” para os juros, (leia-se: AMORTIZAR em vez de PAGAR)
importância astronômica. Fico até humilhado, envergonhado e constrangido em
publicar o total.

Mas não posso esconder do cidadão-contribuinte-eleitor, o quanto ele mesmo terá
que ter à disposição para alimentar esses sôfregos e avaros banqueiros
brasileiros e estrangeiros. E alguns que trazem para cá o famoso “capital
motel”, ganham na Bovespa, vão embora e deixam os lucros aqui, rendendo 8,75%, o
maior rendimento do mundo. E com pagamento sem qualquer atraso, pois ATRASO
significa desconfiança no exterior, e se houver essa desconfiança, Lula não
ganha mais títulos de ESTADISTA DO ANO.

(Lula é “consagrado” não pelo que faz e sim pelo que paga, generosamente com o
dinheiro do cidadão).

Tendo que AMORTIZAR a dívida com juros de 8,75%, o governo precisará,
anualmente, de 132 BILHÕES. Não tem evidentemente, mas precisa arranjar. Então,
fazia como FHC, que dizia “estamos economizando” para pagar a dívida. Não era
economia nem pagamento, mas nenhum órgão de comunicação, desses que “LUTAM
BRAVAMENTE PELA LIBERDADE DE IMPRENSA”, jamais comenta esses fatos.

Assim, livre e desembaraçado, o governo anterior deixou para o sucessor, uma
dívida de 800 BILHÕES. Que Lula DOBROU PARA 1 TRILHÃO e 500 BILHÕES. Com FHC, os
juros chegaram a 44 por cento, entregou a Lula com 26 por cento.
O atual conseguiu ir reduzindo os juros, mas não conseguiu reduzir a dívida. É
até natural. Os juros anuais exigiam amortizações de 150 BILHÕES, o governo só
arranjava 90 bilhões, (que chamavam de “economia”) e portanto como PAGAR 150 se
só tinham 90? Elementar.

Antes da crise, o governo conseguia AMORTIZAR (como confessava publicamente) 90
BILHÕES e os outros 60 BILHÕES, jogavam em cima do total da dívida. Os credores
(crime hediondo) aceitavam, não por generosidade, mas sim porque isso é da
essência do capitalismo.

Recebiam 90 BILHÕES, à vista, e a dívida, todo ano, aumentava 60 BILHÕES, quer
dizer: AUMENTAM OS PAGAMENTOS, E A DÍVIDA CRESCE NA RAZÃO DIRETA da quadratura
do círculo. Que se fecha, inapelavelmente, encurralando o cidadão-contribuinte-eleitor.

Com a crise, Lula não conseguiu ROUBAR os cidadãos nem nesses 90 BILHÕES, a
dívida aumentará cada vez mais, a amortização (que mentem dizendo que é
pagamento) terá que ser reduzida drasticamente, o total da dívida crescerá
rigorosamente.

(Há anos, no jornal impresso, fiz um jogo usando a palavra IMPAGÁVEL. Nos dois
sentidos. Uma vez ela é trágica, no outro humorística, pois os que recebem, caem
na gargalhada com a nossa burrice traiçoeira).
***********************
PS – Enquanto os EUA mantêm os juros ENTRE ZERO e 0,25% POR ANO, o governo Lula
já decidiu: aumentará os juros a partir de março. Dizem que o aumento será
pequeno, de 1,25%, irá para 10%. Com isso, a dívida renderá mais 19 BILHÕES.

PS 2 – Para o Bradesco e outros, Lula é altamente generoso. Emprestou a ele
importância enorme para comprar 28 por cento da Vale. A juros de 4 por cento ao
ano, que o Bradesco reempresta a 243 por cento.

PS 3 – Os que DEFENDEM BRAVAMENTE A LIBERDADE DE IMPRENSA, não podem tocar
nesses assuntos. Podem DENUNCIAR um desfalque de 30 mil reais no interior do
Piauí, mas têm que ESQUECER para sempre o ROUBO DE 150 BILHÕES, TODO ANO.

PS 4 – Como este repórter, e o seu jornal, a Tribuna da Imprensa, não se
importam com o desfalque do Piauí, mas denuncio todos os CORRUPTOS QUE ROUBAM
TODO ANO 150 BILHÕES do cidadão-contribuinte-eleitor, não posso ter jornal. Nem
ir à televisão, mostrar o que é VERDADEIRAMENTE, LIBERDADE DE IMPRENSA. Mas
enquanto viver, lutarei pela LIBERDADE DE IMPRENSA.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

MORAL INDIVIDUALISTA

Por Arlindo Montenegro

Sorrir da desgraça alheia? É o prato que servem com naturalidade alguns programas de tv, com as tais pegadinhas, com a exposição dos desavisados ao ridículo. Com que intenção? Treinar “as massas” contra a aflição, que assalta os que ainda percebem as outras pessoas como semelhantes.

A aflição vem do sentimento inato de amor, amizade e cumplicidade contrária aos propósitos da sociedade coletivista, contrários ao papel ditatorial do estado, que define quem SERVE AOS SEUS PROPÓSITOS e quem deve ser descartado. O estado coletivista se entende como o bem maior. Seus chefes falam pelas “massas” que consideram estúpidas e privilegiam apenas um reduzido número da população que consideram ser digna de ter direitos.

Apenas uma reduzida parcela de líderes e militantes coletivistas, uns dois ou três por cento da população e alguns serviçais periféricos podem ter direitos. Os governantes coletivistas entendem que as atrocidades e injustiças são necessárias para o bem de toda a sociedade. Daí o treinamento televisivo contra a aflição, que prepara o emocional das massas para adotar a crueldade como coisa natural e o amor como fraqueza. A força e o humanismo deles, coletivistas, está no ódio, no desprezo, no controle exercito pelo estado gigante. No mêdo que aprisiona as mentes.

Veja a pauta imutável do noticiário: drogas, filhos matando pais, professores, colegas, estupros, roubos, furtos, acidentes, famílias ao abandono, suborno, corrupção, batalhas entre bandidos e policiais. Bandidos com todos os direitos e policiais quase sempre mostrados como suspeitos de crimes.

Aí, apresentam os números da economia, os números que podem vir a ser, os números do lucro dos bancos. É a moral da estatística, que não poupa a enumeração das vítimas indefesas e aconselha o cidadão a não se defender diante dos ataques dos bandidos. Nem dos ataques do estado contra as liberdades e o direito natural. Mantêm o medo e prometem a solução... pra quando e como... quem sabe? A humanidade coletivista se caracteriza assim.

O prodigioso desenvolvimento dos engenhos que minimizam as agruras da vida, são na sua totalidade elaborados pelo pensamento individual. Mesmo num laboratório onde as pesquisas sejam desenvolvidas por um grupo, as tarefas estão divididas e especializadas e as provas finais específicas do axioma, dependem da aplicação individual. Individualidades somadas para o bem comum.

A disciplina da consciência individual, concentra o poder de raciocínio e criatividade, afirmando a liberdade espiritual. A motivação do estudioso é fundamentada numa lei moral presente em toda a história da humanidade. Mas para os coletivistas marxistas, não há certo ou errado, tudo é relativo. Por que será que deixam de considerar relativas suas certezas absolutas na condução dos negócios de estado, como nos relacionamentos sociais? Como podem sustentar sua correção, perfeição e certeza de todas as coisas?

As divergências presentes entre pessoas, na mesma família, relativas aos problemas materiais e espirituais, são permanentes, mas estão marcadas pela coerção de uma lei maior, intangível, eterna. Uma lei que os coletivistas não reconhecem. Para eles tudo é matéria.

Nas ciências sua produção sofre com as limitações da liberdade criativa e individual. Buscam direcionar e monopolizar a informação, distribuindo a contra informação que possa garantir a confusão e insegurança, o medo necessário ao controle intervencionista do estado em todas as esferas da vida.

O indivíduo é capaz de dirigir uma família ou um negócio. Mas é incapaz de decidir , direcionar, providenciar a logística de uma infindável cadeia de assuntos que exigem esforço concatenado, a direção de um estado. Para isto é preciso a forte presença da harmonia filosófica e a etica que até o advento do comunismo era provida pelo humanismo cristão.

A partir da execução da satânica cruzada marxista, com a infiltração na igreja dos padres operários franceses, um dos quais, o dominicano padre Lebret, veio dar com os costados no Brasil, a Teologia da Libertação coletivista, gerou no seio da igreja, padres, como os mesmos dominicanos que acobertavam o terrorista Marighella.

Muitos acreditavam que os EUA deveriam apoiar e pressionar a implantação dos estados democráticos de direito. Mas democracia e convivência democrática como a aceitação do estado democrático de direito, supõem respeito humano, tradição cultural, formação e informação continuada, objetivos claros, liberdades asseguradas, exercício que proporcione a credibilidade à justiça que observe a lei moral natural. A Ética dos melhores na condução dos negócios públicos.

Até agora no Brasil, fomos incapazes de sentir o coração vibrante em uníssono, para a construção de uma democracia. Falha a liderança de indivíduos imunes aos ressentimentos anarco revolucionários. Um pensamento e ação política em que cada um traga sua contribuição consciente e responsável. Consciência aprendida e treinada desde a família, desde os bancos escolares.

Isto um sonho possível. Em alguns pequenos grupos isto está sendo experimentado. É infinitamente complexo, mas praticamente natural e sem necessidade de leis escritas.

domingo, 14 de fevereiro de 2010

ANALFABETISMO FUNCIONAL POLÍTICO

Por Arlindo Montenegro

A notável articulista Maria Lucia Victor Barbosa, publicou ontem no Alerta Total, sob o título “Oposição Necessária”, uma reflexão substancial e esclarecedora, sobre as políticas do estado petista brasileiro, em sua guerra rumo ao totalitarismo. O último parágrafo é uma constatação, comum a todos os brasileiros: “... não contamos com nenhuma liderança, nenhum partido, nenhuma instituição, nenhum dos Poderes para se opor às deturpações, à corrupção, ao culto da personalidade de caráter autoritário do governo Lula da Silva.”

Nosso ponto de partida é a última frase do referido artigo: “Estamos necessitando urgentemente de oposição, sem ela periga nossa frágil democracia”. E onde está a oposição que necessitamos? Quem é o porta-voz? Que instituição, que jornal, que radio, que televisão defende o Brasil e os interesses dos brasileiros que constroem a riqueza da nação? Essa mídia defende os nossos interesses ou o interesse da ONU?

Todos os dias, há muitos anos centenas de blogs mantidos pela paixão dos que estão acima do analfabetismo funcional político, advertem, denunciam, publicam, tentam campanhas, promovem manifestações. E tudo parece seguir a regra daquele joguinho de “batalha naval”: os tiros no espaço vazio, se repetem. É difícil acertar um alvo escondido, camuflado, principalmente quando o outro jogador blefa e rouba, mente e não segue as regras.

Já que “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”, vamos continuar, até encontrar o alvo. Necessitamos superar o analfabetismo funcional político que mobilizado pela propaganda massiva, subliminar, continuada, confunde as pessoas. Durante anos o Foro de São Paulo, tem dado as cartas. E meia duzia de gatos pingados sabe o que significa essa instituição internacional comunista. E outra meia dúzia relaciona com os projetos criminosos da Nova Ordem Mundial, do Governo Mundial sediado na ONU.

A midia escrita, radiofônica e tv omite. Quando toca fica no mingau da beirada. E ainda há quem compre jornal, revista e veja tv. Mas a informação em todos os seus macabros aspectos fica com os blogueiros, que distribuem de graça prá quem quiser. Raros, comportados, têm algum patrocínio. Maioria vive na penúria, com dificuldade para pagar as contas mensais da sobrevivência.

Os empresários, estudantes, professores, profissionais liberais e a nação que se identifica como contrária aos abusos do totalitarismo, os anti comunistas melhor informados precisam sacudir o ranço do personalismo, os vícios do “quem manda aqui sou eu”. Precisam aprender a livrar-se da armadilhas da contra informação estratégica dos poderosos do mundo. “Todos são iguais perante a Lei. Que Lei? A Constituição ou as Leis Internacionais que descaracterizam a vontade da nação? Vale o combinado em casa ou arrumar a casa do jeito como os internacionalistas estrangeiros decidem?

Vale defender os interesses dos nacionais ou defender regras internacionais que nos submetem à vontade dos exploradores? Pra que eleger governantes locais? Se a ONU manda, acima da Constituição, então vamos deixar que a ONU indique os gerentes do Brasil. Até mais econômico. Chega de ficar martelando em independência, soberania, bem estar, riquezas nacionais, defesa dos pobres, justiça, distribuição de renda, estado democrático de direito... isto só dá em fritura mental!

No momento estamos confusos ante a perspectiva de eleger novos governantes. Todos os que se apresentam são figurinhas carimbadas. Tanto a guerrilheira rancorosa e fingida, como a inocente das matas ou outros melancias, obedecem e defendem o mesmo catecismo internacionalista. A nação vai continuar pobre, doente, insegura, analfabeta, sem Deus, pendurada nos bancos, temendo os traficantes e as agressões dos militantes sem terra e sem teto.

Varias iniciativas individuais, voluntárias, apolíticas, são desenvolvidas nos campos da educação, iniciativas de empresários contra a miséria endêmica, reeducação de jovens contra a marginalização, ajuda caridosa a enfermos, velhos, gestantes, recém nascidos, pequenas empresas rurais, reciclagem, artesanatos, independentes de verbas públicas, eficientes, gratificantes e o que é melhor, aproximando as pessoas em grupos seguros e confiantes.

O mesmo não se pode dizer do que agem como formadores de opinião. Nem com aqueles que tentam mostrar um caminho aos analfabetos funcionais da história e das estruturas políticas que nos impõem para massacrar as últimas liberdades. Os políticos profissionais de direita(?) que me perdoem, os identifico em ilhas, algumas fanáticas até, clubes fechados, vaidades e comodismo, aspirando um milagre como o nordestino aspira a chuva. Foram incapazes de ativar um movimento nacional unificado.

Os blogueiros tomaram a iniciativa e a ferramenta os tem limitado ao monólogo apaixonado e informação e documentação off road. É preciso buscar o diálogo, a meta, espalhar o discurso de corpo presente nas escolas, entre pais, nas igrejas, nos clubes, na forma mais criativa, para restaurar a esperança e a dignidade. É preciso uma cruzada para superar o analfabetismo funcional em política.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

FAXINA CONTRA CORRUPÇÃO!

Caros amigos,

Uma proposta de lei que pode limpar a política brasileirabanindo candidatos corruptos das eleições está circulando no congresso. Para passar essa leiprecisamos que milhares de pessoas enviem mensagensaos seus líderes políticos. Clique abaixo para participar:

Imagine um governo sem corrupção. Onde políticos que desviassem verbas públicas, que tivessem envolvimento com o tráfico de drogas ou crimes severos fossem banidos das eleições.

A campanha nacional pelo “Projeto de Lei Ficha Limpa” está demandando justamente isto, porém não será fácil passar esta lei sem uma oposição fortede políticos corruptos.

Estamos em ano de eleição e os políticos se preocupam com a sua imagem pública, então vamos enviar milhares de mensagens para os líderes de todos os partidos pressionando-os a apoiarem o “Projeto de Lei Ficha Limpa". Este ano o que eles menos querem é publicidade negativa, então vamos mostrar que estamos prestando atenção em suas ações e que nossos votos dependem disso -só com pressão popular eles irão passar a lei a tempo.

Clique abaixo para enviar uma mensagem pelo nosso site, e depois encaminhe este alerta para todos os seus amigos:

http://www.avaaz.org/po/brasil_sem_corrupcao/?vl

O Brasil inteiro quer esta reforma – os nossos parceiros do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral conseguiram coletar 1,5 milhões assinaturas para esta lei visando proibir a candidatura de pessoas que cometeram crimes graves, como assassinato, estupro, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e corrupção. No momento, um grupo de trabalho está revendo a lei antes de enviá-la para votação e não temos tempo a perder, ela precisa ser votada nas próximas semanas para que seja válida nas eleições de outubro.

Não é uma batalha fácil - a corrupção está entranhada em nosso sistema político, e existem diversos interesses poderosos contra esta lei. No entanto, em ano eleitoral onde o que eles mais querem é atenção, só a pressão pública pode influenciar os nossos deputados a votarem certo. Uma enxurrada de mensagens irá mostrar aos deputados que eles têm mais a perder não aprovando essa lei do que votando a favor.

Caso passe, esta lei vai revolucionar a política brasileira, retirando do governo todas as figuras carimbadas que só querem encher os bolsos de dinheiro. Tentados em desviar verbas públicas, com esta lei, os políticos irão pensar duas vezes se vale a pena arriscar a sua carreira política.

Nós já aguentamos o suficiente - não queremos mais bandidos nas eleições! Vamos lutar por um Brasil melhor - mande esse alerta para todos que você conhece:

http://www.avaaz.org/po/brasil_sem_corrupcao/?vl

Com esperança, Alice, Paul, Graziela, Ricken, Luis, Iain, Pascal, Milena, Ben, Paula, Benjamin e toda a equipe Avaaz

Fontes:

Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral:
http://www.mcce.org.br/

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

CONSTRUÇÃO HUMANA

Por Arlindo Montenegro


Outro dia, comentando as notícias com minha cadela, tive de concordar quando afirmou: “vocês humanos roem um osso mais duro que o meu”. Concordei em parte, pensando que da missa ela não entendia nem o “introibo ad altare Dei” mas era privilegiada, pura, perceptiva e decidida para aprovar ou rejeitar.

O osso duro dos humanos está concretizado na impossibilidade ou incapacidade de rejeitar as sucessivas mudanças, que anulam as regras do jogo democrático. Na condição de canis domesticus, minha cadela aprova ou rejeita sem pestanejar, sem capacidade de raciocinar sobre consequências.

Os humanos internalizada a memória e estão diante do futuro, a vida pela frente para “engolir sapos”, pagar impostos, ouvir mentiras e caminhar para o canto escuro, que nem na Venezuela, onde a população está literalmente provando a escuridão, projetada pela ignorância mental do “comandante bolivariano” que imita os irmãos Castro e outros ditadores amigos dos que nos governam.

Chavez quer ficar no poder indefinidamente, com plenos poderes. O PT e os cérebros estalinistas daqui também. Na Venezuela quem deixar de economizar no banho, na consumo geral de energia, vai pagar multa de 200% sobre o valor da fatura. Aqui, quem não se sujeitar às Leis internacionais, quem defender a Constituição local, vai para a reserva, que nem o General Maynard, que ousou falar a verdade que interessa contra os propósitos internacionalista do poder.

Ficou bem claro num debate do programa “Expressão Nacional” da TV Câmara, quando um deputado do PT, outro do PSDB, mais uma moça de nome Glenda, mostraram do ponto de vista coletivista totalitário, que a Lei que está valendo aqui é a Lei internacional dos diplomas da ONU.

A Constituição Cidadã que se lixe! A Lei da Anistia só vale para anistiar quem atacou, mas não para quem defendeu as instituições democráticas de direito, mesmo sendo autoritárias e plenamente aprovadas pelos brasileiros. A razão internacionalista fica valendo. Vale o discurso de meia duzia de gatos pingados que pegaram em armas para mudar o regime.

O General da Reserva, Rocha Paiva e o cientista político Otaciano Nogueira, na defesa das Leis vigentes e da Constituição, demonstrando que a Lei da Anistia foi elaborada e aprovada por representantes legais eleitos, pareciam falar um idioma de outro planeta diante dos sapientes internacionalistas.

Em momento algum ficou visível, explicitado para quem assistia, o abismo intransponível entre as idéias de democracia, estado de direito, soberania e independência nacional, respeito às leis e do outro lado as idéias que querem impor à nação: comunismo, leis internacionais exaradas pela ONU para facilitar o governo mundial, situando o Brasil como um laboratório da submissão, melhor dizendo, rendição incondicional aos banqueiros que financiam o conto do PACo, mandando a conta, com juros e correção para todos os brasileiros.

Pagamos e estamos pagando cada vez mais caro, para sustentar a ostentação dos poderosos, que nos ameaçam com a destruição de toda a estrutura pseudo democratica, para satisfazer a vontade de Fidel, Putin, Obama, Al Gore, Bushies... em fim, a nova ordem mundial socialista da ONU e dos banqueiros.

Querem impor leis e regras mundiais, sem consultar ninguém, sem respeitar as diferenças culturais e pior ainda colocando tudo sob a égide de direitos humanos. A globalização cultural, espiritual tem muito chão pela frente. Gostaria de saber como a ONU vai obrigar o respeito a um código de direitos humanos, que enquadra tantos genocidas e mesmo aiatolás e governantes islâmicos que discriminam as mulheres e armam crianças.

No comércio barreiras que impedem o livre trânsito de mercadorias, com todas as transações sob a tutela dos bancos e do estado. Na política atuam os inimigos da sociedade livre e um claro modelo que repete a práticas estalinistas de desmobilização dos inimigos do partido único ou que quer ser único ditador de pensamentos e comportamentos.

Prevalecendo a memória verdadeira, os brasileiros estarão diante de fatos que demonstram as intenções e interesses. Poderão mesmo entender que os momentos de criação e evolução espiritual se construíram amparados pelos que, no governo “ditatorial”, garantiam a segurança produtiva. A expressão cultural popular não foi censurada. Os guerrilheiros armados, hoje anistiados, espalharam e continuam espalhando a insegurança, a violência e a dor.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

TEATRO MAMATIVO

Texto da redação do site Midia@Mais

Administração de ponta, inovação, escala de prioridades, inteligência na discricionariedade: nada disso é marca de gestão nos governos de forma geral, e especialmente no Brasil. Mas no atual momento vivido pela cidade de São Paulo, continuar gastando o dinheiro do contribuinte afogado no “teatro alternativo” chega a ser quase uma ofensa.

Até hoje, foram mais de 60 milhões distribuídos para grupos de teatro que encenam peças (muitas vezes meros pretextos para propaganda ideológica) que quase ninguém assiste. Na verdade, algumas pessoas assistem sim: os amigos montam os espetáculos, outros amigos aprovam os patrocínios, e os restantes aparecem na platéia. De vez em quando, todo mundo troca de lugar.

Mas o pessoal do teatro acha “aborrecida” essa história de prestação de contas e de cortes nas despesas – evidentemente, dois costumes muito burgueses e inimigos da arte. Eles não querem dar conta exata do dinheiro público que passa por suas mãos, não querem diminuição nos valores e não querem abrir mão da porcentagem de administração. Imagina se todo mundo se lembra de pedir nota fiscal da cerveja no boteco da esquina do teatro, não é mesmo?

Enquanto isso, São Paulo vive a maior crise estrutural de sua história, com a população indo literalmente pelo ralo. O teatro, contudo, parece ir bem.

Se você quiser protestar contra esse gasto absurdo de uma cidade que deveria priorizar a saúde de sua população e o patrimônio dos contribuintes, escreva para a Prefeitura de São Paulo: http://www.capital.sp.gov.br/portalpmsp/do/faleconosco?op=filtroForm

Se não quiser redigir um texto próprio, insira simplesmente isto:

Sou contribuinte e cidadão paulistano e protesto firmemente contra a continuidade de programas paternalistas como o “Programa Municipal de Fomento ao Teatro”, que beneficiam um minúsculo grupo de privilegiados e dependentes das verbas estatais, enquanto a imensa maioria da população desta cidade continua sofrendo diariamente com o caos urbano, o péssimo planejamento e a dificuldade que a administração municipal tem em resolver questões muito simples, como a coleta regular de lixo. Exijo ainda que o poder público em minha cidade reveja suas prioridades e invista menos em proselitismo cultural e mais em proteger a vida e o patrimônio de quem mora e paga impostos aqui.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

O PÃO NOSSO DE CADA DIA

Por Arlindo Montenegro

O salário mínimo, garantido por Lei deveria ser, nos dias correntes, de R$ 1.987,26, segundo os cálculos atualizados mensalmente pelo Dieese, baseados no custo de cestas básicas em 17 capitais brasileiras. Mas que lei vale para os poderosos revolucionários coletivistas do bando governante? A Constituição? Nãooooo! É a Lei dos Direitos Humanos, desde que por “humanos” sejam entendidos os que dizem amém à cartilha ideológica do PT, da ONU e da Nova Ordem Mundial.

O salário mínimo da lei deles, $ 510, é o que os traficantes pagam por semana aos meninos que transportam droga para os clientes... Até os filhos de presidiários ganham mais que isso, como garante a lei dos direitos humanos. Está no endereço eletrônico a conferir: http://www.previdenciasocial.gov.br/conteudoDinamico.php?id=22. Portaria nº 48, de 12/2/2009, do INSS.

A notícia chegou assim:

"ABSURDO! Todo presidiário, tem direito a uma bolsa de R$ 798,30 a partir de Janeiro de 2010. Já que o "coitadinho" não pode trabalhar tem a garantia superior a muita gente que rala e rola prá manter a família. Assim, se o humano homicida, estuprador, traficante, sequestrador, assaltante de bancos tiver 5 filhos, recebe o auxílio reclusão de R$ 3.991,50! E pode continuar a comandar o crime na segurança da prisão, com direito a cama, comida e roupa lavada, assistência médica..." Tudo pago pelos trabalhadores brasileiros

Isto é salário de alto nível, não é? Para poucos técnicos. Nem um policial sem expectativa de aumento, arriscando a vida, tem salário tão compensador. Um amigo me dia que está há 10 anos na polícia e recebe R$ 1.800,00 mensais. Menos que o salário mínimo que a lei garante e que seria de R$ 1.987,00! Mas os governantes não cumprem!

Meu correspondente continua em sua revolta, sem espaço para escolhas, sem liberdade para decidir sobre a propria vida, sem compreender que este é o estado emocional excelente, implantado nas mentes para facilitar as aventuras do "filho do Brasil" e seus sequazes, todos a serviço da nova ordem mundial. Ele enumera suas perguntas e encerra com um sonoro xingamento que não ouso repetir nesta página:

"Vale a pena...
 1. Estudar e ter uma profissão?
2. Trabalhar 30 dias para receber salário mínimo de R$510,00, fazer malabarismo com orçamento pra manter a família?
3. Viver endividado com prestações da TV, do celular ou do carro que você não pode ostentar pra não ser assaltado?
4. Viver recluso atrás das grades de sua casa?
5. Por acaso os filhos do sujeito que foi morto pelo coitadinho que está preso, recebe uma bolsa de R$798,30 para seu sustento?
6. Já viu algum defensor dos direitos humanos defendendo esta bolsa para os filhos das vítimas?
7. Você acredita nas promessas dos políticos corruptos, ladrões eleitos pela grande massa de ignorantes em nosso pais?
8. Você acredita no discurso da polícia estar se esforçando pra diminuir a criminalidade?”

Para exemplificar, apenas um fato correlato, que está nos noticiários devido a notoriedade do jovem assassinado brutalmente: “Alcides do Nascimento Lins, de 22 anos, assassinado por engano na frente de casa, na Vila Santa Luzia, comunidade carente do bairro da Torre, Zona Oeste do Recife, diante da mãe e das três irmãs.”
“O jovem ganhou fama por ser pobre e ter sido o primeiro colocado da rede pública de ensino no Vestibular das Federais de 2007. Ele cursava o 7º período do curso de biomedicina da UFPE e era estagiário do Hemope.”

Certamente os políticos, em ano eleitoral, vão deitar e rolar! Isto é assunto prá render muitos votos. A mãe de Alcides vai ser amparada. É o tipo de notícia prato feito prá os políticos dos direitos humanos puxarem a brasa prá sardinha deles. No coração da mãe que gerou, educou no cristianismo e respeito aos outros um filho que era ser orgulho e amparo, na pele dos amigos fica a dor, marcada a ferro e brasa. Os políticos nem vão se importar com essas coisas do espírito. Só veem a coisa material.

Qual o significado histórico destes fatos? Poucos percebem na economia como eles se apossam de grandes fatias do resultado do esforço produtivo dos indivíduos. E êles não produzem nada de valor. Apenas obrigam os que suam a camisa a pagar impostos até na compra de uma caixa de fósforos. Reduzem e dificultam a liberdade produtiva e as iniciativas individuais.

Mantêm a ignorância, desinformam, mentem e dizem estar privilegiando o coletivismo internacionalista que não interessa a ninguém. Querem mudar a cultura tradicional e as mesmas crenças por uma religião universal a serviço das grandes corporações. Poucos percebem. Mas trocando em miúdos, os comunistas estão presentes, muitos ainda disfarçados de cordeiros. Como queria Voltaire, como queria o satanista Marx, como aconselhava Lenin... “enquanto existir religião o comunismo será inviável”.

Resgatar a fé, sem os descaminhos da Teologia da Libertação implantada pela KGB nas igrejas cristãs, é uma das ações silenciosas que cada pessoa responsável, cada família digna pode tomar como tarefa. E votos para eles é o mesmo que entregar o pescoço à forca.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

EDUCAÇÃO PARA A REPRESSÃO

Por Nadir Cabral

A gente comum não percebe o processo de implantação da cultura marxista nas escolas públicas do país, cujo objetivo é semelhante ao “Modelo nazista para a educação orientada para resultados”.

No Sul do país, um Promotor de Justiça tentou fazer face ao “movimento” de João Pedro Stédile e coibir nas escolas dos acampamentos “cartilhas” que ensinam táticas de guerrilhas para crianças, além de orientá-las nas ações de invasão de terras. O Promotor não obteve êxito, principalmente porque o tal “movimento”, dissimuladamente, não tem personalidade jurídica e os indivíduos do bando são, quando o são, processados individualmente. Mas, pasmem, há representantes do Judiciário brasileiro, premiando e se deixando fotografar ao lado do líder das invasões.

Contudo, a preocupação ultrapassa o que se ensina nesses campos de treinamento de guerrilheiros, ela adentra os portões escolares de todo o país e encontra as cabecinhas ingênuas e simples das crianças brasileiras, incapazes de censura, prontas para receberem o aprendizado doutrinário.

A desonestidade mesquinha e pensada de nossos “líderes” foi forjada nas cartilhas do revolucionário ateu Karl Marx. Como é difícil doutrinar pessoas mais velhas e experientes, o alvo a ser atingido é a criança.

A máxima “transforme o mundo por meio da transformação das crianças”, é ampla e ferozmente utilizada pelo Governo Federal. A líder da Liga dos Professores Nazistas, Hans Schemm orientava: “Aqueles que têm a juventude ao seu lado controlarão o futuro”; “Crie o cidadão de classe mundial”; “Crie um novo tipo de aluno”.

Essa trama de implantação de um regime comunista no país é velha e persistente, inicia-se por volta de 1935. O enredo obteve seu maior êxito após 1985, quando o Governo foi entregue aos civis.

O mais lamentável e digno de se fazer perder o sono, é a propaganda antimilitar que se faz durante todos esses anos, sem nenhuma resposta dessa Instituição indispensável a qualquer nação. Quando os dignos Generais ocuparam o cargo de Presidentes do Brasil, não aventaram para a necessidade de exposição honesta, das ações genocidas perpetradas pelos comunistas da Europa e da Ásia.

Quem hoje sabe que o “Ato Institucional n° 5”, foi editado em razão dos ataques terroristas que vitimaram dezenas de inocentes e de pessoas que nada tinham em comum com os revolucionários? Os terroristas de ontem, ocupam cargos de altíssima importância na Política Nacional de hoje e contribuem diretamente para o alijamento das liberdades individuais, por meio de uma educação a serviço de seus interesses menos louváveis.

A ”educação continuada” é mais uma demonstração da implantação desse modelo nazista no qual a criança e o adolescente sabem que podem cursar vários anos sem demonstrar qualquer desempenho intelectual, moral ou disciplinar, mas que no final receberá os seus certificados de aptidão para as próximas etapas. Resultado: analfabetos funcionais até nas escolas superiores.

O Estado, priorizando o tópico “educação para resultados”, programou direcionar o aluno para o primeiro emprego – “Programa Escola-Trabalho”, como fizeram os nazistas em tempo de quebra das Bolsas de Valores, 1929, antes da ascensão de Hitler ao poder em 1933, época de profundo desemprego na Alemanha.

A cartilha nazista do “Domínio da Aprendizagem", condiciona as crianças e jovens a abrir mão de sua individualidade, para cultivar o sentimento coletivista de servidores da sociedade. O indivíduo a serviço do Estado, subordinado às suas vontades e determinações, um “utilitário” da sociedade. A expressão “politicamente correto” surgiu na época de domínio nazista. Os professores de Munique eram orientados da seguinte forma: “De agora em diante não cabe a vocês decidir se algo é ou não verdadeiro, mas se é do interesse da revolução nacional-socialista”.

Não fazer uso da leitura é mais uma das orientações nazistas, cuja preocupação é definir resultados afetivos e não cognitivos. Parece que estamos falando do Brasil atual, onde o “conhecimento é publicamente condenado”, como na Alemanha de Hitler.

Invariavelmente estamos diante de um modelo de sociedade idêntico ao daquela época, cujo ataque ideológico aniquilou com a tradição do respeito hierárquico e autoridade familiar. "Apelou ao desejo da juventude de ser independente do mundo adulto e explorou o conflito de gerações e a tendência típica dos jovens de desafiarem as figuras de autoridade, sejam pais ou professores”.

Desorientar os jovens por meio de “ações chocantes”, como por exemplo, educação sexual, onde os “educadores” se valem de enormes órgãos genitais masculinos para ensinar as crianças a colocar o preservativo. No Maranhão, o Governo do Estado autorizou testes de AIDS em menores de idade, diga-se, crianças, sem a autorização dos pais, uma afronta à Constituição Federal, artigo 226, § 7º.

Tudo isto tem um significado incontestável: o (des)Governo e seu séquito, objetiva aniquilar a Lei Maior do país e implantar a “lei” totalitária do coletivismo da nova ordem mundial. Eles silenciaram a oposição, como também prevê a cartilha de Hitler. O Brasil não possui “direita”, a única direita que existiu, foi quando os Militares assumiram e se empenharam em desenvolver nos brasileiros espírito de patriotismo e de cidadania.

Certa vez, exaltada, indignada por tudo o que vem acontecendo questionei um amigo: - Bem, se à época do Regime Militar, alguns jornais brasileiros não publicavam notícias “censuradas” pelos Militares, e, ao invés disso, publicavam receitas de bolos, porque os Generais não “pagaram” para que fossem publicadas as verdades ocultas, a agenda oculta dos revolucionários em todo o mundo?

Eis a resposta: - “Imagino que não pagaram porque a formação militar é muito específica: estratégias de defesa, engenharia, informação, segurança, armamento. O”inteligente”? = Golbery... da estratégia para a segurança nacional, criador do SNI, defensor da tolerância aos marxistas nas escolas superiores... O único que tinha sensibilidade filosofia, política, humanidades, era o Castelo Branco. O resto desprezava tudo isto. O Figueiredo gostava de cavalos. O Costa e Silva de jogar nos cavalos, o Médici gostava mesmo era de futebol. Eram pessoas comuns, gente honesta, sem os vícios da política.”

“E foi bem por isso que não pagaram aos jornais. Também por alheamento, desconhecimento ou desprezo dos estudos de psicologia aplicada do Bernays, depois dos Tavistock... acho que consideravam isso “frescura” de gringo. Não pagaram por ética e por uma repulsa ao que considerariam corrupção, uma repulsa característica dos governantes militares, devido a sua formação na caserna e desprezo às práticas políticas tradicionais dos oligarcas.”

Então, caros leitores, o momento da reflexão já passou. Temos de agir em defesa de nossas crianças e jovens, da propriedade e da liberdade. Conheço um indivíduo que em um dos momentos da História do Brasil, foi estudante primário e que teve uma coleguinha de sala que disse: “a fazenda de seu fulano será do meu pai (operário) se o Brizola ganhar as eleições”.
Preocupante, não?
Fonte: O Modelo Nazista Para a Educação Orientada Para Resultados
Autora: Berit Kjos

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Hoje ficamos com dois vídeos postados pelo blog "Coturno Noturno". No primeiro, os estudantes da Venezuela em defesa dos direitos democráticos, ocupando as ruas de Caracas em manifestação pacífica, reprimida violentamente pela polícia do ditador Chhávez.

No outro o cinismo explícito das "autoridades" que, acima das leis, rasgando a constituição impunemente, querem implantar no Brasil o governo totalitário a serviço da nova ordem mundial capimunista.

http://www.youtube.com/watch?v=oYTCl9d52Z4 estudantes venezuelanos

http://www.youtube.com/results?search_query=tse+dois+pesos+duas+medidas&search_type=&aq=f TSE dois pesos duas medidas

Um bom fim de semana!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

COLETIVISMO CONTRA PRINCÍPIOS

Por Arlindo Montenegro

Os indefensáveis ministros da defesa e dos direitos humanos utilizam amplamente os meios para atingir seus fins. Enquanto isso o presidente dos Estados Unidos, o escolhido Nobel da Paz, contribui para a “paz mundial”, jogando pesado no tabuleiro da guerra, vendendo armas para outros países e promovendo a morte de jovens americanos e o luto de suas famílias.

O povo americano acredita que tudo é feito em defesa de princípios e valores de sua tradição libertária. Para defender as liberdades que permitiram a construção da nação mais rica do planeta. Os estudiosos não coletivistas afirmam que os “meios” utilizados pelo governo Obama, têm como objetivo fortalecer a nova ordem mundial e que, para impor este “fim” das agendas secretas, o planeta vai conhecer em pouco tempo outra “crise financeira”.

Os nossos ministros indefensáveis, que andam na mesma estrada, como acessórios das políticas coletivistas do estado, vão ser chamados ao Congresso, para “explicar” os detalhes do “Programa Nacional dos Direitos Humanos”, um programa de agenda secreta, cujo fim é legitimar e aprofundar o poder do estado totalitário travestido de democracia.

Os congressistas que têm demonstrado o desprezo por qualquer princípio, certamente vão negociar o enterro dos princípios e valores inscritos na Constituição e tidos como direitos consuetudinários, culturalmente aceitos e integrados à consciência nacional.

Há quase meio século, Mario Ferreira dos Santos, (in Filosofia e História da Cultura, Editora Logos Ltda., 1962) enunciava: “Cada um de nós perdeu muito em dignidade. Que valemos ante o acúmulo imenso de coisas, (...) ante as ciclópicas cidades que nos reduzem a vermes que somente se arrastam?” O mestre Mario Ferreira, um ilustre desconhecido ou desprezado pelos acadêmicos sabe-tudo de hoje também disse que: “Não pode haver meios nem fins, sem o princípio”.

É o desprezo a todos os princípios que fundamenta decisões de governo que afetam a educação, a segurança e a saúde. É este desprezo que reduz a nossa dignidade na observação de Mario Ferreira dos Santos. É este desprezo que gera as Conferências sobre o Clima, a criação de novas reservas em Roraima.

É este desprezo que prestigia o MST, as Farc, ONGs que nem a WWF, Conselho Indigenista Missionário e abre espaço para o banditismo e negação das leis, com apoio de um Judiciário “companheiro”, comprometido com a corrupção tanto quanto os “nossos representantes”.

Eles desprezam os valores familiares. Eles estão moucos aos princípios de liberdade, propriedade, opinião e já ensaiam até reduzir a locomoção. Nestes guetos e catacumbas blogueiras, subsistem os últimos grupos resistentes. Até quando?

A radicalização dos coletivistas que querem a qualquer custo atingir seus fins, penaliza as liberdades. Os oligarcas e empresários apoiadores nunca entenderam como funciona um estado democrático de direito, nem mesmo lembram a história de ontem. Os fins totalitários que defendem com unhas e dentes são agressivamente contrários às idéias e ideais individualistas, que destacam o homem do coletivo amorfo. O que eles não entendem, nem querem ver é que o "indivíduo" bananeira não dá laranja, nem o coqueiro dá cajú.

É por desprezar os princípios e valores democráticos, a garantia dos direitos individuais e a crença em Deus que perseguem o controle estatal da livre expressão. Os pensamentos e a iniciativa individual, com todas as variedades e imperfeições que possam carregar, têm sido o suporte da ciência que reduz o sufoco da condição humana. Os pensamentos e a iniciativa individual garantem a liberdade contra o estado totalitário, garantem o respeito entre as pessoas. Mas eles perseguem o plantio de uma floresta mental de espécie única.

O que estamos vivendo tem um exemplo explicito, arreganhado e pouco divulgado pela nossa mídia que despreza a exposição do significado dos fatos. Para amordaçar os dissidentes, a violência do “companheiro” Chávez fere, mata e prende estudantes que se manifestam nas ruas. Para amordaçar os dissidentes dos EUA, o CFR declara que controla as informações, controlando assim a opinião pública.

Aqui a pauta da mídia informa de modo a consolidar o cerco dos coletivistas. E os poucos que se atrevem a comentar o significado das decisões do estado, são processados, perseguidos, caluniados, isolados. É a poderosa Nova Ordem Mundial apresentando sua face grotesca.

A matéria deificada, esmagando o espírito. Por isso, os princípios que nascem do espírito são sufocados pelos violentos meios, que justificam os fins totalitários, há séculos elaborados e executados em sucessivas tentativas de violência genocida e terrorismo financiado por lobos em pele de cordeiros. O pior cego é aquele que se recusa a ver.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

REFORMA AGRARIA DO PT

Por Arlindo Montenegro

Desde criança ouço falar e leio sobre a necessidade que este país tem de uma reforma agrária, para tornar-se celeiro do mundo. Acompanhei a evolução do uso da enxada e do arado de tração animal, tratores pequenos, médios, até as modernas máquinas com ar condicionado nas cabines, máquinas confortáveis para o condutor, técnico empregado pelo agro negócio que executa o preparo, aragem, semeadura e coleta de grãos, exportados para o mundo.

Agora com os revolucionarios mandando e desmandando, o que se vê é o desmanche dessas práticas "capitalistas": destruição de laboratórios e bancos genéticos, destruição de sedes com grupos "revolucionários" aterrorizando colonos e expulsando das casas que acabam por ser derrubadas e saqueadas, matança de gado para o churrasco dos invasores e acampados, maquinas incendiadas, laranjais arrancados e os "militantes sem terra", financiados com o dinheiro público, tendo à frente (ou por trás)políticos eleitos pelo do Partido dos Trabalhadores.

É no mínimo incoerente que esses revolucionarios coletivistas que sempre pregaram e defenderam com unhas e armas, que cometem homicídios e se "sacrificam pelo povo", eles que sabem o que é melhor para o mundo, em quase vinte anos de governança e com tanto dinheiro rolando, dispensando dívidas de milhões de dólares, investindo pelo mundo afora para ajudar outros povos, não tenham promovido a implantação de agro vilas, garantindo o bem estar e a renda digna em cada bioma deste Brasil, respeitando o povo que dizem conhecer tão bem.

Nada disso reflete a realidade que pode ser percebida na notícia divulgada pelo site "Paz no campo", que reflete o modêlo revolucionário não declarado do Estado que todos financiamos com trabalho e impostos, manipulado pelos revolucionários coletivistas. Aqui se reflete também a enrolação de gente humilde na condição de "assentados" e o usou de instituições para aterrorizar os produtores rurais. Transcrevo do site "Paz no campo":

"Arbitrariedades do INCRA"

"Acampados do MST e da CUT instalados dentro de propriedade rural não deixam proprietário entrar, causando ao mesmo grandes prejuízos. Na denúncia que Antonio Aversa Neto faz ao Paz no Campo, percebe-se o modo de atuar do INCRA, que com a FUNAI e o IBAMA fazem parte do tridente do diabo que aterroriza o campo brasileiro. Sua ação dá-se sobretudo sobre os pequenos proprietários que não têm meios para se defender."

"Bauru, 01 de fevereiro de 2010.
Eu Antonio Aversa Neto, nascido em 1963, tenho 46 anos, casado, tenho duas filhas, sou produtor rural nato por gosto e aptidão.

Em 21 de setembro de 1988, com muito esforço, comprei uma propriedade: o Sitio Santa Marina com 31 hectares (13 alqueires), localizado a 5 km da cidadede Bauru. No dia 26de setembro de 1988 (seis dias depois) a escritura estava registrada no cartório do oficial de registros de Pederneiras- SP matricula nº 4150.

Faz, portanto, 22 anos que tenho a propriedade, tiro leite e crio bezerros de corte para vender, cumpro função social. Toda minha vida tive funcionários devidamente registrados.

Agora, a cerca de dois anos a área em torno de minha propriedade, por decreto do Lula foi destinada à Reforma Agrária. Minha propriedade está invadida por integrantes do MST e da CUT desde 06/08/2009. Destruíram as cercas, armaram barracas. Vai fazer 6 messes que estou impossibilitado de produzir e até ir a propriedade, pois me cercaram as 2 estradas de acesso. Vendi 100 cabeças de gado às pressas e barato, deixei de criar pelo menos 60 bezerros em 06 meses, com um prejuízode R$42.000,00, fora o que estou gastando com advogados.

A minha área está no meio do assentamento Aimorés sob coordenação do INCRA. O INCRA mandou invadir e não me considera proprietário, vizinho ou coisa parecida. quer me fazer passar por grileiro. Mesmo tendo escritura registrada,o INCRA quer que eu prove cadeia dominial até 1850.

Funcionário do INCRA por nome de Cinesio, disse que eu é que sou oinvasor. Outro funcionário do INCRA por nome de João Paulo mandou invadir.

Estou no coração do estado de São Paulo, estão querendo me arrancar a propriedade, uma vez que não podem desapropriar. Sou cadastrado no INCRA como pequena propriedade produtiva (CCIR).

Ao redor do sitio existem 354 lotes de assentados que não sabem o que éproduzir. A miséria é visível. Vivem à custa de cestas básicas que o INCRA fornece. Estão cortando e roubando eucaliptos do antigo arrendatário VCP -Votorantin Celulose e Papel, sob ordem ecoordenação dos técnicos do INCRA que supervisionam o local.

Entrei em contato com a Votorantin, disseram-me que ainda não foram indenizados pela madeira, mas com certeza a União pagará caro futuramente. Isso deve ser motivo para uma CPI.

O assentamento Aimorés não tem licenciamento ambiental. A CPFL Companhia Paulista de Força e Luz, está também instalando energia sem licenciamento ambiental. Os assentados fazem fornos, carvão e furam poços sem licença ambiental.

Como e quando vão acabar essas arbitrariedades?"

Incra, Ibama, Meio Ambiente, Funai, são agências do governo. São agências ocupadas por militantes revolucionários que odeiam a propriedade privada, o pequeno empreendimento individual. E o governo dos revolucionários coletivistas do PT, seguindo sua ideologia internacionalista, quer fazer do Brasil uma imensa Cuba para mamar nas tetas das suas vacas, seu Antonio.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

"HÉRCULES 56", O FILME

Para eles, seqüestro é 'captura' e assalto é 'expropriação'

Por Ana Prudente

O FILME QUE TODO BRASILEIRO DEVERIA ASSISTIR

Trata-se de um documentário de longa metragem sobre a luta armada contra o regime militar, focado no seqüestro do embaixador Charles Burke Elbrick, ocorrido na Semana da Independência de 1969.


Com a participação especial da bolchevique “Guta”, a tia-avó do garoto Sean.

Debochados, pessoas sem a mínima noção de respeito àqueles que não pegaram em armas para implantar o comunismo no Brasil, estão neste documentário diluído em 9 partes. Fui atrás deste filme depois que assisti, na manhã do ultimo sábado pelo Canal Brasil, o "Hércules 56". Por Ana Prudente

No sábado passado havia assistido ao filme sobre a Zuzu Angel. Concluo que nós, povo brasileiro, estejamos pagando mais este "Canal Brasil" apenas para fazerem propaganda comunista e anti-militar em nosso país.

Especial atenção à grande debochada chamada GUTA (Maria Augusta), não por acaso irmã da Silvana (conforme referências do José Dirceu em seu blog), avó do garoto Sean, a qual já declarou que não desistirá de seu neto. Portanto, não são desconhecidas as razões, acima do bem e do mal, para que Silvana imponha sua vontade de obter o objeto neto. Ela odeia norte-americanos assim como sua irmã, falecida recentemente e com direito a lágrimas e homenagens da Dilminha, no dia do lançamento do PNDH3.

Solicito a gentileza dos meus contatos, a todos aqueles que possam fazer esta mensagem chegar a David Goldman (pai do Sean), mesmo que por via consular, amigos ou outros meios. Aquele pai precisa saber com que tipo de gente está lidando.

Os atores reais deste documentário se vêem acima da moral, da ordem e da democracia. Eles perderam lá atrás, e querem recuperar sua "luta" agora.

Vejam a forma como eles se referem aos militares, entre uma risada e outra.

Este filme trata-se de um documento que todo o brasileiro deveria assistir. Seu cinismo ao falar sobre os dias difíceis que viveram dá o verdadeiro peso de suas ações.

Para eles seqüestro é captura. Assalto expropriação. Nada é crime quando falam de sua ideologia. E este filme é a prova de que eles continuam pensando exatamente como pensavam naqueles tempos. A única coisa que mudou foi a sua conta bancária.


SINOPSE DO "HÉRCULES 56"

Em setembro de 1969, quando o Brasil era governado por uma Junta Militar, duas organizações revolucionárias aliaram-se para sequestrar o embaixador dos EUA, Charles Burke Elbrick, e exigiram a libertação de quinze presos políticos, que foram levados ao México pelo avião Hércules 56 da FAB. Dali seguiram para Havana, Cuba, onde a maioria participou de treinamento guerrilheiro. Para rememorar o episódio e discutir as causas e conseqüências da luta armada naquela época, o filme traz à cena os nove remanescentes do grupo de presos e promove o reencontro de cinco membros das organizações responsáveis pelo seqüestro. - LEIA MAIS em Histórianet.

E depois de ver o filme, leia o manifesto do Gal. Torres de Melo, do Grupo Guararapes. Nada mais a acrescentar.


VEJA OS VÍDEOS DO "HERCULES 56" QUE ESTÃO NO YOU TUBE, reunidos aqui, por deferência do blog Cavaleiro do Templo Brasileiro:




PÁTRIA EM PERIGO!
MANIFESTO AO POVO BRASILEIRO! Doc. nº. 12 - 2010
(RESPOSTA AO PLANO NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS)

O GRUPO GUARARAPES ENDOSSA O MANIFESTO ASSINADO PELO GENERAL TORRES DE MELO, COORDENADOR DO GRUPO.

1 - INTRODUÇÃO
Preocupações Iniciais.
Acabo de ler, com todo cuidado, o texto do Decreto nº. 7.037, de dezembro de 2009 que aprova o PROGRAMA DE DIREITOS HUMANOS, assinado pelo Presidente da República e não lido, como se informou do palácio do Planalto.

Ao escrever estas linhas, muito meditei. Estarei eu certo ou cometo uma injustiça com os meus estimados bispos, meus amigos civis e militares que, sendo patriotas, parecem adormecidos enquanto a Nação brasileira se encontra em perigo?

Acabo de ler, com todo cuidado, o texto para um decreto nº. 7.037, de dezembro de 2009 que aprova o PROGRAMA DE DIREITOS HUMANOS, assinado pelo Presidente da República e não lido, como se informou do palácio do Planalto.

Na minha modesta análise, afirmo que se está criando o mais importante Órgão do Governo, pois tudo que se possa querer fazer, tem de ser se consultada a SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS, ligada diretamente à Presidência da República. O artigo 4º cria o Comitê (não seria o KOMINTERN?) de Acompanhamento e Monitoramento do PNDH-3, que na mão da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República terá, de fato, o papel de dono do País.

Ficou uma interrogação preocupante na formação desse COMITÊ. Qual ou quais as razões que não permitem aos ministérios da Agricultura e da Defesa fazerem parte do “KOMINTERN”? Será que o primeiro será substituído pelo MST e o segundo pelo Ministério da Justiça, que vem criando uma força não constitucional para substituir as Forças Armadas?

Aqui uma lembrança muito importante. Todos sabem que o PT não assinou a Carta Constitucional de 1988. Não será, portanto, a nova Constituição do Brasil? A esquerda tem sempre o mesmo objetivo em qualquer parte do mundo: “o domínio absoluto do Poder” e a busca deste objetivo pode ser pela força ou por meios não republicanos, até com assalto a banco como mandava Lenine e Stalin executava, ou como fizeram no Brasil nos anos 70, com a participação de membros do atual governo, inclusive a candidata à presidência da república, Dilma Rousseff.

O Plano não é mais do que a centralização de todo o sistema administrativo da Nação. É o controle vertical do município ao Palácio e todos subordinados ao Secretário Especial dos Direitos Humanos. É a mesma estrutura que foi utilizada na URSS no tempo de Stalin. DIREITOS HUMANOS como fachada e controle até da alma. Controle desde a Imprensa até ao Guarda de Quarteirão.

Parece que todos estão vendo a desgraça se aproximar e ainda não se aperceberam que o governo já domina duas áreas importantíssimas: MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E FINANÇAS. Agora, fecha-se o círculo, pois para se “ir à lua” temos que saber se o “foguete” prejudica os DIRETOS HUMANOS.

A nossa análise irá se restringir aos pontos mais polêmicos e que feriram diretamente a LIBERDADE. O documento procura manietar os setores que possam criar problemas na busca do controle total do PODER DO ESTADO. Ele vai em cima das Forças Armadas, Igreja, Agricultura e Imprensa.

2 – FORÇAS ARMADAS
Criou-se um novo nome para expor o assunto. Eixo Orientador VI. Técnica comunista bem conhecida. Terceiro Setor, velho passou a ser idoso logo depois melhor idade e por ai vai. Vamos à nossa análise, onde vemos que a mentira é a grande arma que se apresenta como VERDADE.
1 - Direito à Memória e à Verdade
O título é lindo e parece que vivemos numa democracia. Vejam, meus bispos e meus amigos civis e militares: “o Brasil ainda processa com dificuldades os resgates da memória e da verdade sobre o que o correu com as vítimas atingidas pela repressão política durante o regime de 1964”.

Logo depois diz que “a história que não é transmitida de geração a geração torna-se esquecida e silenciada”. “O silêncio e o esquecimento das barbáries geram graves lacunas na experiência coletiva de construção da identidade nacional”.

O mais intrigante e infiel é que limita a história do Brasil entre 1937/1945 e 1964/1985 como se o passado de um país, como o nosso, fosse possível ficar limitado a 31 anos. Quais as razões de não colocar o período ditatorial de Getúlio de 1930/1934? Será que é para encobrir o roubo do comunista Carlos Prestes no tão conhecido caso dólar de MOSCOU ou fato da expulsão do representante comunista brasileiro na Conferência dos partidos comunistas por ter tido a coragem de duvidar de uma afirmativa do “Santo Canalha” STALIN, nos idos de 1920?

Será que a violência da revolução de 1935 não faz parte da história? Precisa ser apagada do sistema educacional brasileiro? Quem já leu o Livro HISTÓRIA, 8ª série, CRÍTICA, de Mário Furley Schmilt, distribuído nas escolas brasileiras, onde o endeusamento da revolução russa de 1917 é uma realidade e se apresenta como salvadora de um novo mundo. Quando vai ensinar os jovens a revolta (INTENTONA COMUNISTA DE 1935) coloca a culpa na Aliança Libertadora Nacional e culpa Getúlio por acusar o Partido Comunista Brasileiro como o responsável pela Intentona. Vem mais de um quarto de página com um elogio a Olga Benário. Diz que ela é: alemã, judia, BRASILEIRA, internacionalista e não diz que é espiã soviética, paga pelo KOMINTERN para implantar uma revolução na América Latina. Era o ideal internacionalista. Não afirmam com toda ênfase que:
- aqui tivemos alemão, ucraniano, argentino, americano que, ao lado de Prestes fizeram a revolução de 1935. Mataram companheiros dormindo e estupraram e roubaram. Não falam o que fizeram em NATAL. Não falam do enforcamento da brasileira ELZA FERNANDES, pobre moça analfabeta e amante do comunista Antônio Maciel Bonfim, vulgo Miranda, morta enforcada com uma corda por ordem de CARLOS PRESTES e contra a vontade do PCB. Escondem A VERDADE sempre e colocam a culpa nos outros. 35 é culpa de Getúlio.
- o que desejam apurar de 1937 até 1945? Será o envio de DONA OLGA para a Alemanha por Getúlio Vargas? Todo mundo já sabe e Prestes deve ter apoiado, pois quando saiu da cadeia, em 1945, o que fez foi subir nos palanques defendendo o continuísmo de Getúlio, carrasco de sua mulher. Será que irão considerar como traição a declaração de CARLOS PRESTES que lutaria contra o BRASIL e ficaria ao lado da URSS?
- e a 2ª Guerra Mundial não conta? Não vão fazer um filme mostrando a invasão da Polônia pela Alemanha e URSS? E o acordo MOLÓTOV-RIBBENTROP? Não vão dizer aos jovens a barbárie praticada pelos comunistas russos, matando friamente 14.000 militares poloneses na floresta de Katin. Não vão mostrar as desgraças dos campos de concentração alemães e dos GULAGs na União Soviética? Não defendem que: “O silêncio e o esquecimento das barbáries geram graves lacunas na experiência coletiva de construção da identidade nacional”. O mundo é global e não individual.

Dão um pulo de 1945 para 1964, como se a história não existisse. Será que não irão apurar o envolvimento de brasileiros em ligações com países comunistas e ditatoriais? Será que não irão ensinar aos jovens o discurso de Kruschov, mostrando a desgraça do governo de STALIN e seus expurgos de 1934 até 1938? Será que não irão dizer que antes de 1964 o Brasil existia e que Carlos Prestes era o representante da URSS no Brasil? Será que não irão dizer que os dirigentes das Ligas camponeses no Nordeste recebiam dinheiro de CUBA e gastavam em farras, como consta de documento encontrado dentro da mala do presidente do Banco de CUBA, num desastre num avião da VARIG, no PERU? Será que não vão ensinar a revolta dos sargentos, em Brasília, cujo os coordenadores viajavam a custa de dinheiro dado pelo almirante do povo – Almirante Aragão, para implantar a ditadura no Brasil? Será que não vão falar que antes de 31 de março de 1964 a indisciplina nas Forças Armadas grassava abertamente, inclusive com indisciplina dos fuzileiros e o almirante levado nos braços dos indisciplinados pelas ruas do Rio? E os comícios do Automóvel Clube e Central do Brasil com militares fardados? E a renúncia do irresponsável Jânio Quadros e sua condecoração ao bárbaro CHE GUEVARRA Tão bem descrito no livro O VERDADEIRO CHE de Humberto Fontova, onde há páginas que mostram a falta de sentimento humano desde bandido internacional e defendido pela canalha que fez o PLANO NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS?

2 - 1964 - 1985

Não foram os militares sozinhos que fizeram a contra-revolução de 1964. Foram os civis, principalmente, seus artífices, com a participação de toda a sociedade brasileira. Havia militares, mas LACERDA – MAGALHÃES PINTO, ADHEMAR DE BARROS e milhares de políticos estavam envolvidos na salvação nacional e podemos afirmar esta VERDADE POR DECLARAÇÕES de três eminentes esquerdistas brasileiros:

- Carlos Prestes: Foi até Moscou prestar contas ao secretário do Partido Comunista KRUSCHEV e dizer que o comunismo já estava no governo e só faltava tomar o PODER. Pergunto: O que tinha KRUSCHEV com o Brasil? O que o comunista Carlos Prestes tinha que prestar contas a um governo estrangeiro? E foi também, até CUBA, para convencer FIDEL a não apoiar Francisco Julião, pois seria um desastre e acabou recebendo a desfeita bem merecida: ”Eu sou um grande vitorioso num pequeno país e você um derrotado num grande país”. Colocou o rabo entre as pernas e voltou
- Miguel Arraes chegando ao Recife foi perguntado se haveria golpe e ele respondeu: “GOLPE VAI HAVER. OU NOSSO OU DELES. NÃO SEI QUEM É O PRIMEIRO?
- Francisco Julião lider das Ligas Camponesas, aquele que gastava o dinheiro de CUBA em bacanais e whiskeys caros, afirmou, num comício em HAVANA, que a revolução comunista no Brasil já tinha data marcada, para 1 de janeiro de 1964.

Perderam o trem da história e ficaram tontos. É eleito Castello Branco, pelo Congresso Nacional. O cargo estava vago, pois o presidente tinha fugido para o Uruguai para evitar derramamento de sangue, conforme declaração dele próprio. Tudo volta ao normal e a esquerda perdida procura a URSS, CUBA, ALBÂNIA e CHINA. O Brasil começa a marchar e é criado o Plano Nacional de DESENVOLVIMENTO COM SEGURANÇA. Nova Constituição e posse de Costa e Silva. O País vivia o Estado democrático de Direito.

Desorientada a esquerda, começa o terrorismo. Antes do AI-5 (dez de 1968) 19 pessoas foram mortas: . Seguem os nomes das 19 pessoas assassinadas antes do AI-5
AS VÍTIMAS DAS ESQUERDAS ANTES DO AI-5
1 - 12/11/64 - Paulo Macena, Vigia – RJ Explosão de bomba.
2 - 27/03/65- Carlos Argemiro Camargo, Sargento do Exército - Paraná
Emboscada.
3 - 25/07/66 - Edson Régis de Carvalho, Jornalista - PE
Explosão de bomba no Aeroporto Internacional de Guararapes
4 - 25/07/66 - Nelson Gomes Fernandes, almirante - PE
Morto no mesmo atentado citado no item 3. Além das duas vítimas fatais, ficaram feridas 17 pessoas, entre elas o então coronel do Exército Sylvio Ferreira da Silva. Além de fraturas expostas, teve amputados quatro dedos da mão esquerda. Sebastião Tomaz de Aquino, guarda civil, teve a perna direita amputada.
5 - 28/09/66 - Raimundo de Carvalho Andrade - Cabo da PM, GO
Morto durante uma tentativa de desocupação do Colégio Estadual Campinas, em Goiânia.
6 - 24/11/67 - José Gonçalves Conceição (Zé Dico) - fazendeiro - SP
Morto por Edmur Péricles de Camargo, integrante da Ala Marighella.
7 - 15/12/67 - Osíris Motta Marcondes, bancário - SP
Morto quando tentava impedir um assalto terrorista ao Banco Mercantil, do qual era o gerente.
8 - 10/01/68 - Agostinho Ferreira Lima - Marinha Mercante - Rio Negro/AM
No dia 06/12/67, a lancha da Marinha Mercante “Antônio Alberto” foi atacada por um grupo de nove terroristas.
9 - 31/05/68 - Ailton de Oliveira, guarda Penitenciário - RJ
O Movimento Armado Revolucionário (MAR) montou uma ação para libertar nove de seus membros que cumpriam pena na Penitenciária Lemos de Brito (RJ) e matou Ailton de Oliveira. O autor dos disparos que atingiram o guarda Ailton foi o terrorista Avelino Brioni Capitani
10 - 26/06/68- Mário Kozel Filho - Soldado do Exército - SP
No dia 26/06/68, Kozel estava no serviço de sentinela do Quartel General do II Exército. Às 4h30, um tiro é disparado por um outro soldado contra uma camioneta que, desgovernada, tenta penetrar no quartel. Ela explode ao colidir com o aquartelamento. Kozel morre despedarçado.
11 - 27/06/68 - Noel de Oliveira Ramos - civil – RJ
Morto com um tiro no coração em conflito na rua.
12- 27/06/68 - Nelson de Barros - Sargento PM - RJ
No dia 21/06/68, conhecida como a “Sexta-Feira Sangrenta”, realizou-se no Rio uma passeata contra o regime militar. Cerca de 10.000 pessoas ergueram barricadas, incendiaram carros, agrediram motoristas, saquearam lojas, atacaram a tiros a embaixada americana e as tropas da Polícia Militar. No fim da noite, pelo menos 10 mortos e centenas de feridos. Entre estes, estava o sargento da PM Nelson de Barros, que morreu no dia 27.
13 - 01/07/68 - Edward Ernest Tito Otto Maximilian Von Westernhagen - major do Exército Alemão – RJ
Morto no Rio, onde fazia o Curso da Escola de Comando e Estado Maior do Exército.
14 - 07/09/68 - Eduardo Custódio de Souza - Soldado PM - SP
Morto com sete tiros por terroristas de uma organização não identificada quando de sentinela no DEOPS, em São Paulo.
15 - 20/09/68 - Antônio Carlos Jeffery - Soldado PM - SP
Morto a tiros quando de sentinela no quartel da então Força Pública de São Paulo (atual PM) no Barro Branco.
16- 12/10/68 - Charles Rodney Chandler - Cap. do Exército dos Estados Unidos – SP
Herói na guerra com o Vietnã, veio ao Brasil para fazer o Curso de Sociologia e Política, na Fundação Álvares Penteado, em São Paulo/SP. No início de outubro de 68, um “Tribunal Revolucionário”, composto pelos dirigentes da VPR (Vanguarda Popular Revolucionária), Onofre Pinto (Augusto, Ribeiro, Ari), João Carlos Kfouri Quartin de Morais (Maneco) e Ladislas Dowbor (Jamil), condenou o capitão Chandler à morte, porque ele “seria um agente da CIA”. Morto impiedosamente na presença da esposa e filhos.
17 - 24/10/68 - Luiz Carlos Augusto - civil - RJ
Morto, com 1 tiro, durante uma passeata estudantil.
18 - 25/10/68 - Wenceslau Ramalho Leite - civil - RJ
Morto, com quatro tiros de pistola Luger 9mm durante o roubo de seu carro, na avenida 28 de Setembro, Vila Isabel, RJ.).
19 - 07/11/68 - Estanislau Ignácio Correia - Civil - SP
Morto pelos terroristas Ioshitame Fugimore, Oswaldo Antônio dos Santos e Pedro Lobo Oliveira.
Quem quiser detalhes leia os livros: a REVOLUÇÃO IMPOSSÍVEL - CAMARADAS – COMBATE NAS TREVAS – A VERDADE SUFOCADA – A GRANDE MENTIRA – GUERRILHA DO ARAGUAIA – A REVOLUÇÃO ENVERGONHADA – STALIN a CORTE DO TZAR VERMELHO - e outros, inclusive o LIVRO NEGRO DO COMUNISMO. Outros foram mortos em nº. de 120 no total e um deles, um marinheiro inglês metralhado porque passeava na praça Mauá, vestido com seu uniforme, pois , para a esquerda malsã, representava um símbolo do imperialismo e do capitalismo. Podem dar aula de direitos humanos?

A esquerda acusa e acusava que a contra-revolução de 1964 contou com o apoio dos EUA. Faz um barulho dos diabos. Ela não diz que contou com dinheiro, arma e curso de guerrilha de CUBA, CHINA, ALBÂNIA URSS. Como é que pode até roubar cofre com dinheiro, roubar do Estado, matar a coronhadas como fizeram com o tenente Mendes da PMSP, criar guerrilha, seqüestrar e vem com a conversa de que o período de 1964/1985 é negro por causa de tortura. Eles torturaram, mataram roubaram, assaltaram e o que queriam que o Estado Brasileiro fizesse? Fosse combater em XAMBIOÁ. REGISTRO, CAPARAÓ e na guerrilha urbana com flores e rosas? Mataram e nós matamos em defesa da sociedade.

Perderam novamente e agora que chegaram ao governo estão implantando a VIGANÇA, não aceitando a LEI DA ANISTIA, que para eles só é válida para um lado. Não falam que a aventura do criminoso internacional CHE GUEVARRA na Bolívia não contou com nenhum partido comunista da América Latina, nem do próprio Fidel, que se fala a boca pequena que o traiu. Moscou estava noutra, tomada do poder pelo voto enquanto CHINA – CUBA – ALBÂNIA queriam o emprego da força e daí as guerrilhas, os roubos e assaltos praticados por eles.

3 - COMISSÃO DA VERDADE
Nenhum brasileiro sério é contra a VERDADE. Todo brasileiro sério é contra a mentira e a canalhice. O que estamos vendo no Brasil é a implantação da mentira como VERDADE. Este é o método empregado no comunismo em todo mundo. São cínicos e capazes de tudo. “O fim justifica os meios”. Ficaram calados quando a Polônia foi esmagada, quando o exército Russo invadiu Praga e Budapeste.

Não dizem quando Ulisses Guimarães ficou contra Brizola e Miguel Arraes na lei da Anistia. Foi João Figueiredo que os defendeu, dizendo que todos eram brasileiros. Não falam quando roubaram um pobre comerciante do interior e jogaram numa ladeira da serra da Ibiapaba. Vamos à VERDADE. A VERDADEIRA.

Vamos dizer quem matou, torturou, roubou mala com dinheiro, quem seqüestrou, quem assaltou banco, quem assassinou, quem assaltou trem pagador e carro pagador. A sociedade precisa saber quem fez curso de guerrilha, de onde vieram as armas, onde colocaram o dinheiro roubado.

A sociedade brasileira precisa saber quem estava na guerrilha e hoje no Poder? Quem fez parte do mensalão e de outros dinheiros - na cueca, na mala, no exterior? Quanto o governo brasileiro pagou às famílias que tiveram seus entes queridos mortos pelos comunistas brasileiros? Quem hoje assaltam os cofres públicos em mais de 2 bilhões de reais, que, segundo se noticia, chegarão a 4 bilhões e o que fizeram para merecer?. A sociedade brasileira quer saber quem traiu quem e se as famílias dos que foram justiçados, (assassinados por eles mesmos) na palavra deles, foram indenizados e se eles tinham o PODER LEGAL DE MATAR?

Respondam! Não venham com mentira que ninguém acredita mais. Se assassinaram, assumam a responsabilidade. Presidente da República não pode ser um mentiroso e tem que assumir a RESPONSABILIDADE DE SEUS ATOS.

3 - IGREJA
“O homem é teimoso na sua estupidez e prefere seus preconceitos à VERDADE”. Do livro Os servos de DEUS. Perfeita afirmativa que bem se enquadra nos capítulos em que o tal PLANO NACIONAL DOS DIRETOS HUMANOS aborda os problemas com a Santa Igreja. Três itens são chocantes:
- Apoiar a aprovação do projeto de lei que descriminaliza o ABORTO, considerando a autonomia da mulher para decidir sobre o seu corpo;
- Apoiar projeto de lei que disponha sobre a união civil entre pessoas do mesmo sexo;
- Desenvolver mecanismos para impedir a ostentação de símbolos religiosos em estabelecimento públicos da União.
3. 1 - ABORTO
Todas as civilizações do mundo se afirmaram ou desapareceram quando deixaram de considerar a mulher como a viga mestra da sociedade. Nas sociedades antigas, ROMA por exemplo, a mulher ROMANA era o pedestal do orgulho romano. A família, o filho nas Legiões e a esposa e mãe o grande sustentáculo do poderio do grande Império. Há um senador romano que disse uma grande VERDADE; “ROMA ACABOU-SE. A MULHER NÃO É MAIS O ESPELHO DA VIRTUDE”. Roma foi destruída.

Quando a mulher deixa de ser a coluna da família e passa a ser um bem material que vale pelas medidas de seu corpo tudo vai de água abaixo. As Pompadours, as Du Barry e as donas das casas da luz vermelha são exemplos de vida que indicam a degringolada da sociedade. Quando o comunismo quer conquistar o Poder usa com todo descaramento a fòrmula: SEXO+PODER+DINHEIRO=CORRUPÇÃO. O aborto livre é a conseqüência do tal amor livre sem nenhum controle.

A Igreja prega a SANTA FAMÍLIA e tem na MÃE DE CRISTO a certeza da dignidade do homem, filho de DEUS e não filho do materialismo histórico, que considera a RELIGIÃO “o ópio do povo”. Como podemos pregar DIREITOS HUMANOS sem respeito ao próprio homem ou à mulher? Quando destruírem a família vão querer criar uma nova cujo o Estado é o responsável pelo formação do jovem alienado e não mais o pai ou a mãe. O ABORTO é o assassinato de quem não pediu para morrer.

3.2 CASAMENTO COM PESSOAS DO MESMO SEXO

É a dissolução dos costumes legais. Tudo pode ser aceito dentro de normas justas. Não é normal esta união, mas deve-se respeitar que vivam juntos. Não é preciso se chegar aos extremos. Nesta caminhada a sociedade vai se enfraquecendo e os costumes chegam aos extremos que ameaçam a vida em comunidade. A LIBERDADE passa a ser LICENCIOSIDADE e dentro de pouco tempo teremos o caos social, onde se perde a noção do respeito mútuo. Tudo passa a ser aceito – do roubo ao crime, como já assistimos na história dos povos. Chegou-se aos GULAGs ou aos CAMPOS DE CONCENTRALIZAÇÃO pela doença de pregação falsa da liberdade, que termina nas prisões. É isto que querem para o Brasil?

3.3 PROIBIR SÍMBOLOS RELIGIOSOS EM ESTABELECIMENTOS PÚBLICOS DA UNIÃO

Desde que o mundo é mundo o homem vive em torno de símbolos. Os Deuses antigos, a mitologia grega, a Estrela de David, a Cruz de Cristo, as Bandeiras são símbolos que unem os homens e os identificam. Qual o mal de termos O Símbolo de Cristo nos prédios públicos? Desejam colocar outros? Já tentaram colocar a estrela vermelha do PT no Palácio do Governo. Estão lembrados?

O mundo, no século XX, viveu dois símbolos que representaram a desgraça da morte. O símbolo nazista foi a suástica orientada no sentido dos ponteiros do relógio e um outro que trazia na sua bandeira vermelha a foice e o martelo. Chegou-se a ter um momento que se uniram para desgraça do mundo. Milhões de pessoas morreram pela mão de dois loucos. Se computarmos as mortes totais pode-se chegar a mais de 260 milhões de pessoas. Ambos lutaram para destruir a LIBERDADE. O primeiro foi abolido com a derrota de Hitler e o 2º ainda existe em alguns lugares que não sabem a desgraça do comunismo, como no Brasil.

Pode-se perguntar: O Símbolo da Cruz precisa ser substituído pela FOICE E O MARTELO? Respondam os meus queridos BISPOS.

4 - AGRICULTURA
Na Europa, onde O SLOGAN PAZ, TERRA E PÃO de LENINE quase que acaba com ela (Europa), já se torna proibido a FOICE E MARTELO na Polônia. Prometeram PAZ e foram guerra e expurgos. Prometeram TERRA e tomaram as TERRAS e prometeram PÃO e duas fomes mataram mais de 30 milhões de pessoas. Estão ai com o MST e tem gente dando dinheiro para eles inclusive o governo e todos calados. Temos aqui a escola da guerra no campo. Podem fazer o que quiserem que nada acontece, pois direitos humanos não existe para o proprietário da terra que tem sustentado este país. É preciso acabar com a agricultura como fizeram na Rússia para que o povo seja enganado e passe fome e fique recebendo bolsa família ou bolsa prisão. Todos presos e sem poder falar.

5 – IMPRENSA

Quando as Comissões entrarem nos jornais, TV e rádios para imporem os programas dos DIREITOS HUMANOS teremos o domínio total do Estado. Estão copiando o modelo imposto por LENINE. Será que teremos um navio cheio de intelectuais embarcados à força e mandado para fora da URSS como aconteceu por ordem de LELINE ou teremos mesmo a censura e as prisões lotadas como no tempo da KGB de Stalin? Quem poderá responder é a própria Imprensa. Não sou do ramo. Penso que estamos perto.

6 – CONCLUSÃO

Escrevi o que penso. Acho que o meu Brasil marcha para o caos. Mostrei com cores vivas a desgraça do domínio do Estado Brasileiro por uma minoria comunista.

Mostrei o trabalho para desmoralização das Forças Armadas. Indiquei a vontade de acabar com a influência da Igreja Católica na sociedade brasileira. Mostrei o perigo que corre a agricultura e indiquei o fim da Imprensa Livre.

Indiquei o perigo de um Presidente que mente, que não assume a responsabilidade do cargo e cerca-se de uma equipe que deseja a destruição da nação para criar uma outra com o HOMEM NOVO e que seja escravo do Estado.

Mostrei que pregam direitos humanos e apóiam governos totalitários, criminosos terroristas e não votam com a ONU na defesa da dignidade humana.

Cumpri o meu Dever e estou fazendo o que posso.

EMPRESÁRIOS, INDUSTRIAIS, MAÇONS, OS QUE ACREDITAM EM DEUS, OS BISPOS DE TODAS AS RELIGIÕES, OS ADEPTOS DE OUTRAS RELIGIÕES, OS FAZENDEIROS, OS AGRICULTORES, OS ATEUS, O MEU POVO VERDE, AMARELO, AZUL E BRANCO, OS MÉDICOS SEM REMÉDIOS, OS ADVOGADOS QUE LUTAM PELA JUSTIÇA, JUIZES QUE ZELAM PELO CUMPRIMENTO DAS LEIS: UNIDOS PARA SALVAR O BRASIL!
A NAÇÃO BRASILEIRA CORRE PERIGO!
O PERIGO DE TORNAR-SE UMA REPÚBLICA SOCIALISTA, COMUNISTA!

General de Divisão Reformado FRANCISCO BATISTA TORRES DE MELO.
A PÁTRIA NOS CHAMA!