sexta-feira, 23 de julho de 2010

DE CUBA, BRASIL, VENEZUELA E EUROPA

Por Arlindo Montenegro

Lá no mundão além das nossas fronteiras, discute-se abertamente a extrema diferença entre viver sob a proteção de um estado democrático, elegendo administradore confiáveis, seguidores das leis e um estado totalitário comunista. Ou onde os revolucionários no poder trabalham dia e noite para impor a ditadura comunista.

É bastante olhar para o norte, para a Venezuela, onde Chávez e seu estado maior cubano, impõem com violência o estado bolivariano, para fortalecer o Foro de São Paulo. Deixam correr solta a insegurança, os crimes impunes, as drogas, abrigando as Farc, elogiando a mais não poder e pedindo votos para dona Dilma, que diz ser " candidata do coração".

O parlamento europeu que recentemente recebeu Estolin para uma exposição sobre as tramas dos Bilderberg, ouviu os governantes checos que desejam a mobilização das democracias em forte oposição ao comunismo, garantia de correção de rumo em benefício das pessoas, construção ética e afastada dos extremos, que unem controladores comunistas e magnatas do capitalismo predador.
Nesta semana, Angela Merkel deu um chega prá la nas mentiras dos irmãos Castro, numa posição diferente do socialista Zapatero, que quis faturar prestígio como negociador do desterro de meia presos políticos cubanos. Angela disse no parlamento europeu que os ditadores cubanos devem "mudar sua política de forma fundamental".

O poder executivo alemão indica que o desterro de dissidentes não muda nada em Cuba. O responsável pela Política de Direitos Humanos do governo alemão, exigiu, através de Ricardo Alarcón, o moleque de recado dos Castro, a libertação imedita de todos os prisioneiros políticos, acrescentando: "O regime cubano tem de respeitar de uma vez por todas os direitos humanos."

O que os alemães dizem é que a ditadura comunista impede a vida digna, a liberdade de opinião, de escolha, manifestação e autodeterminação dos cubanos. "Para isto é preciso que os cubanos possam escolher seus governantes em eleições livres". Por extensão, o recado também serve para a Venezuela, o mais novo feudo cubano.

No país vizinho quem disser que o Chávez e mentiroso ou é feio, vai em cana. Os líderes democratas que se manifestam, vão em cana. Como foi feito com Alejandro Peña Esclusa, que há anos denuncia o Foro de São Paulo, Lula, Chavez, Evo, Ortega e suas ligações com as Farc. Sem argumentos morais e legais, os cubanos armaram um flagrante de explosivos e o prenderam com alarde.

Bom, Chávez manda prender até juízes por cumprir as leis vigentes. Controla toda a imprensa e agora arremete contra o único canal de tv a cabo que ousa ser dissidente. O país está mergulhado em pobreza, escassez de alimentos e ítens de primeira necessidade. Avoluma-se a corrupção e o mercado negro, tráfico de armas e drogas. Segundo Lula, a Venezuela "tem democracia até demais!"

Os únicos países da América Central e do Sul que tem posição firme contra o Foro de São Paulo e o avanço do comunismo, são liderados pela Colombia que denunciou os acampamentos das Farc na OEA, não obstante todas as manobras contrárias de Chávez. A documentação mostra como ele mente e engana os venezuelanos.

O Brasil, há muito acolhe as Farc e protege seus terroristas narcotraficantes. Isto expõe a irresponsabilidade dos militantes comunistas do PT e dos governantes ideologicamente alinhados à Internacional Comunista do Foro de São Paulo. Esta posição política aparece na violência das ruas, homicídios, tráfico de drogas e armas, saúde, educação e medidas de segurança proteladas.


O Lula e seu bando ficam fulos de raiva e negam, tentam esconder a ligação do PT com as farc. Como diz Olavo de Carvalho, é "o mesmo que dizer que sou amigo do Al Capone, mas não sou mafioso". Fosse o contrário as farc não se abrigariam livremente com acampamentos e mansões na Amazonia, nem a mulher do que foi embaixador da guerrilha no Brasil estaria abrigada com emprego no Planalto, a pedido de dona Dilma.

Enquanto isto, o coma'ndante Fidel Castro aparece repetidas vezes na televisão, segundo dizem os estudiosos da política daquela ditadura, porque quer voltar à atividade como à cabeça do Comitê Central do Partido Comunista Cubano, cargo que manda no estado. Vai ver o coma'ndante, está contrariado com as liberalidades do irmão.

Vai ver está chateado com as imagens de um ex atleta, que a prisão transformou num inválido em cadeira de rodas sendo agredido pelos esbirros da segurança cubana. Ou teme que o Obama suspenda o embargo, expondo sua obra ao ridículo. O fato é que a ditadura está sendo pressionada.




video

Nenhum comentário:

Postar um comentário